A tão falada reestruturação do Manchester United começou oficialmente. Os movimentos têm sido lentos, mas a primeira contratação foi enfim anunciada e apresentada. Daniel James, ponta esquerda que disputou a temporada recém-encerrada pelo Swansea, na Championship, chega ao Old Trafford após transferência de £ 15 milhões. O destino do jovem galês é mais um exemplo de como, no futebol, as coisas podem mudar muito rapidamente.

No final da temporada 2017/18, o Swansea foi rebaixado da Premier League à segundona inglesa. Tendo jogado apenas uma partida com o clube, pela FA Cup, o garoto, com 20 anos à época, esteve perto de seguir à quarta divisão inglesa. Anteriormente, havia tido uma experiência rápida e sem sucesso na terceira divisão, passando dois meses pelo Shrewsbury Town em 2017. Depois disso, o Yeovil Town sondou o jogador para um empréstimo, com o técnico Darren Way determinado a tê-lo em sua equipe. Não era maluquice alguma imaginar a transferência, diante das circunstâncias.

James não quis sair, e o que veio a seguir foi uma sequência de coisas boas na vida do galês. Permaneceu no Swansea e gradativamente passou a ter espaço no time titular, oportunidade nascida após uma barca de 17 jogadores deixar o clube do Estádio Liberty, além do fim de empréstimo de outros dois: Carter-Vickers e Renato Sanches.

“Na temporada passada, não achava que eu teria muito espaço como titular. Lembro de ir para o escritório no começo deste ano e dizer que queria ser emprestado, e então me disseram que eu faria parte de algo. Obviamente, você sai da sala pensando: ‘É verdade?’, e conseguir mais oportunidades neste ano foi incrível. Foram seis meses ótimos para mim – conseguir tantos jogos pelo Swansea e, claro, estrear pela seleção galesa foi incrível.”

Ele aproveitou bem as chances, anotando seis gols e somando dez assistências em 39 partidas. Com o destaque, entrou no radar de Ole Gunnar Solskjaer, que buscava uma mudança no perfil de contratações do Manchester United. Um ano depois, James estará em um clube da elite do futebol mundial. O Yeovil, que tentou sua contratação, acabou rebaixado para a quinta divisão da pirâmide inglesa.

Material de divulgação do clube no estilo vintage aponta para um clube que “retorna às raízes” (Divulgação)

Dos 39 jogos que disputou, James atuou pelas pontas em 34 deles, aproveitando sua grande velocidade. Não sabemos como Solskjaer pretende utilizá-lo. Existe a possibilidade de ele assumir a ponta direita, onde jogou oito vezes em 2018/19 e posição para a qual o United não conta com boas opções atualmente, em uma das principais fraquezas da equipe na temporada.

Ele pode, ainda, atuar na sua posição favorita, a ponta esquerda, onde Alexis Sánchez fracassou e Anthony Martial não conseguiu mostrar consistência por tempo suficiente para ter sua titularidade indiscutível. Rashford, que por vezes entra ali, é visto por Ole como seu camisa 9 para o médio e longo prazo. Pela esquerda, James atuou a maior parte dos jogos pelo Swansea na temporada: 26 partidas.

Contratado por £ 15 milhões, Daniel James pode representar uma mudança de atitude do time do Old Trafford no mercado. Quando saiu do clube em 2013, Alex Ferguson deixou um rombo que o clube tentou preencher com jogadores caros e midiáticos: Ángel Di María, Bastian Schweinsteiger, Zlatan Ibrahimovic, Paul Pogba e Alexis Sánchez são alguns dos nomes que ilustram isso.

A estratégia não gerou o efeito desejado. Agora, há um aceno para um retorno ao perfil de contratações de Ferguson: jogadores mais baratos, menos badalados e com grande desejo de se provar no futebol. Atletas que entendem a grandeza de jogar em um clube da estatura do United e deixarão seu melhor em campo para aproveitar uma oportunidade única. O próprio sorriso de James na apresentação em seu novo clube mostra que ele é exatamente esse tipo de jogador.