Depois de perder os três primeiros jogos, a Atalanta deu um jeito de ainda chegar viva à última rodada da fase de grupos da Champions League. No intervalo de jogo contra o Shakhtar, nesta quarta-feira (11), ainda amargava a lanterna do Grupo C. Ainda assim, de alguma forma, a equipe de Bérgamo vai às oitavas de final da Champions League, após vitória inesperada por 3 a 0 sobre os ucranianos, fora de casa.

O primeiro tempo foi melhor ao Shakhtar Donetsk, que teve as duas melhores chances de gol dos primeiros 45 minutos. Aos 15 minutos, Tetê passou para Júnior Moraes, cujo chute foi desviado e sobrou para Kovalenko mandar para o gol. A arbitragem, no entanto, viu um ligeiro impedimento e anulou o tento dos ucranianos.

Taison e Tetê, quando partiam para cima dos italianos, davam uma canseira danada ao time de Bérgamo e, em um dos lances no primeiro tempo, quase levaram o Shakhtar ao gol. O camisa 7 começou a jogada pela esquerda, inverteu para Tetê, que encontrou Moraes no meio da área com cruzamento preciso. A cabeçada do atacante brasileiro foi espalmada brilhantemente por Gollini para fora.

Para a Atalanta, o melhor lance havia acontecido logo no começo do jogo, quando um recuo de bola errado de Ismaily colocou Papu Gómez na cara de Pyatov. O argentino então tocou para Muriel, que buscou Pasalic, mas o croata ficou sem espaço para a finalização e desperdiçou o ataque.

O segundo tempo, no entanto, seria muito mais solidário aos italianos. Mesmo sem alguma mudança brilhante de espírito ou de jogo, a Atalanta equilibrou mais as ações e, em jogada inspirada de Papu Gómez, abriu o placar. O argentino arrancou em velocidade pela esquerda, tabelou rápido com Gosens e depois Muriel e cruzou para o meio da área, rasteiro. Castagne, em duas tentativas, balançou a rede. Inicialmente o gol foi anulado por possível impedimento de Gómez, mas a revisão no VAR mostrou posição legal.

A sorte estava mesmo ao lado da Atalanta, já que um minuto antes de seu gol o Shakhtar havia chegado com muito perigo ao ataque com Moraes, parado brilhantemente por Gollini, mais uma vez. Outros dois lances em sequência, mais tarde, viriam para matar o jogo: aos 32 da segunda etapa, o lateral direito brasileiro Dodô acertou um tapa em Freuler e foi expulso. Três minutos depois, em cobrança de escanteio baixa, perto da primeira trave, a zaga do Shakhtar vacilou, e Pasalic apareceu para desviar e fazer 2 a 0.

Standings provided by Sofascore LiveScore

A Atalanta ainda segurou o ímpeto final do Shakhtar, que chegou a acertar o travessão. Nos acréscimos, aos 49, fez mais um gol, com Gosens, após falha de Stepanenko, transformando em 3 a 0 o que havia sido um duelo bastante parelho.

Chegar à Champions League já havia sido uma conquista à Atalanta, e as três derrotas iniciais (4 a 0 para o Dinamo Zagreb, 2 a 1 para o Shakhtar e 5 a 1 para o City) indicavam que este patamar era alto demais para a equipe. Porém, na segunda metade da fase de grupos, uma reação tímida e gradativa recolocou o time no páreo, e o salto da lanterna ao segundo lugar em questão de minutos no segundo tempo foi o conto de fadas completo aos outros nerazzurri da Lombardia.

Seja qual for o adversário das oitavas de final ou o resultado obtido no mata-mata, a história bonita com que a Atalanta sonhava ao se classificar para a Liga dos Campeões já foi alcançada.