Chegamos quase no segundo turno do Brasileirão e uma equipe conseguiu destoar ao equilíbrio que estava predominando na tabela.

O Cruzeiro mostrou competência e já dispara na liderança com quatro pontos a mais que o Atlético Paranaense, certamente a maior surpresa do campeonato até aqui. O Botafogo, que parecia ser o principal candidato ao lado da Raposa, também ficou para trás e soma os mesmos 33 pontos do Furacão.

Lá embaixo, a briga está acirrada por uma vaga na Série B. Portuguesa (com 19) e São Paulo (18) brigam rodada a rodada para encabeçar a zona do rebaixamento e o Fluminense observa de perto, com um ponto a mais que o Tricolor paulista e quase escorregando para o desespero.

E já que falamos demais da tabela, vamos a alguns destaques desta 18ª rodada do BR-13:

A barriga que se voltou contra Renato Portaluppi

O Grêmio estava indo muito bem, série boa de vitórias, coisa e tal. Aí viajou até Goiânia, onde enfrentaria o Goiás no Serra Dourada. Aquela sequência animadora que colocou o time gaúcho no G-4 acabou como um sonho de padaria nos pés de Walter, 2×0. Anos depois de fazer um gol de barriga num Fla-Flu, Renatão viu como é estar do outro lado da equação. Não, os gols do atacante do Esmeraldino não foram de barriga, mas né, você entendeu.

Tosco, mas com três pontos na bagagem

Ninguém entendeu a pane no Flamengo ao perder de 4 a 0 do Corinthians no fim de semana passado. O Rubronegro soube se remontar e bateu no Vitória por 2 a 1 no Maracanã. O que isso significa? Nada, porque o Vitória demitiu Caio Júnior nos últimos dias e também está em decadência. Mentira, significa sim. Mesmo com um futebol inconstante e por vezes tosco, o Flamengo vai somando uns pontinhos aqui e ali, embora a torcida espere muito mais que isso. Hernanes voltou a ser decisivo e fez os dois.

Mais um varrido pelo Furacão

Esse foi talvez o resultado menos surpreendente da rodada. O Atlético recebeu e venceu o Santos por 2 a 1 na Vila Capanema e martelou as esperanças santistas de um campeonato mais tranquilo. Saltou mesmo aos olhos o segundo gol do Furacão ter saído dos pés de Marco Antônio, estreante da noite pelo time. Marcelo marcou o outro e continuou em boa fase. Difícil achar algo no Atlético que não esteja em boa forma, aliás.

A Lei do Ex nunca falha

Portuguesa e Ponte Preta duelavam no Canindé para decidir quem é que ia terminar a rodada chorando mais. A Lusinha fez a lição de casa e bateu a Macaca por 2 a 1, gols de Gilberto. A Lei do Ex teve um protagonista diferente desta vez. Guto Ferreira, treinador da Portuguesa, acertou o time e deve ter feito a diretoria da Ponte se arrepender de tê-lo demitido semanas atrás. Jorginho até deu um padrão melhor de jogo ao time campineiro, mas nada que fizesse a Ponte Preta sair da desgramada zona da degola.

Mais um bote da raposa

O Cruzeiro está mesmo com a corda toda. A vítima da rodada foi o Bahia, que também murchou após o ensaio de reação no primeiro turno. Na Arena Fonte Nova, o Tricolor apanhou de 3 a 1 dos líderes e voltou a estar em uma situação não muito empolgante na tabela. Acabou a magia? Sei não, mas que a Raposa está dando botes certeiros rumo ao título, disso podemos ter certeza. Julio Baptista, Éverton Ribeiro e Borges que o digam.

Sempre polêmico

Inter e Corinthians podem se considerar como adversários de um clássico diferente. Sem rivalidades regionais, os dois jogam todo ano o “Clássico da Polêmica”. Se nenhuma das partes não tiver o que reclamar, é porque não valeu. Desta vez o Colorado saiu vencedor, graças a D´Alessandro, no Camp Nóia, o Estádio do Vale em Novo Hamburgo. A polêmica da vez se deu num gol anulado de Fabrício, onde o árbitro alegou falta de Damião em Cássio. O problema é que o juiz havia validado o lance e depois voltou atrás.

Brincando de Brasileirão

O Atlético Mineiro ainda não se recuperou da euforia de vencer a Libertadores. Veja bem, deve ser duro conquistar a América e beirar a zona de rebaixamento com 2 pontos a mais do que o primeiro do Z-4. Em casa, o Galo sofreu e apenas empatou com o Fluminense por 2 a 2, outro dos que estão penando pra escapar do fantasma do rebaixamento. Ronaldinho foi o destaque, marcando dois golaços. Só esqueceram de avisar que o Flu tinha Rhayner e Wagner. Ninguém gostou do resultado, certamente.

Sai Vitinho, entra Hyuri
Hyuri abraça Seedorf em sua estreia com gols pelo Botafogo
Hyuri abraça Seedorf em sua estreia com gols pelo Botafogo

Tudo o que você precisa saber da vitória do Botafogo é que a ausência de Vitinho já foi bem suprida com a chegada de Hyuri, que veio do Audax. Logo em sua “hestreya”, Hyuri fez dois gols, um deles de forma simplesmente fantástica, entortando todinha a zaga do Coritiba. O placar foi 3 a 1 para o Botafogo, mas isso é só um detalhe.

Um Rogério deprimido

Rogério deprimido

Rogério Ceni vive provavelmente sua pior fase dentro do São Paulo. E isso é coincidentemente um reflexo para o túnel escuro em que o Tricolor está preso neste Brasileirão. Perdendo para o Criciúma por 2 a 1, no Morumbi e com direito a mais um pênalti perdido pelo goleiro e capitão, o São Paulo ficará mais uma rodada na zona de rebaixamento. A julgar por uma foto de Rogério após o chute perdido, ele está bem mais abatido do que poderíamos esperar.

Só um milagre

O Náutico está mais do que desesperado e sofreu um duro golpe ao perder em casa do Vasco por 3 a 0. A molecada cruzmaltina trabalhou bem e demoliu o Timbu na Arena Pernambuco, com gols de Willie e Marlone. Na lanterninha, o Náutico ainda demitiu o treinador Jorginho e mais uma vez precisará se reestruturar para tentar sair da situação delicada que é somar 8 pontos e ver a Ponte Preta, o rival mais próximo no Z-4, somar 15. O destino da equipe pernambucana parece estar selado.