Enquanto a incerteza paira sobre o futebol em todo o mundo, Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, busca acrescentar um elemento sólido a todas as suposições. Embora nada esteja oficialmente decidido entre federações e clubes, do seu lado, o mandatário da entidade europeia definiu uma data limite para encerrar a Champions League e a Liga Europa: 3 de agosto.

A afirmação veio em entrevista à emissora de TV alemã ZDF. Na conversa com o canal, Ceferin disse que a Uefa terá flexibilidade com datas e mesmo horário de jogos, a fim de que todas as competições nacionais possam ser encerradas.

“No dia 3 de agosto, devem estar, tanto a Champions League quanto a Liga Europa, terminadas. Estamos num contexto excepcional e devemos ser flexíveis. Podemos jogar nas mesmas datas que as ligas locais, inclusive na mesma hora”, explicou.

O presidente da Uefa afirmou que a entidade tem diferentes planos em mente para o recomeço da Liga dos Campeões e da Liga Europa, para maio, junho ou julho, dependendo da progressão da pandemia. Porém, não descarta a possibilidade de a temporada não voltar a ser jogada.

“Se as autoridades não nos permitirem jogar, não podemos jogar. Dependemos dos governos de cada país. Em setembro e outubro já não podemos jogar”, avisou.

O futebol foi paralisado em meio à disputa de oitavas de final da Champions League, e Ceferin diz que uma mudança no número de jogos da competição seria um dos cenários possíveis a partir da fase seguinte, caso o tempo para encerrar o torneio seja curto: “Poderíamos jogar com o sistema atual ou em uma eliminatória de um só jogo, em campo neutro. Por ora, é apenas uma opção, para jogar as quartas de final ou as semifinais”.

“A única decisão errada que poderíamos tomar agora seria jogar de maneira que colocasse a saúde e a segurança de jogadores, torcedores e árbitros em risco. Entretanto, se estivermos em condições seguras, não vejo problema. Precisamos de futebol, as pessoas estão nervosas e ansiosas”, concluiu.

A Uefa enviou, na quinta-feira (2), uma carta a cada uma das 55 federações europeias, pedindo que as ligas não sejam canceladas e deixando aberta a possibilidade de não aceitar em suas competições clubes de países que tenham encerrado prematuramente seus campeonatos. A mensagem foi enviada horas após o conselho administrativo da liga belga recomendar o encerramento da temporada atual, uma decisão que ainda passará pela assembleia geral da liga, que conta com os clubes.

Na entrevista à ZDF, Ceferin reforçou a ameaça feita pela Uefa de exclusão de países da próxima temporada da Champions League e da Liga Europa caso decidam antecipar o fim de suas competições domésticas antes de ser indiscutivelmente necessário.

“Acho que esse não é o caminho. A solidariedade não é uma via de mão única. Você não pode pedir ajuda e depois tomar a sua própria decisão. Devo dizer que os belgas e outros que possam estar pensando em algo semelhante estão colocando em risco sua participação em competições europeias na próxima temporada.”

Na mesma carta às federações, a Uefa afirmou que tem grupos dedicados a estudar diferentes cenários de conclusão da temporada e pediu para que não haja pressa para se definir o que fazer com as ligas domésticas.