Da várzea ao primeiro gol no Campeonato Italiano em quatro anos: a incrível história do brasileiro Junior Messias

Aos 29 anos, Junior Messias estreou na primeira divisão italiana nesta temporada pelo Crotone, e marcou o seu primeiro gol na Serie A

A história de Junior Messias, de 29 anos, é dessas inacreditáveis. Brasileiro de Belo Horizonte, ele mudou para a Itália em 2011, aos 20 anos, para tentar uma vida melhor, seguindo os passos do irmão, que já tinha ido para o país europeu antes dele. Até 2015, Messias era entregador de uma loja em Turim e jogava apenas futebol de várzea na Itália. Foi só em 2016, aos 24 anos, que começou a sua trajetória profissional. Agora, em 2020, joga pela primeira vez a Serie A e fez o seu primeiro gol no Campeonato Italiano neste fim de semana, na derrota do seu time, o Crotone, para o Cagliari, de João Pedro. O atacante canhoto, de 1,79 metro, vive uma história de filme na Itália.

LEIA TAMBÉM: João Pedro se torna o segundo maior artilheiro da história do Cagliari na Serie A

Junior Messias nasceu em Belo Horizonte, no dia 13 de maio de 1991. Sua primeira tentativa na carreira como jogador foi ainda no Brasil, na base do Cruzeiro. Por necessidade, precisou abandonar o sonho de ser jogador. Precisava trabalhar. Em 2011, seguiu os passos do irmão e foi buscar uma vida melhor na Itália. Foi para Turim e começou a trabalhar como entregador de uma loja de eletrodomésticos. A carreira no futebol tinha ficado para trás, a milhares de quilômetros, no Brasil. O que ele não sabia é ela ainda não havia chegado ao fim.

Apesar de trabalhar como entregador, Junior Messias continuava jogando futebol, mas de forma amadora. Jogava nos torneios amadores da UISP (Unione Italiana Sport Per Tutti), uma organização para futebol amador, como a várzea no Brasil. Foi jogando um desses torneios amadores, ainda em 2015, que as coisas começaram a mudar para ele. O técnico Ezio Rossi, do Casale, gostou do que viu e o convidou para fazer testes no clube, então na quinta divisão italiana, que ainda é amadora. Foi naquela temporada, 2015/16, que o time conseguiu subir para a Serie D.

Na temporada seguinte, em 2016/17, ele se mudou para o Chieri Calcio, também na Serie D. Curiosamente, o primeiro jogo da temporada no novo clube foi justamente contra o seu antigo time, Casale. O Chieri venceu por 3 a 1 e teve lei do ex: ele fez um dos gols, atuando como ponta direita. Naquela temporada, o brasileiro fez 15 gols e uma assistência em 34 jogos. Foi destaque do time, que foi sétimo colocado no Grupo A. Não se classificou à fase final, mas foi o suficiente para o atacante mostrar talento.

Mudou novamente de time na temporada 2017/18, contratado pelo Gozzano, também da Serie D. Fez 23 jogos e cinco gols na campanha do time que foi o primeiro colocado, garantindo a subida diretamente para a Serie C. Em 2018/19, na Serie C, o desafio era melhor. Foram 35 jogos, cinco gols e uma assistência, em uma campanha dura. O clube brigou contra o rebaixamento e terminou em 17º, escapando do descenso por uma posição.

Ainda no meio daquela temporada, o Crotone já tinha garantido a contratação do brasileiro. Em janeiro de 2019, o Crotone garantiu o Junior Messias para a temporada seguinte. Ele foi para o novo clube só em junho de 2019. Pelo Crotone, disputaria a Serie B, onde os jogadores possuem melhores condições, salários melhores e os times são completamente profissionais em sua integralidade, o que não acontece em todos os clubes da Serie C e abaixo.

Na Serie B, Junior Messias deu a sua contribuição para que o time conseguisse uma excelente campanha e subisse para a Serie A: foram seis gols e seis assistências, em 34 jogos. Ao longo da sua trajetória nas divisões inferiores, era quase sempre ponta direita, mas foi se convertendo em um atacante mais centralizado e chegou a jogar até mais recuado, no meio-campo. A sua principal posição foi de atacante centralizado na Serie B, às vezes como centroavante, outras como um segundo atacante, atrás de outro jogador na referência.

O Crotone acabou a temporada 2019/20 como segundo colocado na Serie B, garantindo a promoção direta para a Serie A. Junior Messias continuou no time, já que foi titular ao longo de toda a campanha – só em dois jogos veio do banco de reservas, nos 36 jogos disputados na segunda divisão italiana e na Copa da Itália.

Nesta temporada, Junior Messias, que veste a camisa 30 no Crotone, estreou na Serie a contra o Genoa, no dia 20 de setembro, primeira rodada. O início foi difícil: foram três derrotas em três jogos: 4 a 1 para o Genoa, 2 a 0 para o Milan e 4 a 1 para o Sassuolo. Na quarta rodada, porém, veio uma das maiores surpresas até aqui na Serie A: o empate por 1 a 1 com a Juventus. Junior Messias foi escolhido o jogador da partida.

Junior Messias conduz a pelo no jogo entre Crotone e Juventus, quando foi eleito o melhor em campo (GIOVANNI ISOLINO/AFP via Getty Images/OneFootball)

“Os adversários foram muito duros, a Juventus comandou (o futebol italiano) nos últimos 10 anos”, afirmou o brasileiro, depois do jogo, no dia 17 de outubro ao DAZN, que transmite alguns jogos do Campeonato Italiano na Itália. “O resultado é muito bom, o time está melhorando, mas ainda há muito a ser feito para melhorar. Está tudo bem”.

Quando foi perguntado sobre ter sido o melhor em campo, o jogador falou sobre o quanto aquilo era inacreditável. “Se alguém tivesse me contado (que isso aconteceria), eu não teria acreditado”, admitiu o atacante. “Eu acredito em Deus, para ele, nada é impossível”.

Na rodada seguinte ao jogo contra a Juventus, o adversário foi o Cagliari, fora de casa. A partida, realizada neste domingo, 25, teve vitória do Cagliari por 4 a 2, com direito a João Pedro, outro brasileiro, chegando a uma marca histórica de gols na Serie A pelo clube. Apesar da derrota, foi um dia histórico para Junior Messias também: ele marcou o seu primeiro gol na Serie A. Foi aos 21 minutos do primeiro tempo e abriu o placar para o clube visitante, quando ele completou o cruzamento da esquerda para o gol com a sua perna esquerda.

Junior Messias ainda revelou um sonho depois do jogo contra a Juventus. “Eu acho que tenho que ir passo a passo, então ver o que acontece no futuro. Seria um sonho que se realiza ser chamado pela seleção brasileira”, afirmou o jogador, de 29 anos. Pode parecer um sonho muito distante, quase impossível, ainda mais para um jogador da sua idade. Mas para quem viveu o que ele viveu até aqui, quem pode duvidar?