Eliminatórias da Copa

30 jogadores que aproveitaram bem a Data Fifa e ganharam moral em suas seleções

Aproveitamos o fim da Data Fifa para fazer um balanço dos jogadores que se sobressaíram

A Data Fifa costuma ser um prato cheio de personagens alternativos e talentos a se observar. Não seria diferente nas duas últimas semanas, com uma porção de jogos importantes pelas Eliminatórias e ainda o desfecho da Liga das Nações. Com a Copa do Mundo cada vez mais próxima, os jogadores tentam não só liderar suas equipes rumo ao Catar, mas também querem convencer os técnicos da permanência no elenco até lá. E diversos atletas brilharam ao longo dos últimos dias.

Abaixo, rodando por cinco confederações continentais, destacamos 30 jogadores que aproveitaram a Data Fifa para elevar seus nomes. Pegamos um futebolista por seleção e mencionamos principalmente os talentos dos times que somaram bons resultados. Em algumas equipes, privilegiamos também novidades em vez de nomes mais consagrados – como Raphinha no Brasil, em vez de Neymar, ou Theo Hernández na França, apesar das atuações de Mbappé na Liga das Nações.

Raphinha (Brasil)

Raphinha foi a grande notícia do Brasil na Data Fifa. O ponta do Leeds saiu do banco para transformar um jogo ruim da Seleção contra a Venezuela e também entrou bem contra a Colômbia, apesar do empate por 0 a 0. Diante do Uruguai, então, o jovem ganhou a primeira chance como titular e indicou que não deve sair tão cedo do time. Anotou seus dois primeiros gols com a Amarelinha e deu claras mostras de seu talento, principalmente pelo recurso do drible. Sai valorizado da goleada por 4 a 1, que teve Neymar como protagonista.

Rodrigo de Paul (Argentina)

Rodrigo de Paul foi essencial na conquista recente da Copa América, sobretudo pela partidaça contra o Brasil na decisão. E a Data Fifa salientou um pouco mais a importância do meio-campista do Atlético de Madrid. Ainda que Lionel Messi tenha dominado as manchetes na vitória sobre o Uruguai, De Paul esteve entre os melhores da equipe – com gol, assistência e muita participação na construção das jogadas. Também foi um dos melhores no triunfo sobre o Peru.

Ben Brereton, do Chile

Ben Brereton (Chile)

Ben Brereton virou xodó do Chile durante a Copa América. O atacante também vive uma ótima temporada pelo Blackburn na Championship e contribuiu bastante na Data Fifa. O jovem de 22 anos anotou dois gols nas duas vitórias da Roja, que reavivam as esperanças do time em busca do Mundial. O mais importante aconteceu nos 2 a 0 sobre o Paraguai, abrindo a contagem com passe de Mauricio Isla. Também fechou a conta nos 3 a 0 sobre a Venezuela, em noite estrelada por Erick Pulgar.

Enner Valencia (Equador)

O Equador não fez lá uma Data Fifa tão empolgante assim, com apenas uma vitória em três jogos. Enner Valencia, ao menos, comandou os 3 a 0 sobre a Bolívia e escreveu seu nome na história de La Tri: o atacante do Fenerbahçe se tornou o maior artilheiro da seleção em todos os tempos, graças aos dois gols anotados em Guayaquil. Valencia também marcou na derrota para a Venezuela e chegou aos 34 tentos pela equipe nacional, deixando para trás o idolatrado Agustín Delgado, que fez 31 entre os anos 1990 e 2000.

Rodrigo Ramallo (Bolívia)

A Bolívia, quem diria, segue no páreo por um lugar na Copa do Mundo. La Verde venceu dois jogos consecutivos, algo que não acontecia nas Eliminatórias desde 1993. E o ponto alto foi a goleada por 4 a 0 sobre o Paraguai em La Paz, a maior do país pelo qualificatório desde os 6 a 1 sobre a Argentina em 2009. A lembrança mais especial foi proporcionada por Rodrigo Ramallo, que abriu o placar com um golaço, em míssil direto no ângulo. O detalhe é que o atacante do Always Ready rendeu bem deslocado como ala direito.

Theo Hernandez marca contra a Bélgica (Laurence Griffiths/Getty Images/OneFootball)

Theo Hernández (França)

Individualmente, Kylian Mbappé foi a grande figura da conquista da França na Liga das Nações. Karim Benzema também deixou o torneio em alta, especialmente pelo golaço na final. Mas ninguém subiu tanto na hierarquia dos Bleus quanto Theo Hernández. O ala esquerdo provou como as ausências nas convocações eram um grande erro de Didier Deschamps. Marcou o gol da épica vitória sobre a Bélgica na semifinal e ainda deu a assistência para o gol do título na decisão contra a Espanha. Foi tudo aquilo que se vê no Milan.

Mikel Oyarzabal (Espanha)

A Espanha deixou o troféu escapar na Liga das Nações, mas ainda assim saiu do torneio em alta. E teve Mikel Oyarzabal como seu protagonista no Final Four. O atacante já vem em alta na Real Sociedad e, com os desfalques da Roja, virou a referência técnica no setor ofensivo. Foi brilhante na semifinal contra a Itália, com suas duas assistências. E também teve o gosto de abrir o placar na decisão, embora os espanhóis acabassem permitindo a virada francesa. Quase fez o segundo, mas parou em Hugo Lloris.

Dusan Vlahovic (Sérvia)

Por tudo o que joga na Fiorentina, será questão de tempo ver Dusan Vlahovic brilhar na Champions League – até por sua recusa em renovar com os violetas. E o centroavante também mostra como pode fazer a diferença para a Sérvia. Se o time está na liderança do Grupo A das Eliminatórias, é muito por conta do prodígio. Vlahovic marcou o gol decisivo no 1 a 0 contra Luxemburgo e também fez dois no triunfo por 3 a 1 sobre o Azerbaijão. Ofuscar Cristiano Ronaldo não é para qualquer um.

Isak comemora gol pela Suécia (Foto: Andreas Eriksson/Imago/One Football)

Alexander Isak (Suécia)

Enquanto a Espanha jogava a Liga das Nações, a Suécia conquistava vitórias cruciais e terminava a Data Fifa dependendo apenas de si para conquistar a vaga direta no Grupo B. Alexander Isak é uma das explicações para tal possibilidade. O atacante da Real Sociedad vem em ótima fase com os escandinavos desde a Euro 2020 e arrebentou nas duas vitórias recentes de sua equipe. Fez um golaço contra Kosovo e foi ainda melhor no crucial 2 a 0 sobre a Grécia em Solna. Sofreria um pênalti contra os gregos, além de anotar o segundo tento.

Breel Embolo (Suíça)

Outra seleção que tenta aprontar em seu grupo nas Eliminatórias é a Suíça. Com a Itália na Liga das Nações, os helvéticos cumpriram sua missão, com vitórias sobre Irlanda do Norte e Lituânia. Breel Embolo auxiliaria o time, que igualou a pontuação dos italianos, mesmo que fique atrás no saldo. O atacante do Borussia Mönchengladbach deu assistências para os dois gols diante dos norte-irlandeses e também marcou os dois primeiros diante dos lituanos, em lances de oportunismo. Outro que tinha se valorizado na Eurocopa.

Scott McTominay (Escócia)

A Escócia deu um passo enorme para disputar a repescagem nesta Data Fifa. No confronto direto com Israel dentro do Hampden Park, a Tartan Army venceu por 3 a 2, numa noite em que a equipe desperdiçou um pênalti e esteve duas vezes atrás no placar. Andy Robertson liderou os escoceses, mas o herói foi mesmo Scott McTominay, com o gol decisivo aos 49 do segundo tempo. Daqueles tentos que devem marcar a carreira do volante do Manchester United. McTominay ainda foi bem na apertada vitória sobre Ilhas Faroe por 1 a 0. Do lado israelense, fica a menção para Eran Zahavi, que fez um golaço de falta e se tornou o maior artilheiro da seleção.

Joakim Maehle, da Dinamarca (Imago / OneFootball)

Joakim Maehle (Dinamarca)

A Dinamarca se tornou a terceira seleção garantida na Copa do Mundo de 2022, com uma campanha perfeita nas Eliminatórias. Os alvirrubros seguem com 100% de aproveitamento e sequer sofreram gols. Uma das armas é Joakim Maehle, ala da Atalanta que tinha sido um dos melhores de sua posição na Euro. O camisa 5 marcou um tento na goleada sobre Moldova e garantiu o 1 a 0 sobre a Áustria, que selou a vaga no Mundial. Foi festejadíssimo no Estádio Parken.

Mohamed Elyounoussi (Noruega)

Mohamed Elyounoussi é um dos bons jogadores da Noruega que nem sempre recebem o cartaz merecido. O meia do Southampton, no entanto, arranjou uma vitória vital aos escandinavos nesta Data Fifa. Depois do empate fora de casa contra a Turquia, os noruegueses se mantiveram na segunda posição do grupo (atrás da Holanda) graças aos 2 a 0 sobre Montenegro. Foram dois gols de Elyounoussi, incluindo um lindo chute no lance que fechou o placar nos acréscimos do segundo tempo.

Igor Diveev (Rússia)

A Rússia conquistou uma vitória imensa na última rodada das Eliminatórias, ao bater a Eslovênia por 2 a 1 fora de casa. O resultado, combinado com o empate da Croácia diante da Eslováquia, deu a liderança isolada aos russos. Igor Diveev ficou só 36 minutos em campo, saindo lesionado, mas ajudou nos dois tentos. O zagueiro do CSKA Moscou marcou o primeiro de cabeça e deu um passe de calcanhar para o segundo, no qual Georgiy Dzhikiya, seu companheiro de zaga, virou uma linda bicicleta para as redes.

Thomas Müller, da Alemanha (Foto: Getty Images / One Football)

Thomas Müller (Alemanha)

A Alemanha também carimbou seu passaporte rumo à Copa do Mundo e Thomas Müller deu mais alguns motivos para ser venerado no Nationalelf. O atacante do Bayern de Munique resolveu os dois jogos da Data Fifa. Primeiro, saiu do banco para garantir a dura virada contra a Romênia em Hamburgo, com o gol que fechou a conta em 2 a 1. Já nos 4 a 0 sobre a Macedônia do Norte, foram duas ótimas assistências para iniciar a goleada por 4 a 0, que selou a classificação dos alemães.

Karol Swiderski (Polônia)

A Polônia segue atrás da Inglaterra em sua chave nas Eliminatórias, mas deve pegar pelo menos um lugar na repescagem. Nesta Data Fifa, os alvirrubros golearam San Marino por 5 a 0 e arrancaram um essencial triunfo por 1 a 0 sobre a Albânia em Tirana, no confronto direto pela segunda colocação. Karol Swiderski marcou nos dois jogos, incluindo o tento decisivo no tenso duelo com os albaneses. O atacante do PAOK tinha saído do banco seis minutos antes de balançar as redes.

Son Heung-min (Coreia do Sul)

A Coreia do Sul ocupa a segunda colocação do Grupo A na fase decisiva das Eliminatórias na Ásia, mas conseguiu os melhores resultados da Data Fifa na chave. A equipe venceu a Síria por 2 a 1 e arrancou o empate na visita ao Irã por 1 a 1. Son Heung-min, como sempre, deixou sua marca. O atacante marcou um gol em cada partida, o mais valioso diante dos iranianos, que abriu o placar num duelo em que os anfitriões meteram duas bolas na trave. O atacante do Tottenham reforça um pouco mais sua grandeza aos sul-coreanos.

Mohamad Kdouh, do Líbano

Mohamad Kdouh (Líbano)

A surpresa do Grupo A nas Eliminatórias Asiáticas é o Líbano. A equipe aparece na zona de repescagem, depois de empatar por 0 a 0 com o Iraque e vencer a Síria por 3 a 2, em ambos os duelos com mando adversário. O destaque no triunfo sobre os sírios foi o atacante Mohamad Kdouh, de 24 anos, que defende o Al-Ahed em seu país. O centroavante marcou dois gols, que deram a virada aos libaneses antes do intervalo, incluindo uma pancada que entrou no ângulo já nos acréscimos.

Mohamed Kanno (Arábia Saudita)

A Arábia Saudita é a única seleção com 100% de aproveitamento na fase decisiva das Eliminatórias Asiáticas. Os sauditas chegaram aos 12 pontos na Data Fifa, ao vencerem Japão por 1 a 0 e depois China por 3 a 2. Uma das figuras do time foi o volante Mohamed Kanno, bom valor do Al Hilal. O atleta de 27 anos deu segurança na cabeça de área contra os japoneses e apareceu na área para servir a assistência no terceiro tento contra os chineses. É um nome em ascensão na equipe, após ser reserva na Copa de 2018.

Issam Al Sabhi (Omã)

O Japão venceu a Austrália, mas permanece fora até da zona de repescagem no Grupo B. A culpa é de Omã, grande zebra da chave, que venceu os japoneses na rodada inaugural e nesta Data Fifa derrotou o Vietnã por 3 a 1, após ter perdido para os australianos. Issam Al Sabhi aparece entre os responsáveis pela epopeia. O atacante de 24 anos, do Al-Rustaq, já tinha feito o gol diante dos nipônicos. Contra os vietnamitas, marcou uma pintura de meia-bicicleta. Destaque também a Mohsin Jouhar, que perdeu um pênalti, mas fez um gol olímpico.

Sunil Chhetri (Índia)

A Índia não está presente na fase final das Eliminatórias. Nesta Data Fifa, os indianos disputaram a Copa SAFF, torneio regional que reúne as seleções do sul da Ásia. E o veterano Sunil Chhetri, lenda da equipe nacional, engrandeceu-se um pouco mais. Foram quatro gols do atacante de 37 anos. Com isso, ele chegou a 79 tentos pela Índia e se tornou o sexto maior artilheiro do futebol de seleções na história. Ultrapassou inclusive Pelé e está um atrás de Messi, com média superior ao argentino.

Alphonso Davies, do Canadá

Alphonso Davies (Canadá)

O Canadá vê a Copa do Mundo no horizonte pela primeira vez desde 1986. Os Canucks estão invictos nas Eliminatórias e ocupam a terceira colocação no octogonal da Concacaf. Empataram com México e Jamaica, mas atropelaram o Panamá por 4 a 1 no confronto direto. Como craque da companhia, Alphonso Davies chamou a responsabilidade. Deu uma assistência contra os mexicanos e carregou a equipe na goleada sobre os panamenhos. Jogando como ponta na seleção, marcou um gol e deu uma assistência que garantiram a virada.

Sergiño Dest (Estados Unidos)

Muita gente torce o nariz para Sergiño Dest no Barcelona, mas o lateral é mais um jovem que recheia o elenco dos Estados Unidos. O US Team chegou a perder para o Panamá na Data Fifa, mas venceu Jamaica e Costa Rica, com participação ativa do ala. Dest deu a assistência para Ricardo Pepi anotar o primeiro diante dos jamaicanos e, depois de falhar no tento dos costarriquenhos, iniciou a virada por 2 a 1 com um golaço. Mandou um lindo chute na gaveta de Keylor Navas, que depois saiu machucado – e fez grandes atuações nesta Data Fifa.

Hirving Lozano (México)

O México não necessariamente encanta nas Eliminatórias, mas lidera com folga o octogonal da Concacaf. Foram mais sete pontos somados nesta Data Fifa, quase sempre com o carimbo de Chucky Lozano. Se na Copa de 2018 o ponta era uma promessa em ascensão, seu amadurecimento no Napoli também se reflete em El Tri. Boa parte das jogadas ofensivas partem de seus pés. Nos últimos jogos, marcou nos 3 a 0 sobre Honduras e deu assistência no empate ante o Canadá.

Famara Dhiediou, de Senegal

Famara Diédhiou (Senegal)

Senegal se garantiu com duas rodadas de antecedência na última fase das Eliminatórias da África. Sadio Mané ainda desequilibrou, mas o destaque individual dos Leões de Teranga foi o menos badalado Famara Diédhiou, que joga no Alanyaspor. O atacante de 28 anos ganha espaço na seleção principal e, titular nos dois jogos contra a Namíbia, marcou quatro dos sete gols senegaleses na semana – três deles de cabeça. Anotou inclusive uma tripleta, nos 3 a 1 que garantiram a passagem à próxima etapa do qualificatório.

Ayoub El Kaabi (Marrocos)

Quem também confirmou a classificação antecipada para a próxima fase foi Marrocos. Os Leões do Atlas disputaram três jogos, por conta do compromisso adiado com Guiné. Venceram os três e viram Ayoub El Kaabi marcar em todos eles. Foram quatro gols do atacante, que também começou em alta o Campeonato Turco pelo Hatayspor. Chegou a fazer dois num mesmo jogo contra Guiné Bissau, mas na partida anterior contra os mesmos adversários assinou uma pintura de bicicleta.

Thomas Partey (Gana)

Gana deixou de ser a potência de outros tempos na África e, nestas Eliminatórias, precisa correr atrás do prejuízo contra a África do Sul para disputar a fase decisiva. Os Estrelas Negras, pelo menos, ganharam as duas de Zimbábue e seguem na cola dos Bafana Bafana. Como destaque de sua geração, Thomas Partey fez a diferença. O meio-campista do Arsenal marcou gols nos dois jogos da Data Fifa. Assinalou um golaço nos 3 a 1 em casa, com uma bela jogada individual, e fez de falta no 1 a 0 fora, contando com a ajuda do goleiro.

Omar Marmoush, do Egito

Omar Marmoush (Egito)

Egito precisava somar pontos nesta Data Fifa contra a surpreendente Líbia, que aparecia na liderança do grupo das Eliminatórias. E os Faraós conseguiram tomar a ponta graças a duas vitórias, com boa contribuição do meia Omar Marmoush. O jovem de 22 anos desponta no Stuttgart e apresentou seu talento na seleção. Anotou um golaço na vitória por 1 a 0 em Alexandria e deu uma assistência no reencontro em Benghazi. Mohamed Salah nem precisou deixar sua marca, com destaque também ao centroavante Mostafa Mohamed.

Ibrahima Koné (Mali)

Das seleções africanas que nunca foram à Copa, Mali tem boas chances de ser a próxima estreante. As Águias lideram seu grupo, a caminho da próxima fase, e venceram os dois jogos contra Quênia na Data Fifa. Ibrahima Koné roubou a cena. O centroavante de 22 anos faz boa temporada com o Sarpsborg, na Noruega, e ganhou as primeiras convocações em setembro. Nos dois últimos jogos, saiu melhor que a encomenda com quatro gols e uma assistência. Participou de quatro tentos nos 5 a 0 em casa e balançou as redes no 1 a 0 fora.

Abdoul Tapsoba (Burkina Faso)

A Argélia lidera o Grupo A no saldo de gols, mas Burkina Faso pode ser uma pedra no sapato das Raposas do Deserto. E um jogador para se prestar atenção é Abdoul Tapsoba, atacante de 20 anos que ainda procura seu espaço no Standard de Liège. Pela seleção, são quatro gols nas Eliminatórias, três nesta Data Fifa. Já tinha feito no empate contra a Argélia em setembro e, na última semana, aterrorizou Djibuti nos dois encontros. Vale mencionar o rendimento de Riyad Mahrez na chave, com três gols e uma assistência nas duas goleadas sobre Níger nesta semana.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo