O Brasil estreou de forma decepcionante no Torneio das Nações nos Estados Unidos. Diante da Austrália, as brasileiras foram derrotadas por 3 a 1, em um jogo que o time criou poucas chances e sofreu tanto defensiva quanto ofensivamente. O time dirigido por Vadão tomou dois gols oriundos de escanteio no primeiro tempo, com falhas de marcação. No segundo, tomou um gol de contra-ataque e, mesmo forçando no final do jogo, pouco conseguiu fazer em campo. Só conseguiu diminuir o placar no fim do jogo, em jogadas de muito talento individual. O time, mal organizado em campo, não conseguiu competir com a Austrália na maior parte do jogo.

LEIA TAMBÉM: Marta segue fazendo história: é indicada ao prêmio de melhor do mundo pela 13ª vez na Fifa

Vadão escalou o Brasil em um 4-4-2, bastante alinhado. O setor de meio-campo era o maior problema do time. Tanto na marcação quanto na criação, o time parecia ter problemas. Dava espaço para a Austrália trabalhar no setor e tinha dificuldade para recuperar a bola. Quando tinha a bola nos pés, tinha problemas em criar. Ficando pouco com a bola, o Brasil assistia à Austrália chegar ao ataque sem muita dificuldade.

Aos sete minutos, em um lançamento longo nas costas da defesa brasileira, mas Poliana cortou. Na cobrança do escanteio, Poliana tocou contra, para trás, e a Austrália abriu o placar: 1 a 0. Mesmo vencendo, a Austrália seguia atacando. Aos 24 minutos, a Austrália quase chegou ao segundo gol. Em um cruzamento de Kerr, Burr cabeceou desequilibrada, para fora.

O Brasil só conseguiu chegar bem ao ataque aos 29 minutos. Andressinha recebeu pelo meio, recebendo de Marta, girou sobre a marcação e finalizou, mas a goleia defendeu com tranquilidade. As australianas fizeram muitas faltas, parando as jogadas mais rápidas do Brasil. Marta sofreu faltas seguidamente.

Aos 39 minutos, a Austrália chegou ao segundo gol, novamente em escanteio. Desta vez, a bola passou por todo mundo, inclusive pela goleira Bárbara, que saiu do gol sem alcançar a bola, a zagueira Daiana afastou mal e Butt, livre, tocou de cabeça para marcar 2 a 0. Chegando pouco ao ataque, a Seleção sofria para criar jogadas. O Brasil voltou a chegar ao ataque aos 43 minutos. Thaísa interceptou um passe tocando de primeira para Marta, que avançou, com liberdade, e chutou cruzado, mas mandou fora.

Aos quatro minutos do segundo tempo, em um contra-ataque rápido, Butt lançou Samantha Kerr nas costas de Daiane, entre a zagueira e a lateral, e ela chutou bem, no alto, finalizando com precisão enorme: 3 a 0 para as australianas. Para tentar melhorar o panorama do jogo, Vadão tirou de campo Thaís e colocou Adriana. O time brasileiro tinha dificuldade em manter a posse de bola. A Austrália, por sua vez, gastava o tempo tocando a bola. Pouco depois, Vadão tirou Andressinha e colocou Camila em campo, uma jogada ainda mais ofensiva.

O Brasil conseguiu diminuir o placar em uma jogada inteiramente baseada no talento. Camila fez o drible para se livrar da marcação de duas jogadoras, fez o lançamento para Marta na ponta esquerda e a craque brasileira passou pela marcação para chegar à linha de fundo, cruzar e Debinha aparecer em velocidade para tocar de primeira: 3 a 1.

Aos 39 minutos, o Brasil chegou com grande perigo. Novamente, na jogada individual. Marta recebeu, desta vez na ponta direita, driblou a marcadora e cruzou de pé direito. Bia chegou tocando de primeira, mas a goleira australiana fez a defesa. No final do jogo, com as australianas na defesa, o Brasil ainda tentou, sempre em jogadas individuais, buscar o segundo gol, sem sucesso.

O próximo jogo será no domingo, quando o Brasil joga contra o Japão, às 17h15 (horário de Brasília). O jogo terá a transmissão da CBF TV, no site da entidade, e também no SporTV 3.