Copa do Mundo

Aurier mostrou que a Costa do Marfim pode ser muito mais do que apenas seus medalhões

Serge Aurier está longe de ser um dos jogadores mais badalados da Costa do Marfim. Pelo passado, a grande estrela é Drogba. Pelo presente, ninguém supera Yaya Touré. E até mesmo outros coadjuvantes são figurinhas bem mais carimbadas, como Gervinho, Kalou ou Tioté. Ainda assim, quem notou a temporada do lateral plo Toulouse, voando na Ligue 1 e sendo eleito o melhor de sua posição, sabia do impacto que ele era capaz de causar na Copa do Mundo. Bastou um jogo.

Costa do Marfim 2×1 Japão: Mística de Drogba e precisão de Aurier salvam

Drogba pode ter roubado os holofotes nesta estreia dos marfinenses, pela forma como intimidou o Japão. Entretanto, o melhor em campo na vitória por 2 a 1 foi Aurier. Afinal, vieram de seus pés os dois cruzamentos que permitiram a virada dos Elefantes. Dois passes perfeitos, na medida para Wilfried Bony e Gervinho, no intervalo de apenas 99 segundos. Decisivos para reavivar o sonho da Costa do Marfim em se classificar aos mata-matas do Mundial pela primeira vez.

Aurier é um lateral completo. Forte na marcação, de ótimo porte físico e de qualidade técnica no apoio. Tanto que é também um coringa, podendo jogar como zagueiro ou como ala. Mas é na lateral direita onde tem brilhado tanto. Em 2013/14, foram seis assistências e seis gols pela Ligue 1. Tem fôlego para correr de linha de fundo a linha de fundo durante o jogo todo. E, neste sábado, demonstrou que também possui estrela.

Aos 21 anos, Aurier tem um futuro promissor pela frente. Por isso mesmo, já começar a ser sondado por grandes clubes europeus. Está na mira de Borussia Dortmund, Chelsea, Newcastle e Aston Villa. E deverá atrair muito mais atenções durante a Copa do Mundo. Essa estreia foi uma ótima mostra de seu potencial. Dependendo de até onde levar a Costa do Marfim, também se candidata a ser uma das principais revelações do torneio. Talento e maturidade não lhe faltam. Até mesmo para protagonizar uma seleção com tantos nomes tarimbados.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo