Cristiano Ronaldo foi substituído nas duas últimas partidas da Juventus antes de se apresentar a Portugal. Em ambas, contra Lokomotiv Moscou e Milan, seu time ainda buscava a vitória. A situação não é comum. Depois da vitória por 2 a 0 sobre Luxemburgo, no último domingo, na qual a seleção portuguesa carimbou vaga na Eurocopa de 2020, o craque português explicou que está lidando com problemas físicos há três semanas.

A alteração contra o Milan causou a maior polêmica porque o jogo ainda estava no começo do segundo tempo e Ronaldo deixou o gramado visivelmente frustrado – e teria saído do estádio antes do fim do jogo. Sarri depois explicou que ele havia levado uma pancada no joelho durante um treinamento.

“Tenho jogado limitado nas últimas três semanas. Não houve polêmica nenhuma. Vocês (jornalistas) que a criaram. Tentei ajudar a Juventus. Ninguém gosta de ser substituído, mas entendo, porque não estava bem. Nesses dois jogos (por Portugal), também não estava 100%. Eu me sacrifiquei pela equipe. Poderíamos ficar de fora (da Euro) e me sacrifiquei também pela seleção”, disse.

“É uma dor que me impede de estar 100%, mas tento jogar sempre. Às vezes, não dou mais porque não consigo, mas colocaram muita polêmica onde ela não teria que existir. O clube sabia que eu estava limitado. O mais importante é que ganhamos, que a Juventus está em primeiro lugar e eu estarei bem o mais rápido possível”, acrescentou.

Contra Luxemburgo, Ronaldo anotou seu 99º gol pela seleção portuguesa e está a um da marca centenária. “O gol 100 vai aparecer de forma natural. Os meus recordes são para bater e vou batê-los”, prometeu.