A ansiedade acabou. Cristiano Ronaldo finalmente marcou seus primeiros gols com a nova camisa, da Juventus. Neste domingo, em Turim, o português, de 33 anos, marcou os dois gols da vitória sobre o Sassuolo por 2 a 1. Foi o quarto jogo do atacante no novo clube. E poderiam ser mais gols. O primeiro foi um presente da defesa adversária, mas o segundo foi bastante característico. Ronaldo tira um peso dos seus ombros, diante da expectativa gigantesca que se criou. O time também joga mais tranquilo, com o seu craque satisfeito por ter marcado seus gols.

LEIA TAMBÉM: Um gol à la Roberto Carlos fez a Inter perder do Parma sendo vítima da Lei do Ex

O clima no estádio era de certa apreensão. Não por temerem que a Juventus não vencesse, mas pela expectativa de ver Cristiano Ronaldo marcar um gol. Ele é o assunto mais falado e parece que o gol, o perseguido primeiro gol, é algo que pesa contra o time, mesmo com as vitórias. Mas sabia-se que eventualmente o gol aconteceria. E os torcedores presentes tiveram a sorte que fosse neste jogo.

O técnico Massimiliano Allegri levou a campo um time com três atacantes: Cristiano Ronaldo, Paulo Dybala e Mario Mandzukic. Os três se movimentando muito, mas com Mandzukic e Ronaldo se revezando como o jogador mais centralizado nos ataques. Na média de posicionamento, Cristiano Ronaldo normalmente fica um pouco mais à esquerda, com Mandzukic sendo o ponta de lança, mais à frente. Dybala vem um pouco mais de trás, normalmente mais pela meia direita.

O primeiro tempo acabou sendo frustrante para o público presente em Turim, sem gols. Isso mudaria no segundo. Aos cinco minutos, Cristiano Ronaldo ganhou um presentaço. Depois de cruzamento para a área, o zagueiro Gianmarco Ferrari tocou de cabeça para trás, de forma estranha. A bola bateu na trave e se ofereceu, em cima da linha, para Cristiano Ronaldo, que empurrou para a rede.

O segundo gol viria aos 20 minutos do segundo tempo. Em um contra-ataque, Emre Can carregou a bola e abriu na esquerda para Cristiano Ronaldo, bem posicionado. O atacante dominou e chutou de pé esquerdo, cruzado, tirando fo goleiro: 2 a 0 e muita comemoração do português. Houve ainda chances de mais gols, inclusive do próprio camisa 7, mas os gols não saíram. Ronaldo chutou nove vezes a gol no total, mostrando que as tentativas não faltaram.

Quem  teve também uma ótima atuação foi o lateral direito João Cancelo, que foi muito participativo no jogo. Deu opções e tornou o lado direito da Juventus sempre bem protegido e também perigoso no ataque, a sua principal virtude. Só que a atuação da Juventus não foi grande coisa, exceto por Ronaldo. E Douglas Costa foi certamente o pior deles, que começou com o gol que diminuiu o placar.

O lance do gol do Sassuolo começou em uma entrada dura de Douglas Costa em Federico di Francesco, que não gostou. Ao levantar para tirar satisfações com o brasileiro, Costa deixou o cotovelo. O lance continuou, houve o cruzamento de Cristian Dell’Orco, que Khouma Babacar completou para o gol, de cabeça. Diminuiu o placar para 2 a 1, já aos 46 minutos do segundo tempo.

Já na comemoração do Sassuolo, Douglas Costa deu uma cabeçada, ainda que leve, em Di Francesco. O árbitro deu apenas cartão amarelo ao brasileiro, o que saiu já muito barato. Inconformado, Costa continuou discutindo. E enquanto discutia com Di Francesco no centro do campo, Douglas Costa cometeu um ato que não pode ser descrito de outra forma que não desleal: cuspiu no adversário.

O árbitro, que estava longe, veio para perto, tirou o cartão vermelho do bolso e expulsou o jogador brasileiro. Perdeu a cabeça de forma injustificável e merece uma punição dura e muito forte, diante de algo tão baixo. Há a expectativa que ele tome um gancho mínimo de três a cinco jogos, mas a punição pode ser ainda maior.