Copa do Mundo

Quem é quem: Gana

GOLEIROS

1 – Stephen Adams

24 anos, Aduana Stars

Embora tenha sido registrado com a camisa 1, Stephen Adams não foi titular nos últimos amistosos de Gana antes do início da preparação para a Copa do Mundo. Começou, porém, todas as partidas da seleção na Copa Africana de Nações este ano. Sofreu um único gol e defendeu o time fervorosamente até a decisão. O problema é que a Líbia foi campeã.

12 – Adam Kwarasey

26 anos, Stromsgodset-NOR

Adam Kwarasey poderia defender a seleção norueguesa – fez isso nas categorias de base -, mas escolheu Gana. Passou a maior parte das Eliminatórias Africanas na reserva de Fatawu Dauda antes de ser titular nos dois amistosos do time antes da preparação para a Copa do Mundo. Estreou em 2011, na Copa Africana de Nações, contra a Suazilândia.

16 – Fatawu Dauda

29 anos, Orlando Pirates-AFS

Esperar por uma chance faz parte da carreira profissional de Fatawu Dauda. Estreou pela seleção em 2008, contra o México, mas só conseguiu jogar mais regularmente a partir da Copa Africana de Nações de 2013. Foi o goleiro mais utilizado por Appiah nas Eliminatórias Africanas. Chegou ao Orlando Pirates no começo da última temporada e demorou quase seis meses para disputar um jogo oficial. É o goleiro mais experiente de Gana.

DEFENSORES

2 – Samuel Inkoom

25 anos, Platanias-GRE

Inkoom venceu o Brasil, nos pênaltis, na final do Mundial sub-20 de 2009, foi campeão e ganhou uma vaga na Copa do Mundo da África do Sul. É regular na seleção africana desde então e acumulou experiência em vários países europeus – Suíça, Ucrânia e França – antes de parar no grego Platanias.

4 – Daniel Opare

23 anos, Standard Liège-BEL

Foi considerado uma grande promessa depois do Mundial sub-17 de 2007 e foi contratado pelo Real Madrid. Depois de algumas temporadas no Castilla, a paciência acabou e ele preferiu seguir a vida em outro lugar. Lateral direito rápido e ofensivo, ficou no Standard Liège até a última temporada, quando ganhou um contrato no Porto.

15 – Rashid Sumaila

21 anos, Mamelodi Sundowns-AFS

Mais jovem do que é atualmente, Sumaila ganhou uma chance na Copa Africana de Nações de 2013, quando o técnico Kwesi Appiah colocou vários jovens em campo. Foi bem e continuou na equipe, mas as lesões colocaram sua presença na Copa do Mundo em dúvida. Recuperou-se e garantiu uma vaga na delegação que vem ao Brasil.

19 – Jonathan Mensah

23 anos, Evián-FRA

Mensah é uma das maiores promessas do futebol de Gana. Campeão mundial sub-20 de 2009, passou pela Udinese e pelo Granada antes de finalmente se firmar no Evián. Com apenas 19 anos, jogou três partidas da Copa do Mundo de 2010. Canhoto, alto, às vezes exagera um pouco na força, mas dificilmente um zagueiro pode ser criticado por ser firme demais.

21 – John Boye

27 anos, Stade Rennais-FRA

John Boye machucou-se na sua primeira partida como capitão de Gana, contra o Japão, em setembro do ano passado, e perdeu as duas partidas decisivas contra o Egito pelas Eliminatórias Africanas. Voltou para enfrentar Montenegro, amistoso em março, e não foi ignorado por Appiah. Está no Stade Rennais desde 2009, mas essa lesão o fez perder grande parte da temporada. Foi titular apenas sete vezes na campanha que deixou o clube na 12ª posição.

23 – Harrison Afful

27 anos, Espérance-TUN

Versátil, Harrison Afful pode atuar em mais de uma posição, mas costuma ser lateral esquerdo na seleção de Gana. Outro fruto da academia de jovens do Feyenoord, não conseguiu um clube para chamar de seu na Holanda, na Bélgica e na Suécia. Foi parar no Espérance, da Tunísia, e chegou três vezes à final da Liga dos Campeões da África nos últimos quatro anos.

MEIO-CAMPISTAS

5 – Michael Essien

31 anos, Milan-ITA

As lesões atrapalharam a carreira de Michael Essien, mas não o impediram de ser um jogador vitorioso. Campeão pelo Lyon e pelo Chelsea, também jogou no Real Madrid e acompanhou José Mourinho de volta ao clube inglês no começo da última temporada. Teve poucas chances e foi emprestado ao Milan, mas também não jogou muito na Itália. Apesar de estar mais próximo do fim da carreira, segue sendo importante para Gana e espera superar a decepção do último mundial, do qual não pode participar por causa de uma lesão.

6 – Acquah Afriyie

22 anos, Parma-ITA

O jovem meia teve um começo de carreira atribulado. Fez testes na Irlanda do Norte, voltou para Gana, defendeu Empoli e Palermo antes de ser contratado pelo Hoffenheim. Na Alemanha, teve pouquíssimas chances voltou para a Itália. Desta vez, pelo Parma, foi 18 vezes titular na ótima campanha do sexto colocado da Serie A, chamou a atenção do técnico e vai jogar a Copa do Mundo meio que de última hora.

7 – Christian Atsu

22 anos, Vitesse-HOL

Atsu foi formado na academia do Feyenoord em Gana e acertou com o Porto quando ainda tinha 17 anos. O destino quis que ele voltasse à Holanda para defender o Vitesse, depois de ser contratado pelo Chelsea. Está emprestado ao clube holandês, cujos fãs conquistou com muita velocidade pelas pontas.

8 – Emmanuel Agyemang Badu

23 anos, Udinese-ITA

O meia, de características defensivas, atuou em todos os oito jogos de Gana nas Eliminatórias Africanas, o que não é uma sensação incomum para ele, que também participou de todas as partidas do título mundial sub-20 de 2009. Ainda deve sentir o gosto da decepção de não ter atuado no Mundial de 2010 por causa de uma lesão, mas, depois de uma temporada sólida na Udinese  – cinco gols em 20 partidas como titular -, ganhou mais uma chance.

9 – Kevin-Prince Boateng

27 anos, Schalke 04-ALE

A expectative é que Gana vença ao menos um jogo no difícil Grupo G da Copa para o Mundo talvez ver o que a torcida do Milan já testemunhou: Kevin-Prince Boateng imitando Michael Jackson. O espontâneo e descontraído meia chegou a se aposentar da seleção em 2011, mas mudou de ideia dois anos depois. Disputou apenas uma partida das eliminatórias. Na última temporada, voltou à Alemanha, onde nasceu. Tem um encontro marcado com o seu irmão Jérôme, quando Gana enfrentar os alemães na primeira fase.

11 – Sulley Muntari

29 anos, Milan-ITA

Sulley Muntari pode bater um pouco demais, às vezes errar uns passes, mas tem um currículo vitorioso. Ganhou a Copa da Inglaterra com o Portsmouth, o que não é fácil, e participou da campanha perfeita da Inter de Milão, que terminou com três títulos, o que é mais difícil ainda. Está atualmente no Milan, joga quando não está machucado ou suspenso. Na seleção de Gana, estreou em 2002, quando ainda tinha 17 anos. Nunca mais saiu.

14 – Albert Adomah

26 anos, Middlesbrough-ING

Albert Adomah nasceu em Londres e começou a jogar bola profissionalmente por meio de um projeto para pessoas de baixa renda na Inglaterra. Hoje, está prestes a jogar a Copa do Mundo por Gana, seleção que defendeu pela primeira vez em 2011, em amistoso contra o Brasil. Começou no Barnet, da quarta divisão inglesa, acertou com o Bristol, da Championship, e depois foi contratado pelo Middlesbrough.

17 – Mohammed Rabiu

24 anos, Kuban Krasnodar-RUS

Rabiu também foi campeão mundial sub-20 em 2009, mas precisou esperar dois anos até estrear no time principal, contra o Brasil. Acertou com o espanhol Gimnastic e foi emprestado várias vezes. Conseguiu se firmar apenas no francês Evián. Depois de alguns acessos, chegou à primeira divisão do país e foi contratado pelo russo Kuban Krasnodar. Perdeu a reta final das eliminatórias por lesão, porém conseguiu recuperar-se a tempo de entrar no elenco de Gana para a Copa do Mundo.

20 – Kwadwo Asamoah

25 anos, Juventus-ITA

Asamoah está na melhor fase da carreira. Depois de se destacar pela Udinese, foi contratado pela Juventus e desempenhou um papel importante nos últimos dois títulos italianos do time de Turim, muitas vezes atuando como um ala-esquerdo no esquema com três zagueiros do técnico Antonio Conte. Tinha apenas 21 anos quando precisou enfrentar a decepção de não ser o primeiro time africano nas semifinais da Copa do Mundo, depois daquela partida maluca contra o Uruguai, nas quartas de final da Copa do Mundo de 2014.

22 – Mubarak Wakaso

23 anos, Rubin Kazan-RUS

Embora não seja artilheiro, a sensação de fazer gols não é tão estranha a Wakaso, maior goleador da Copa Africana de Nações de 2013 ao lado do nigeriano Emmanuel Emenike. Passou por vários clubes espanhóis – Elche, Villarreal e Espanyol – antes de chegar ao Rubin Kazan, em 2013. Não teve muitas chances na última temporada. Foi titular apenas oito vezes.

ATACANTES

3 – Asamoah Gyan

28 anos, Al-Ain-EAU

Asamoah Gyan é um dos jogadores mais talentosos da equipe. Atua no Al-Ain desde 2011 pelo dinheiro e provavelmente porque nos Emirados Árabes Unidos ninguém menciona o pênalti que ele desperdiçou nas quartas de final da última Copa do Mundo, que daria uma inédita vaga nas semifinais para Gana. Quando também perdeu um chute da marca do cal na Copa Africana de Nações de 2012, anunciou que se afastaria da seleção por tempo indeterminado. Durou apenas alguns meses e ele retornou como capitão.

10 – André Ayew

24 anos, Olympique Marseille-FRA

Ayew tem que corresponder a muita expectativa por ser filho de Abedi Pelé, um dos maiores jogadores que a África já produziu. E ele, pouco a pouco, vai construindo a sua própria carreira, com muita velocidade e faro de gol, que o Olympique Marseille explora sem nenhum pudor. Joga regularmente no Campeonato Francês e de vez em quando na Liga dos Campeões. É outro campeão mundial sub-20 de 2009 e também pediu dispensa da seleção por um breve momento.

13 – Jordan Ayew

22 anos, Sochaux-FRA

Mais um filho que precisa dar sequência ao legado de Abedi Pelé. O caçula da família assinou com o Olympique Marseille aos 15 anos, fez algumas partidas, mas não conseguiu se firmar. Está emprestado ao Sochaux. Como parece ser um hábito na seleção de Gana, pediu dispensa do time nacional em 2013, depois de ser cortado da Copa Africana de Nações, e mudou de ideias alguns meses depois, o que também aparentemente é bem comum com os Estrelas Negras.

18 – Majeed Waris

22 anos, Valenciennes-FRA

Seu primeiro clube foi o sueco Hacken. Estreou em 2009 e não demorou muito para mostrar que tem capacidade para fazer gols. Chamou a atenção de outros clubes europeus, recebeu várias ofertas, ponderou e no fim escolheu o Spartak Moscou. Deveria ter pensado um pouco mais porque teve poucas chances na Rússia. Em 2014, pediu para sair para continuar na mira de Appiah e foi emprestado ao Valenciennes, na janela de transferências do último inverno. Deu certo: em dez partidas desde janeiro, fez sete gols e está na Copa.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo