Começou. A Libertadores 2015 dá o seu pontapé inicial nesta terça-feira com dois confrontos da primeira fase: o Alianza Lima, do Peru, recebe o Huracán, da Argentina, um pouco antes do duelo entre Morelia e The Strongest. Mas o filé está nos dias seguintes, quando o Corinthians, diante do Once Caldas, tenta não repetir o fracasso de 2011 contra o também colombiano Tolima, e o Estudiantes tem um encontro aparentemente burocrático com o Independiente del Valle.

LEIA MAIS: Este é o calendário da primeira fase e da fase de grupos da Copa Libertadores 2015

Ainda são apenas os primeiros jogos da Libertadores e a fase de grupos está longe de começar, mas a principal competição do continente já tem seus atrativos. Quais? É só rolar a barrinha para baixo:

O jogão

Corinthians x Once Caldas

Ida: 04/02, em São Paulo (22h)
Volta: 11/02, em Manizales (22h)

Dois campeões da Libertadores enfrentando-se logo na primeira fase. De um lado, o Corinthians, sob nova direção e com crise financeira, mas ainda assim um time forte, quarto colocado do Campeonato Brasileiro. Tem mais talentos que todos os outros times: Guerrero, Elias, Gil, Cássio e Renato Augusto. Precisa encaixar com Tite no comando e o desafio de um jogo decisivo tão no começo da temporada pode atrapalhar.

O Once Caldas também não está voando. Classificou-se à Libertadores com a terceira melhor campanha somando o Apertura e o Finalización. Na fase final do primeiro, caiu logo nas quartas de final; na do segundo, foi lanterna do seu grupo. Tem no goleiro José Fernando Cuadrado, o terceiro reserva da seleção colombiana, o seu principal jogador. Na linha, o destaque fica com o ponta esquerda Johan Arango, de 23 anos, tão talentoso dentro de campo quanto problemático fora dele. O Once Caldas também pode pecar pela falta de entrosamento, já que conta com dez novos jogadores no seu elenco.

Diferente do Corinthians, que bateu tranquilamente o Marília por 3 a 0, no último domingo, na estreia oficial da temporada, o Once Caldas foi derrotado Independiente Medellín por 2 a 0, em casa.

O brasileiro

Fernando Martelli (The Strongest)

Morelia x The Strongest
Ida: 04/02, em Morelia (00h30)

Volta: 10/02, em La Paz (22h45)

Evidentemente, os brasileiros do Corinthians não contam. A zaga do The Strongest terá Fernando Martelli como titular contra o Morelia. Aos 28 anos, defendeu o La Paz, Real Potosí, o Nacional Potosí e está no seu atual clube desde junho de 2014. Pouco conhecido aqui no Brasil, virou notícia na Bolívia quando fez um gol do seu próprio campo de defesa contra o San José, ainda pelo La Paz:

O craque

Álvaro Recoba (Nacional)

RECOBA-TAPA-1
Álvaro Recoba pelo Nacional

Recoba tem muitos anos nas costas. Trinta e oito deles, para ser exato, e sua técnica continua intacta. Ainda decide clássicos, faz gols olímpicos e é mortal nas cobranças de falta. Tem a experiência e a qualidade, embora as pernas não sejam as mesmas, para liderar o Nacional no seu confronto contra o chileno Palestino.

A (potencial) surpresa

Palestino x Nacional

Ida: 05/02, em Santiago (20h45)
Volta: 12/02, em Montevidéu (20h15)

E esse duelo pode ser a potencial surpresa da primeira fase da Libertadores. O Nacional tem três títulos da competição, o mesmo número de participações do adversário até a atual edição. Classificou-se em segundo lugar no geral sem ter conseguido ir para nenhuma das finais. Um desempenho melhor que o do Palestino, quarto na tabela acumulada. Os uruguaios são os favoritos, mas devem levar a partida a sério para não serem surpreendidos.

A barbada

Independiente del Valle x Estudiantes

Ida: 05/02, em Quito (23h)
Volta: 12/02, em La Plata (22h45)

Impossível comparar o tamanho das duas equipes. O Independiente del Valle nunca foi campeão equatoriano, muito menos da Libertadores. Joga a competição pela segunda vez seguida – venceu o Botafogo ano passado. Mas do outro lado está o Estudiantes, um dos grandes clubes da Argentina, tetracampeão sul-americano. O maior favorito dessa fase da Libertadores.

O estrangeiro

David Depetris (Morelia)

David Depetris nasceu em San Jorge, na Argentina, é verdade, mas tem cidadania eslovaca, a nacionalidade mais curiosa da primeira fase da Libertadores. E jogou lá: passou quatro temporadas no Trencin. Em 2013, defendeu a seleção da Eslováquia duas vezes, uma como titular, contra Romênia e Gibraltar. É uma das esperanças de gols do Morelia, lanterna do Apertura 2014 e atualmente na última posição do Clausura 2015, contra o The Strongest.

O equilíbrio

Alianza Lima x Huracán

Ida: 03/02, em Lima (22h15)
Volta: 10/02, em Buenos Aires (20h15)

O duelo mais equilibrado parece ser entre o Alianza Lima e o Huracán. Os peruanos têm mais tradição na Libertadores, na sua 24ª participação, mas os argentinos vêm credenciados pelo título da Copa da Argentina logo depois do acesso à primeira divisão. Também são de um país geralmente melhor na prática do futebol. O Alianza tem um ligeiro favoritismo, mas o duelo é bastante equilibrado.

Lembra dele?

Daniel Güiza (Cerro Porteño)

Güiza, pelo Cerro Porteño
Güiza, pelo Cerro Porteño

Deportivo Táchira x Cerro Porteño
Ida: 05/02, em San Cristóbal (00h30)
Volta: 11/02, em Assunção (19h30)

O último duelo é entre Deportivo Táchira e Cerro Porteño, também bastante equilibrado, e a estrela em campo é o atacante espanhol Daniel Güiza, campeão europeu de 2008. Está com 34 anos e na sua terceira temporada pelo clube depois de deixar o Getafe, em 2013.

As viagens

Sempre que tem um time mexicano na parada, ele ganha o prêmio de maior viagem. Desta vez, não será diferente: Morelia e La Paz, casa do The Strongest, estão a 14 horas de avião de distância. Mas talvez a viagem mais complicada seja a do Cerro Porteño, que precisa pegar quase 11 horas de voo para chegar a Cúcuta e depois subir em um ônibus para alcançar San Cristóbal. Palestino e Nacional praticamente não precisam se mexer: duas horas de distância entre Santiago e Montevidéu. O Corinthians, por sua vez, vai encarar nove horas para enfrentar o Once Caldas.