Dani Olmo está pronto para dar seu próximo passo, e ele pode muito bem levar a um destino bem conhecido pelo jogador. Em entrevista ao jornal catalão L’Esportiu, o atleta do Dinamo Zagreb reconheceu que o Barcelona, sua ex-equipe, fez uma proposta para contratá-lo. Nada está definido, e outros times estão de olho no meia, mas o espanhol não hesitou em falar com empolgação sobre a possibilidade de retornar aos catalães: “O maior incentivo que eu poderia ter é treinar e aprender com o Messi”.

Olmo teve uma trajetória incomum em sua curta carreira até aqui. Aos 21 anos, foi convocado à seleção espanhola principal pela primeira vez em novembro de 2019, sem nunca ter defendido profissionalmente alguma equipe da Espanha. Em vez disso, em meio às negociações por Alen Halilovic, tomou um caminho alternativo e deixou as categorias de base do Barça para se juntar ao Dinamo Zagreb aos 16 anos.

Cinco anos depois, o Barcelona quer o seu prodígio de volta. Embora o clube negue oficialmente ter feito uma proposta pelo jogador, Olmo, ele próprio, comentou a oferta em entrevista ao L’Esportiu.

“Estou feliz que os rumores tenham se tornado uma proposta concreta e que o Barça esteja considerando me levar de volta pra casa. Passei seis anos em La Masia e aprendi valores para toda a vida lá”, afirmou.

Tendo chegado à Croácia em 2014, Olmo seguiu seu desenvolvimento no segundo quadro do clube de Zagreb e estreou como profissional apenas na temporada 2017/18. Em seu terceiro ano seguido como figura principal da equipe, ganhou proeminência em 2019 após campanha de destaque no Campeonato Europeu Sub-19, do qual foi campeão com a Espanha, e por suas boas atuações na fase de grupos da Champions League. No entanto, com a eliminação do Dinamo, admite que chegou a hora de deixar o clube.

“Se houver algum acordo entre os clubes, acho que a melhor coisa para todos é eu deixar Zagreb agora. O Dinamo receberia uma boa transferência, e eu jogaria em um dos maiores times do mundo, em uma das cinco melhores ligas”, avaliou o meia.

Olmo traça a Eurocopa como seu grande objetivo a curto prazo e considera difícil estar na competição se tiver apenas a liga croata a disputar até o fim da atual temporada. “Quero dar um passo à frente. E não apenas ir para a Euro, mas também continuar melhorando. Não é que eu esteja me oferecendo, mas, sim, que estou pronto para dar o próximo passo na minha carreira.”

Perguntado se a Croácia ficou pequena demais para ele, Dani Olmo afirma que não só ele pensa assim: “O clube também concorda que atingi meu teto aqui”. O jogador diz que o Dinamo está aberto a ouvir propostas por ele e que todas as partes estão empenhadas em achar uma solução favorável a todos os envolvidos. “Em seis temporadas, dei muito ao Dinamo, e o Dinamo a mim.” Ele não descarta, no entanto, forçar uma saída caso se desenvolva algum cenário em que a equipe de Zagreb mude sua postura.

Sobre seu próximo passo, sendo ele o Barcelona ou não, Olmo diz ter em vista o projeto esportivo, mais do que a oferta financeira em si. “Nunca coloquei o dinheiro como prioridade, embora eu queira ser valorizado nesse aspecto também. Levarei em conta a importância que poderei ter no elenco, no curto prazo e no futuro. Na época, o Dinamo me ofereceu um projeto. Quero o mesmo agora.”

Mesmo a alta concorrência no ataque do Barça não o desencoraja. O jogador vê o lado bom em uma possível volta à Catalunha.

“O maior incentivo que eu poderia ter é treinar e aprender com o Messi. Por outro lado, minha carreira não tem sido simples: eu tomei um caminho alternativo, que ninguém tinha tomado antes, e aqui estou. Tudo isso sempre me dá uma reação ótima diante das adversidades.”

Até hoje, revela Olmo, apenas duas ofertas chegaram ao Dinamo: uma antiga, do Borussia Mönchengladbach, e esta de agora, do Barça, embora tenha havido conversas com o Bayer Leverkusen no passado.

O atleta reconhece que, para ele, talvez o melhor momento para sair tivesse sido antes da atual temporada começar, mas as coisas correram muito bem para ele nesta primeira metade de campanha 2019/20. Ao ponto de o colocarem em uma posição favorável para ponderar seu futuro. “Estou no ápice da minha curta carreira e me sinto ótimo. (…) Acho que tive mérito em dar um passo à frente. Estou pronto.”