Craque livre: Anulação do gancho de Messi deixa a Argentina com um problema a menos

Fifa reduziu a sanção ao camisa 10 por ofender a arbitragem e ele poderá voltar já na próxima rodada das Eliminatórias

A Argentina pode respirar aliviada para a intrincada reta final das Eliminatórias da Copa do Mundo. Lionel Messi estará de volta. Nesta sexta, a Comissão de Apelação da Fifa aceitou a reclamação da Albiceleste, para que diminuísse a sanção ao camisa 10 por ofender a arbitragem, após a vitória sobre o Chile. De fato, os quatro jogos de gancho soavam um tanto quanto exagerados ao atacante. Assim, a entidade internacional optou por liberar o jogador de vez: depois de cumprir a primeira partida da suspensão, Messi poderá reforçar o time livremente nos últimos compromissos, tentando buscar a classificação ao Mundial de 2018.

A federação argentina providenciou a defesa de Messi, enquanto o atacante se envolveu diretamente com o processo de sua defesa. No entanto, o craque optou por não estar presente na audiência realizada nesta sexta, que acatou o pedido de redução da pena. De qualquer maneira, os relatos de bastidores dão conta do empenho do camisa 10 para garantir sua presença na últimas três rodadas das Eliminatórias. Além disso, se afastaram as teorias conspiratórias de que a AFA teria sido conivente com a punição desmedida por puro joguete político.

A maior preocupação de Messi se concentrava na próxima rodada, quando a Argentina visita o Uruguai, no Estádio Centenário. Já nas duas últimas partidas da competição, desafios um pouco mais brandos, recebendo Venezuela e Peru. Ainda assim, a Albiceleste não pode dormir no ponto: somando 22 pontos, aparece na quinta colocação das Eliminatórias, o que forçaria o time a disputar a repescagem. Principal ameaça, o Equador tem dois pontos a menos.

O retorno de Messi, por fim, representa uma dor de cabeça a menos para a AFA. Desmandos à parte, a prioridade da entidade agora é assinar com o substituto de Edgardo Bauza no comando técnico. E, segundo a imprensa local, o camisa 10 também deu os seus pitacos durante o processo decisório. Com o dono do time em campo, os temores sobre a ausência de alguém que coloque ordem na casa diminuem. Afinal, o impacto do craque na campanha é inegável: com o atacante, o time conquistou 15 de 18 pontos possíveis; sem ele, são sete pontos em 24. Se o coletivo não se encaixar, aquele que mais pode resolver no talento estará presente.