A busca pelos playoffs na conferência leste da MLS parece mais com uma corrida maluca a cada semana que passa. Faltando pelo menos seis jogos para cada time, Columbus, Kansas City, Philaldephia, Houston, DC United e New York ainda fazem uma estranha briga pelas vagas que o leste tem direito na pós-temporada.

A Conferência Leste passa por um momento tenso na história recente da MLS. Em 2008, dois times do leste fizeram a final da MLS, mas nas duas temporadas seguintes, a conferência não conseguiu levar mais que três clubes aos playoffs (sendo que levou apenas dois em 2010). Sem contar que dos últimos seis títulos da liga, cinco foram para times do oeste.

Só que uma mudança no formato dos playoffs pode ajudar em uma melhora da situação do Leste. Ao invés de oito times, como era até o ano passado, dez clubes irão para a pós-temporada a partir desse ano. Cada conferência terá três vagas garantidas, enquanto as outras quatro serão dadas aos seguintes times de melhor pontuação, não importando de qual conferência eles venham.

Com três vagas garantidas em jogo, o New York Red Bulls parecia uma escolha óbvia. Uma boa zaga, composta por Ream e Marquez, e um bom sistema ofensivo comandado por Thierry Henry poderiam fazer a diferença para os touros vermelhos. Mas o clube da Big Apple venceu  apenas seis de seus vinte e sete jogos na liga até agora e já figura fora da zona dos playoffs há cinco partidas.  E é justamente um dos motivos pelo qual o time era favorito que vem matando as suas chances. Rafa Marquez está em péssima fase e anda mais assistindo o jogo do que marcando os adversários. Isso já custou muitos pontos ao New York e ainda pode render mais problemas até o fim da temporada.

O atual líder da conferência leste é o Sporting Kansas City, lado a lado com o Columbus Crew. Sim, aquele mesmo Sporting que conquistou apenas seis pontos em seus dez primeiros jogos na temporada (todos realizados como visitante). Mas a abertura do novo estádio fez um bem incrível ao Sporting.  Com um aproveitamento em torno de 63% em todos seus jogos desde a inauguração do Livestrong Sporting Park, o clube do Missouri conseguiu uma bela arrancada e uma bela vitória em um confronto direto com o Houston no último sábado colocou o clube no topo do leste.

O Sporting só chegou à liderança por causa do grande tropeço do Columbus Crew, que perdeu para o Toronto FC, o segundo pior time da liga, em casa, no último sábado. O clube de Ohio, último campeão da MLS vindo do leste, alterna muito entre altos e baixos. Em um curto espaço, o Crew conseguiu ótimas vitórias para cima de Real Salt Lake (em SLC, onde é muito difícil de ganhar) e Philadelphia Union (rival na disputa pela conferência), mas sofreu goleada de 6 a 2 frente ao Seattle Sounders e já comentada derrota em partida contra o TFC. E tudo isso somado a uma derrota para um clube da 3ª divisão do país na US Open Cup. Realmente não dá para saber o que esperar desse time.

Atrás dos dois vem o Philadelphia Union, que nunca saiu das dez primeiras posições na liga, mas não vive seu melhor momento no campeonato. O time vem em uma sequência de oito jogos sem ganhar e sofreu para arrancar um empate contra o New England Revolution na última semana, depois de estar perdendo por 4 a 1, mesmo jogando em casa. O lado bom dessa draga é que Sebastien Le Toux, artilheiro dos zolos na última temporada parece ter achado seu toque mágico. O francês marcou cinco vezes nessas últimas oito partidas, sendo que só havia encontrado as redes uma vez nos dezenove duelos anteriores.

O Houston Dynamo é o quarto colocado do leste e aparece como a terceira melhor campanha sem contar os líderes de conferência e por isso, teria uma vaga nos playoffs. O desempenho do Dynamo na liga é atrapalhado por um fator, a péssima campanha do time fora de casa. Apesar de ser o clube que mais empatou como visitante (oito vezes), o time não tem nenhuma vitória. Um ou dois triunfos fora de casa dariam uma ótima posição para o Houston na disputa pelos três primeiros lugares da conferência, que jogarão uma partida a menos que os outros quatro classificados.

Se o Dynamo não consegue vencer fora de casa, o contrário acontece com o D.C. United, que já conquistou cinco triunfos como visitante, dois a mais do que conseguiu como mandante. O time da capital norte-americana não teve um bom início de temporada, mas ressurgiu junto com Charlie Davies e ainda teve a ótima adição de Dwayne DeRosario. Cada um já ganhou o prêmio de melhor jogador da semana duas vezes, enquanto o coadjuvante, mas sempre presente Chris Pontius também recebeu a honra em uma rodada. Só que para azar do DCU, Pontius ficará fora do resto da temporada devido a uma lesão. Então é hora de voltar a confiar fielmente em DeRo e Davies.

A situação da conferência anda tão bagunçada que até Chicago, New England e Toronto, que jogaram muito pouco durante toda a temporada ainda veem uma luz no fim do túnel e chances de ir aos playoffs. A diferença entre os três, que têm 27 pontos cada, e o DC United, último time da zona dos playoffs, é de apenas sete pontos. Mas apesar dessa diferença tão pequena é bastante improvável que qualquer um chegue a pós-temporada.

Na Conferência Leste existe de tudo. Jogadores de sucesso fazendo feio (Marquez, Rost), antigas promessas ressurgindo (Myers, Adu), favoritos absolutos ficando para trás (Red Bulls), novatos jogando como se fossem experientes (Kitchen) e outras coisas mais. A única coisa que ainda não foi vista no leste é time querendo se qualificar para os playoffs.