A partir desta semana, a Trivela traz textos sobre a Copa do Mundo Feminina: personagens, jogadoras e histórias, sempre escritos por mulheres que trarão suas visões. Aproveitem!

Chegamos ao fim da primeira rodada da fase de grupos da Copa do Mundo 2019 na França e o que vimos cria ainda mais expectativas para o decorrer da competição. Foram muitos gols (oi, Alex Morgan), grandes defesas e estádios lotados com torcidas bastante animadas.

A Copa do Mundo é algo especial para todas as pessoas que, de alguma maneira, fazem parte dela: jogadoras, técnicas / técnicos e torcedores. É sempre uma honra fazer parte do Mundial. Mas para Chile, Jamaica, Escócia e África do Sul, o Mundial de 2019 é ainda mais especial: essa é a primeira vez que essas Seleções participam da competição.

As estreantes não tiveram vida fácil e enfrentaram equipes bastantes experientes logo de cara. A Jamaica enfrentou a Seleção Brasileira que, com Marta no banco, contou com um hat-trick de Cristiane para vencer por 3×0. A África do Sul enfrentou a Espanha e sofreu uma derrota de 3×1, sendo dois gols de pênalti e ainda uma expulsão contra as sul africanas.

Já Chile e Escócia deram mais trabalho. Contra a forte Suécia, as chilenas seguraram o placar sem gols até os 38 do segundo tempo. O placar de 2×0 para a Suécia foi estabelecido já nos acréscimos. A Escócia enfrentou uma das favoritas, a Inglaterra, terceira colocada no Ranking da Fifa, e saiu atrás no placar após um pênalti para a Inglaterra aos 14. As inglesas marcaram o segundo gol ainda no primeiro tempo, com Ellen White. Na segunda etapa da partida, as escocesas mantiveram o jogo equilibrado e criaram mais chances, conseguindo furar a marcação inglesa aos 11 minutos.

Apesar do resultado adverso no placar, essas atletas ainda têm razões para comemorar. Thembi Kgatlana, da África do Sul, e Claire Emslie, da Escócia, se tornaram as primeiras jogadoras de seus países a fazer um gol em Copas do Mundo. Feito que as jogadoras de Jamaica e Chile ainda podem repetir nos próximos jogos.

Se para algumas o momento é de estreia, outras seleções chegam para a Copa de 2019 com excesso de bagagem, de tanto que as camisas pesam.   

O time da casa não poderia ter estreado melhor nessa edição. Sob o comando de Corinne Diacre, a França abriu o placar com Le Sommer ,marcando o gol mais rápido de todos os tempos em um jogo de abertura da Copa do Mundo Feminina. A Coreia do Sul jogou no contra-ataque em busca do empate, o que acabou deixando o time exposto na defesa e permitiu que Wendie Renard ampliasse o placar marcando duas vezes ainda no primeiro tempo. Amandine Henry fechou a conta aos 40 do segundo tempo, 4×0 França.

Se a França fez valer o fator casa, a seleção dos EUA mostrou por que é a atual campeã. Enfrentando a fraca Tailândia, golearam por 13×0. Alex Morgan marcou cinco gols, empatando o recorde de tentos em uma partida – registrado primeiramente por Michelle Akers, em 1991. As adversárias pouco puderam fazer contra o envolvente e disciplinado time das norte-americanas. O placar estabeleceu ainda um novo marco na Copa do Mundo Feminina, com o recorde de gols em uma única partida.

Enquanto França e EUA brilharam, a segunda colocada no ranking Fifa, Alemanha, sofreu para marcar 1×0 sobre as chinesas. A equipe de a equipe de Martina Voss-Tecklenburg teve trabalho para furar a bem posicionada China, que mesmo segurando o jogo na defesa, conseguiu criar algumas oportunidades no ataque. Giulia Gwinn anotou o único gol da partida.

Outra seleção badalada que podia ter alcançado um resultado melhor foi Canadá. A vitória por apenas 1×0 contra Camarões não reflete o desempenho canadense, que dominou a partida durante os 90 minutos, mas teve dificuldade de furar a defesa camaronesa. O gol saiu de uma cobrança de escanteio, com cabeceio de Kadeisha Buchanan.

As Matildas foram surpreendidas pela seleção italiana. As australianas criaram o dobro de chances de gol que a Itália (7×3) e abriram o placar aos 22 minutos do primeiro tempo. Mas foi a italiana Barbara Bonansea quem brilhou na segunda etapa e colocou a Azzurra à frente no placar, garantindo a vitória para a Seleção da Itália, que está de volta a uma disputa mundial após 20 anos.

Quem não teve surpresas foi a Noruega. A Nigéria até tentou, mas o resultado acabou sendo uma vitória rotineira. Guro Reiten foi quem marcou o primeiro gol, aos 17 minutos, acabando com a pressão inicial que as nigerianas tentavam impor. Lisa-Marie Utland ampliou aos 34 e um gol contra Osinachi Ohale selou o resultado antes do intervalo.

As Leoas Laranjas, chegaram para sua segunda participação em Copas com o título europeu como reforço. A Nova Zelândia estava atenta e, com um time muito bem postado, dificultou a criação da Holanda. As holandesas tiveram a posse da bola durante toda a partida, mas o gol saiu já nos acréscimos finais, aos 47, com Roord.

Na única partida sem gols da rodada de abertura da Copa do Mundo 2019, a Argentina jogou 90 minutos da defesa, impedindo a seleção do Japão de criar muitas chances claras de gol. Com o 0x0, as argentinas saíram de campo comemorando o ponto conquistado como se tivessem vencido. Afinal elas enfrentaram as atuais campeãs asiáticas e que carregam uma tradição no futebol feminino muito superior à Argentina.

Com esses resultados, as colocações nos grupos seguem sem grandes surpresas, com todas as favoritas na zona de classificação. As próximas rodadas irão dizer se teremos zebras ou não na fase eliminatória. E você, qual a sua aposta?