Faltando uma rodada para o final das Eliminatórias Europeias, a França resolveu que irá reclamar junto à Fifa a regra de formação dos confrontos da repescagem. Embora possa parecer tarde para reivindicar qualquer tipo de mudança, o que fez os Bleus se manifestarem apenas agora é o fato de que apenas há uma semana a Fifa divulgou o método que utilizaria para os play-offs. E os franceses estão certos em sua reclamação.

Na repescagem, os oito melhores segundo colocados das Eliminatórias Europeias se enfrentarão em partidas que deverão acontecer em novembro. Para determinar os confrontos, a Fifa escolherá quatro cabeças-de-chave baseada em seu ranking oficial, e as outras quatro seleções restantes serão sorteadas para ver quem enfrenta qual cabeça-de-chave. Se a fase de grupos das Eliminatórias terminasse hoje, a França poderia pegar Croácia, Grécia, Suécia ou até mesmo Portugal.

O problema é que, colocada numa chave de apenas cinco equipes, os franceses tiveram menos oportunidades de subir no ranking. O restante dos grupos das Eliminatórias contam com seis seleções, o que possibilita que os outros times disputem duas partidas a mais e, consequentemente, somem mais pontos no ranking.

Atualmente, dentre as oito melhores colocadas, a França é a quinta melhor posicionada no ranking da Fifa, na 25ª colocação, enquanto a Suécia, última das cabeças de chave, é a 22ª. Com uma vitória francesa na última rodada sobre a Finlândia e uma derrota sueca para a Alemanha, dois resultados plenamente possíveis, os Bleus já ultrapassariam a seleção de Ibra. O problema para o time comandado por Didier Deschamps é que a Ucrânia, 26ª colocada, enfrenta a fraca seleção de San Marino, e uma vitória ucraniana coloca a equipe um ponto a frente da França no ranking da Fifa, isso se a França vencer.

Analisando os detalhes da situação francesa, fica claro que a reclamação é legítima. De fato, se estivesse em um grupo com o mesmo número de equipes que os outros, a França seria hoje uma das cabeças-de-chave da repescagem. Isso porque a seleção que ocuparia a sexta vaga no grupo I viria do pote mais fraco do sorteio. A desvantagem, portanto, coloca os Bleus em situação desconfortável, e o risco de ficarem de fora da Copa do Mundo não é pequeno, especialmente se tiverem que enfrentar seleções como a croata ou a portuguesa. Seria uma pena um país de tanta tradição no futebol ficar de fora do Mundial no Brasil por uma questão de organização.

Veja as seleções europeias com chances de ir à repescagem

Grupo A: Croácia (10ª no Ranking da Fifa)
Grupo B: Dinamarca (23ª), Armênia (55ª), Bulgária (64ª)
Grupo C: Suécia (22ª)
Grupo D: Hungria (30ª), Romênia (31ª), Turquia (49ª)
Grupo E: Eslovênia (29ª), Islândia (54ª)
Grupo F: Portugal (11ª)
Grupo G: Bósnia (18ª), Grécia (12ª)
Grupo H: Ucrânia (26ª), Montenegro (27ª)
Grupo I: França (25ª)