A ilha de Curaçao não é lá muito conhecida no mundo do futebol e, por isso mesmo, escreveu uma história surpreendente nesta edição da Copa Ouro. Para um país que até chegar ao torneio já é muito, conseguir a classificação para as quartas de final é um feito. E a forma como aconteceu, até pelas características da Copa Ouro, criaram uma situação incrível. Arrancaram um empate improvável e depois tinham que torcer para um time já eliminado para sobreviver. Tudo isso aconteceu, em uma narrativa que ganha ares épicos para a pequena ilha.

Curaçao precisava ao menos empatar com a Jamaica, o que já era difícil. Mais forte, a Jamaica dominou o jogo desde o início da partida. Ainda mais porque logo a 14 minutos, Shamar Nicholson completou para o gol e abriu o placar para os jamaicanos. E mais do que isso: era melhor no jogo, criava chances e parecia perto de chegar ao segundo gol. A bem da verdade, a Jamaica perdeu um caminhão de gols.

O futebol, porém, permite muita coisa maluca. E em um escanteio já aos 47 minutos do segundo tempo, Curaçao cobrou curto, Leandro Bacuna tocou para Jurien Gaari. Ele estava muito longe do gol. Mesmo assim, puxou para o meio e soltou uma boma: golaço, empate e esperança mantida. Sim, Curaçao ainda poderia se classificar com o empate por 1 a 1. Só que não dependia mais deles mesmos.

Na Copa Ouro, se joga em rodadas duplas. Depois do empate arrancado no último minuto, Curaçao saiu de campo e foi para as arquibancadas. Teria que torcer para o eliminado time de Honduras contra El Salvador. Difícil, mas por que não, afinal? E curiosamente, El Salvador é rival de Curaçao.

Só que o que se viu no estádio Banc of California, em Los Angeles, foi Honduras massacrando El Salvador. Depois de um 0 a 0 no primeiro tempo, certamente muito tenso para os jogadores de Curaçao, o segundo tempo foi uma goleada. Um 4 a 0 voraz que eliminou os salvadorenhos e classificou, de forma inédita, o time curaçauense.

Curaçao sequer é um país independent. Ainda faz parte do território holandês. Por isso, os jogadores que atuam na seleção de Curaçao normalmente são aqueles que não conseguiram estar nos times holandeses.

Os jogadores, na arquibancada, enlouqueceram. Torceram muito por Honduras e, claro, comemoraram, gerando cenas que podem ser descritas como loucura e delírio. Uma ilha de 160 mil habitantes, posição 183 do ranking da Fifa, irá disputar as quartas de final do torneio continental da Concacaf. Um feito que é magnífico.

O adversário será o vencedor do Grupo D, que tem Estados Unidos e Panamá e, ambos já classificados, se enfrentam pela liderança do grupo nesta quarta-feira. Seja como for, o jogo será histórico.