A Premier League, A English Football League (EFL) e a Football Association (FA) decidiram adiar todos os jogos no futebol do país até os dias 3 e 4 de abril. As ligas estavam resistentes a parar seus campeonatos, com calendário atribulado, apesar da imensa ameaça do Coronavírus que se espalha no país, inclusive com jogadores e técnicos contaminados.

Na noite de quinta, a Premier League tinha anunciado que os jogos deste fim de semana seguiriam normalmente. Só que pouco depois, o Arsenal confirmou que o seu técnico Mikel Arteta, testou positivo para o COVID-19. O Chelsea anunciou mais tarde que Callum Hudson-Odoi, jogador do clube, também testou positivo.

Diante do cenário, a Premier League fez uma reunião de emergência. Os clubes foram consultados na liga. Além da Premier League, que cuida da primeira divisão de futebol do país, a EFL, que cuida da segunda, terceira e quarta divisão, também irá parar. A FA também aderiu, o que significa que os jogos da Women’s Super League, de Futebol Feminino, e a FA Women’s Champions, primeira e segunda divisões, respectivamente, também estão suspensas.

“Depois de uma reunião com todas as partes envolvidas hoje, foi decidido de forma umânime suspender a Premier League com a intenção de retornar no dia 4 de abril, sujeito a conselhos médios e condições no momento”, afirma o comunicado da Premier League.

“Apesar de todos os desafios, o objetivo da Premier League é remarcar os jogos adiados, incluindo aqueles jogados pelas categorias de base quando for seguro fazer isso. Nesse ambiente de mudança rápida, novas atualizações serão fornecidas quando for apropriado”, comunica ainda o texto divulgado pela Premier League.

“Acima de tudo, nós todos desejamos que Mikel Arteta e Callum Hudson-Odoi tenham recuperações rápidas e todos os afetados pelo COVID-19. Nesta situação sem precedentes, nós estamos trabalhando proximamente com os clubes, governo, a FA, a EFL e podemos assegurar a todos que a saúde e bem-estar dos jogadores, comissões técnicas e torcedores são a nossa prioridade”, disse Richard Masters, executivo-chefe da Premier League.

A EFL também divulgou comunicado sobre os adiamentos. “A FA, Premier League, EFL e Barclays FA Women’s Super League e FA Women’s Championship coletivamente concordaram em adiar o futebol profissional na Inglaterra até o dia 3 de abril, pelo menos”, diz a nota. “Esta ação, que estará sob constante revisão, foi tomada devido ao aumento do número de clubes dando passos para isolar os seus jogadores e funcionários por causa do vírus COVID-19”.

O comunicado da EFL ainda fala sobre recomendações para os clubes. “Os adiamentos incluem todas as partidas da Championship, League One e League Two, assim como os jogos de categorias de base. Além disso, os clubes estão sendo aconselhados a suspenderem indefinidamente as atividades não-essenciais o que inclui, mas não se limita, aparições de jogadores, visitas ao campo de treinamento e encontros com torcedores”, diz ainda o comunicado.

“Enquanto a diretoria da EFL continuou a seguir os conselhos e orientações oferecidos pelo governo e seus consultores de saúde, desenvolvimentos emergentes significam que agora é a hora de implementar os planos de contingência do futebol em resposta à crise”, segue o texto. “Uma atualização adicional sobre esses planos será dada após uma reunião do conselho da EFL na próxima semana”.

“Esta decisão não foi tomada facilmente, mas a EFL deve priorizar a saúde e o bem-estar de jogadores, funcionários e torcedores, ao mesmo tempo em que reconhece os esforços nacionais do governo para combater esse surto”, finaliza o documento.

Os clubes ingleses já estão se auto isolando, como o Arsenal, depois da confirmação que Arteta está com o COVID-19. O time todo está em quarentena. O mesmo com um jogador do Everton, que teve sintomas similares ao do Coronavírus. O Watford também cancelou seus treinamentos depois de vários jogadores sentirem também sintomas que podem ser do vírus. Acontece o mesmo com o Bournemouth, com membros da comissão técnica e também o goleiro Artur Boruc apresentando os sintomas. O técnico do Leicester, Brendan Rodgers, confirmou que três dos seus jogadores estão com os sintomas e foram isolados do resto do elenco.

A Premier League adiou os jogos até o dia 4 de abril, pelo menos. Foi a última das grandes ligas a tomar alguma medida de contenção contra o surto de Coronavírus. Mesmo com outros países tomando medidas drásticas, como a Itália inclusive proibindo a circulação de pessoas na rua, no Reino Unido as coisas continuaram acontecendo normalmente. Um dos maiores eventos de turfe do mundo, com a corrida de Cheltenham reunindo milhares de pessoas nas arquibancadas por quatro dias consecutivos.

Em carta à diretoria da EFL, o presidente da liga, Rick Parry, sugeriu que será possível terminar a temporada, porque é possível que o adiamento da Eurocopa realmente aconteça. “Como muitos de vocês estão cientes, a Uefa se encontra na terça-feira para discutir a abordagem em relação à Eurocopa 2020, assim como Champions League e Liga Europa, assim como as situações domésticas nas ligas europeias”, disse o dirigente, segundo a BBC.

“Prevê-se que o resultado dessas deliberações possa oferecer oportunidades que possam ser benéficas para a conclusão da liga ou, no mínimo, informar um plano de contingência”, diz ainda Rick Parry na nota enviada à diretoria da EFL.

Jogos da seleção inglesa cancelados

Além dos jogos de clubes, a FA anunciou também que os dois amistosos que a Inglaterra disputaria no final de março também foram cancelados. Os torcedores que compraram ingressos terão seu dinheiro devolvido em até 14 dias, segundo a FA.