Título da Copa MX do Clausura, boas campanhas consecutivas, vice-campeonato nacional com taça perdida nos acréscimos da decisão, projeto e bases do time mantidos, reforços pontuais e classificação aos playoffs assegurada de forma antecipada. Tudo indicava que a caminhada do Cruz Azul na edição atual da Liga MX seria marcada por um novo bom desempenho e até, quem sabe, o fim da fila. Seria… O tombo foi grande, veio logo de cara e, ao que tudo indica, difícil de ser contornado.

Os Cementeros fizeram uma campanha tranquila ao longo de todo o Apertura. Apesar de distante do brilhantismo, o clube sofreu pouco com a ameaça de ficar de fora do mata-mata, manteve uma defesa segura e um ataque capaz de se impor nos clássicos, além de uma base experiente e acostumada a momentos decisivos.

Se a derrota para o rival América na final do Clausura havia pesado para a torcida, a diretoria Celeste optou por tranquilizar o ambiente interno e apostar na continuidade de “Memo” Vázquez, sem o festival de caça às bruxas que marcou o time da capital ao longo do jejum atual em campanhas que reuniam grandes expectativas e poucos resultados (e nenhuma conquista).

Sem lesões ou desfalques, com um time entrosado e suporte da diretoria, a Máquina tinha tudo para entrar de vez na briga pelo título. Mas o resultado da partida de ida jogou não um balde, mas um verdadeiro caminhão de água fria nas pretensões do time. Mais duro foi ver que o clube não teve atuação tão apagada, e em momento nenhum o duelo transformou-se em uma partida de um time só. O jogo foi movimentado, com chances para ambos os lados e equilíbrio na posse de bola, chutes a gol, cruzamentos e em praticamente todas as demais estatísticas. Fez a diferença, entretanto, a efetividade dos escarlatas e as falhas da defesa azul.

A vantagem três gols imposta pelo Toluca já é por si só difícil de ser revertida. Se considerarmos o fato de que o Cruz Azul não obteve um triunfo por essa margem em nenhuma partida do torneio, ao passo que os Diablos não perdem por um placar dessa magnitude desde fevereiro, a tarefa se torna ainda mais inglória. Os Rojos nem mesmo sofreram três gols em jogos do Apertura. Se servir de consolo, o histórico recente não é ruim: os dois duelos entre os clubes em 2012 terminaram com triunfos dos Cementeros por 3 a 0. Justamente o placar necessário para reverter a vantagem.

Pior do que a eliminação, todavia, é o risco que os reflexos de uma eliminação prematura podem causar no estádio Azul. A pacificação do ambiente interno, pautados num planejamento a longo prazo, podem ser encerrados justamente pela eliminação inesperada. Querendo ou não, o Cruz Azul é um clube popular, e como tal, carece de títulos. Sempre. A chegada do 17º ano sem conquistar a Primera División tem tudo para pôr por terra a tranquilidade que blindou comissão técnica e elenco na temporada. Gerente de Formação Técnica celeste, Agustín Manzo já deixou claro que a continuidade de Guillermo Vázquez será analisada semanalmente. Uma forma sutil de informar: “serão resultados ou rua”.

Os Cementeros tem um elenco capaz de reverter a situação atual. Ou mesmo de render bons frutos nas próximas competições. Nomes como Barrera e Rojas tem tudo para realizar uma transição tranquila no lugar de veteranos como Torrado e Giménez, que ainda podem render ao clube, seja com futebol ou experiência. O risco de interrupção no projeto e novos investimentos pesados no mercado, sem foco ou direcionamento, que tanto geraram expectativas quanto frustraram a torcida, é grande. Procurar recompor-se do revés, avaliar com profundidade quem deu certo e quem ficou devendo nas campanhas recentes e agir com cautela nas mudanças parece ser o caminho mais correto para a Máquina Azul. Mas vá dizer isso para torcedores e dirigentes após os resultados do próximo fim de semana.

Curtas

– Nos demais confrontos das quartas, o equilíbrio prevaleceu: América x Tigres e León x Morelia foram duelos de muita emoção e pouca definição. Os atuais campeões arrancaram um empate por dois gols na casa dos felinos já nos minutos finais, enquanto o León perdeu a chance de levar uma ótima vantagem para casa ao ceder o empate para o Morelia em Morelos. O Santos venceu o Querétaro fora de casa por 3×2, mas os dois tentos marcados pelos Gallos mantiveram a disputa aberta;

– Na Liga de Ascenso, a final colocará frente a frente Necaxa e Leones Negros. Os Electricistas passaram por Atlético San Luis e Delfines, enquanto os Meneludos eliminaram Mérida e Oaxaca para alcançar a a decisão. Vice-líder da primeira fase, o clube de Aguascalientes joga por dois resultados iguais para levar o Apertura da segunda divisão; 

Costa Rica

– Com os quatro grandes já garantidos, a última rodada do Campeonato de Invierno serviu apenas para definir os cruzamentos entre eles nas semifinais da Primera División. Com um empate contra o Carmelita, o Herediano garantiu a liderança, com 49 pontos e fará o clássico mais antigo ainda em disputa do futebol costarriquenho ao enfrentar o Cartaginés, que terminou a primeira fase na quarta posição, com 32 pontos;

– Na outra semifinal, a Alajuelense, que goleou o Municipal Pérez Zeledón e ficou com a vice-liderança (47 pontos), disputará o Clásico Nacional contra o Saprissa, que fechou a fase regular em terceiro, com 42;

Guatemala

– O Comunicaciones deu bobeira e, com o segundo revés consecutivo, dessa vez para o Halcones, por muito pouco não perdeu a liderança da Liga Nacional. Os Cremas terminaram a primeira fase com 44 pontos, ao lado do rival Municipal, que bateu o Marquense no fim de semana, mas levam vantagem no saldo de gols;

– Junto aos rivais, Heredia (35 pontos), Universidad SC (35), Marquense (34), Halcones (29), Malacateco (28) e Suchitepéquez (27) também garantiram vaga nas quartas de final do Apertura;

El Salvador

– Com uma vitória sobre o Luis Ángel Firpo no Clásico Joven, o Alianza contou também com o tropeço do Isidro Metapán, que não passou de um empate com o Águila, para ganhar o direito de enfrentar os rivais em uma repescagem na briga pela quarta e última vaga nas semifinais do Apertura. O vencedor do duelo enfrentará o Atlético Marte, que mesmo perdendo a invencibilidade no fim de semana já tinha a liderança garantida, com 35 pontos;

– As semifinais da Liga Mayor colocarão frente a frente no outro duelo Juventud Independiente e FAS, enquanto os grandes Águila e Firpo fecharam a primeira fase da Liga Mayor segurando a lanterna da competição e terão de se reestruturar para voltar a sonhar com a taça;

Honduras

– Para quem pensa que as confusões restringem-se somente à Conmebol, um bom exemplo veio da Liga Nacional: a primeira partida da semifinal entre Olimpia e Real España estava agendada para a última sexta-feira, mas os atuais tetracampeões se recusaram a entrar em campo motivados pelo fato do estádio Nacional estar sendo preparado pelas Forças Armadas para as eleições gerais de domingo. A briga de bastidores entre os rivais gerou intensa troca de acusações e exigiu a intervenção do Supremo Tribunal Eleitoral do país, com o duelo sendo remarcado para a próxima quarta-feira;

– Na outra partida, o Deportes Savio colocou um pé na decisão com o triunfo por 2×0 sobre o Real Sociedad no duelo de ida, com um dos gols sendo anotado pelo atacante brasileiro Romario Pinto, ex-São Gonçalo;

Panamá

– Com uma nova vitória sobre o Independiente, o Tauro garantiu vaga na decisão da Liga Panamenha, onde enfrentará o San Francisco, que superou o Plaza Amador por 3×1 no último fim de semana. Os Toros, que jogam com a vantagem de dois resultados iguais, estarão em busca de sua 12ª conquista nacional, enquanto os Monjes correm atrás de seu 9ª título da Copa Digicel;

Jamaica

– Com um triunfo mínimo sobre o Cavalier, o Montego Bay disparou na ponta da National Premier League, com 19 pontos em 9 jogos. O atual campeão Harbour View bateu o Humble Lions e igualou o adversário na vice-liderança, ambos com 14 pontos. O Tivoli Gardens é o quarto com 13 pontos em 8 partidas, enquanto o Portmore United perdeu mais uma, dessa vez para o Arnett Gardens, e segue na lanterna, com 5 pontos;

Trinidad & Tobago

– Como a próxima rodada acontece somente no início de dezembro, a TT Pro League segue com o W Connection na liderança isolada, com 15 pontos e 100% de aproveitamento. O Point Fortin Civic tem 9 pontos em 6 partidas e ocupa a segunda colocação. Com duas vitórias, o San Juan Jabloteh é o sétimo, com a mesma pontuação do atual campeão Defence Force, 8º colocado;

Nicarágua

– Após um empate sem gols na primeira partida da decisão, Real Estelí e Walter Ferretti definirão o campeão do Apertura da Liga Nacional no próximo sábado. Atual tetracampeão, o Trem do Norte joga com a vantagem do empate para conquistar seu 14º título nacional, enquanto o WF busca sua quinta taça da Primera División.