O atacante Cristiano Ronaldo, de 35 anos, fará doações para financiar novas alas de UTI em hospitais em Lisboa e no Porto. As doações serão feitas junto com o seu empresário, Jorge Mendes. Eles irão financiar o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) e também o Hospital Santo Antonio, que é parte do Centro Hospitalar Universitário do Porto. A informação foi confirmada pela ESPN do Reino Unido.

Segundo a CHULN, as duas novas alas de UTI do hospital ganharão os nomes dos dois doadores. “O empresário Jorge Mendes e Cristiano Ronaldo irão doar duas Unidades de Terapia Intensiva que serão totalmente equipadas e terão a capacidade para 10 leitos”, diz um comunicado enviado pela CHULN à ESPN.

“As unidades serão equipadas com a contribuição de caridade de Mendes e Ronaldo. Os equipamentos incluem camas, respiradores, monitores cardíacos, bombas de ar e seringas de infusão, equipamentos essenciais no cuidado de pacientes graves do COVID-19”, informou ainda o Hospital.

“Essas unidades, chamadas de UTI Jorge Mendes e UTI Cristiano Ronaldo, depois que a pandemia de COVID-19 acabar, será convertida e irá permanecer como reforço da medicina intensiva, que tinha 31 leitos antes da pandemia, aumentando a capacidade para 51 leitos”, diz a nota.

O Centro Hospitalar Universitário do Porto também agradeceu a doação das duas figuras conhecidas do mundo do futebol. “Esta unidade vai permitir a abertura de 15 camas de cuidados intensivos, integralmente equipadas com ventiladores, monitores e restante equipamento”, indicou o Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUP), onde se insere o Santo António, à Lusa.

“O Centro Hospitalar Universitário do Porto agradece ao Cristiano Ronaldo e Jorge Mendes esta iniciativa tão útil, num momento em que o país de todos tanto necessita”, afirmou o presidente do conselho de administração, Paulo Barbosa.

Segundo o Mais Futebol, as doações dos dois, somadas, chegam a cerca de € 1 milhão. Ronaldo está em quarentena na sua cidade natal, Madeira. Três companheiros de equipe da Juventus foram diagnosticados com a COVID-19: Daniele Rugani, Blaise Matuidi e Paulo Dybala. Portugal tem, até o momento, 2.060 casos confirmados da COVID-19, com 23 mortes. Na última quinta-feira, o país declarou estado de emergência pelo risco de contágio do vírus.