A goleada por 4 a 0 do Napoli sobre o Genk, na última rodada da fase de grupos da Champions League, poderia soar como um momento de paz para o técnico Carlo Ancelotti. Longe disso. A sua demissão era dada como certa independente do resultado por alguns veículos europeus, o que realmente se confirmou. Horas depois do fim do jogo, o Napoli publicou um comunicado que anunciava a demissão do badalado treinador.

“A Società Sportiva Calcio Napoli decidiu revogar o cargo de treinador da primeira equipe do Sr. Carlo Ancelotti. As relações de amizade, estima e respeito mútuo entre a empresa, seu presidente, Aurelio De Laurentiis, e Carlo Ancelotti permanecem intactas”, diz o comunicado do clube, replicado no Twitter.

Por que um clube demite um técnico depois de uma vitória por 4 a 0? Obviamente, tem pouco a ver com o jogo e mais a ver com a situação como um todo. O Napoli faz uma temporada abaixo do que se esperava na Serie A. O time é apenas o sétimo colocado no Campeonato Italiano, com sete jogos sem vencer. A última vitória na liga foi no dia 19 de outubro, 2 a 0 contra o Verona. Os resultados estão ruins, mas não é só isso. O desempenho tem sido abaixo do esperado também.

Isso tudo é um aspecto, mas não é o único. A relação entre Ancelotti e direção do Napoli é muito ruim já há algum tempo. Uma reunião estava programada para a quarta-feira, mas foi antecipada para a noite de terça, depois do jogo. Segundo informa a Sky Sport Italia, foi uma reunião rápida, porque o presidente, Aurelio De Laurentiis, já tinha tomado a decisão antes e só a comunicou a Ancelotti. Antes da reunião, na coletiva após o jogo do Napoli, Ancelotti deu mais detalhes sobre a reunião anterior com o dono do Napoli.

A situação estava tensa desde que o presidente ordenou que os jogadores fizeram uma concentração para melhorar o futebol do time. Em coletiva de imprensa, o técnico se disse contrário à ideia. Os jogadores entraram em motim e se recusaram a voltar ao hotel para ficarem em regime de concentração.

O clube reagiu de forma contundente. Alguns jogadores receberam multas de quase 50% dos salários. A Associação de Jogadores da Itália e a FIFPro ameaçaram processar o clube pelo tratamento dado aos jogadores.

De Laurentiis e seu filho tentaram impor a sua vontade aos jogadores, passando por cima do técnico e criou um problema que parece difícil de ser superado. O elenco do Napoli não gostou e a vontade de passar por cima encontrou uma barreira em Ancelotti. A esta altura, é difícil medir o quanto isso causou problemas no vestiário do Napoli, ou mesmo na relação entre o técnico e os jogadores.

O que sabemos é que tudo estava tenso e o campo não vinha ajudando, especialmente no Campeonato Italiano. A demissão de Ancelotti passa longe de ser uma surpresa. Resta saber se o Napoli encontrará um caminho para voltar a ser um time competitivo e o principal concorrente da Juventus – ou que seja um concorrente a mais. Ancelotti assumiu o time em 2018, depois da saída de Maurizio Sarri para o Chelsea – também bastante conturbada. Com Ancelotti, o Napoli foi o concorrente da Juventus e terminou em segundo lugar na temporada passada.

O sucessor? Tudo indica que será Gattuso

A diretoria do Napoli parece já estar decidida. Segundo informa o Sport Mediaset, Gattuso já aceitou um acordo por seis meses. Receberá € 1,5 milhão por esta temporada. Se o clube ficar entre os quatro primeiros colocados, o que significa vaga na próxima Champions League, o seu contrato será automaticamente renovado até junho de 2021, com salário de €3 milhões por temporada.

Gattuso foi demitido do Milan no dia 28 de maio, depois de ficar fora da classificação à Champions League. Ele abriu mão de receber o dinheiro que teria direito até o fim do seu contrato, mas garantiu que a sua equipe receberia integralmente o que era devido.

O ex-jogador já foi especulado em diversos times italianos nesta temporada: Fiorentina, Genoa e Sampdoria, por exemplo. Curiosamente, ele irá substituir aquele que foi o seu técnico em um grande momento de auge do Milan.

Resta saber quem irá continuar no Napoli depois dessa devassa da diretoria sobre a comissão técnica. Se Gattuso for mesmo o nome indicado, é bastante possível que ele seja o responsável por fazer uma limpa no elenco, vendendo os jogadores insubordinados, ao menos na visão do presidente do Napoli.

Ancelotti não deve ficar muito tempo sem trabalho, se estiver disposto a assumir outro clube. Arsenal e Everton, por exemplo, são dois clubes que chegaram a especular o seu nome. O fato de estar no mercado pode acelerar esse processo.