Camarões, liderado por Roger Milla, foi a primeira seleção africana a chegar às quartas de final da Copa do Mundo, com uma impressionante campanha na edição de 1990. Senegal foi a segunda. O feito abrilhantou ainda mais a incrível trajetória da equipe na Coreia do Sul e no Japão e foi alcançado com um gol de ouro, na prorrogação contra a Suécia, exatamente 15 anos atrás. E foi mais um belo gol coletivo da equipe treinada pelo francês Bruno Metsu.

LEIA MAIS: Coreia e Japão, 15 anos: mata-mata começa com vitória fácil da Inglaterra e suada da Alemanha

Senegal havia chocado o mundo ao vencer a atual campeã França, na primeira rodada, e conseguiu a classificação com dois empates, contra Dinamarca e Uruguai. Nas oitavas de final, encontrou-se com a Suécia, que vinha com uma baita credencial: liderou o grupo da morte, à frente de Argentina e Inglaterra.

Larsson, completando escanteio da esquerda, abriu o placar, aos 11 minutos do primeiro tempo, e Henri Camara empatou, com um chute de fora da área, antes do intervalo. A partida seguiu empatada até a prorrogação, quando o próprio Camara recebeu um passe de calcanhar de Pepe Thiaw, passou pela defesa sueca, entrou na área e bateu no canto de Magnus Hedman.

Festa para a equipe de Senegal, a mais encantadora do Mundial de 2002. Mas o conto de fadas estava chegando ao fim. Nas quartas de final, os africanos foram derrotados pela Turquia, por 1 a 0, também na prorrogação, e deram adeus a um mês de sonhos.