Para celebrar o primeiro aniversário do Mundial 2014, vamos retomar um dos lemas da Copa. Depois do “Não vai ter Copa”, do “Vai ter Copa, sim” e do “Devia ter Copa todo ano”, é a vez de gritar “Volta, Copa!”. A cada dia, uma retrospectiva do que ocorreu há um ano. Só para alimentarmos nossa saudade.

VOLTA, COPA: Confira a retrospectiva dia a dia do que rolou na Copa das Copas

O folclore

O mundo veio ao Brasil para curtir, mas também aproveita para ajudar quem precisa. Muntari passou por uma comunidade carente em Maceió com um maço de dinheiro na mão. Ficou distribuindo a quem estava no caminho. Os norte-americanos também fizeram sua parte. Os American Outlaws, grupo que segue a seleção dos EUA por onde ela jogar, fez a diplomacia da bola. Eles não queriam apenas ver futebol no Brasil, queriam jogar. Assim, iam para as favelas, jogavam com crianças que se apresentassem e depois davam as bolas de presente para a comunidade.

Quem também estava precisando de ajuda, ainda que de outra natureza, era o Uruguai. A seleção embarcou vários quilos de doce de leite para o Brasil, mas tudo ficou parado na alfândega. Concentrados em Sete Lagoas, os celestes tiveram uma mãozinha local. Afinal, Minas Gerais é o melhor lugar que um amante de doce de leite pode estar. Os uruguaios ganharam 39 quilos de presente e tiveram a energia extra para encarar o jogo decisivo contra a Itália.

Outros a improvisarem eram os holandeses. Como quase todos os europeus que vieram ao Brasil, ir à praia era uma obrigação. Mas fazer como em São Paulo, onde a seleção laranja jogaria com o Chile? Simples, na Represa de Guarapiranga.

Bola rolando

Argélia x Coreia do Sul era aquele jogo que ficou com cara de um dos micos da primeira fase, e certamente milhares de gaúchos lamentaram quando viram que o jogo para o qual haviam comprado ingressos antecipados reuniria as duas piores seleções do Grupo H. Pois a baixa expectativa só ajudou a aumentar a diversão. Foi um belíssimo jogo, com os argelinos mostrando um futebol muito ousado e ofensivo, vencendo por 4 a 2 e instaurando a crise entre os sul-coreanos.

Outro jogo emocionante foi Estados Unidos x Portugal, disputado em Manaus. Em um jogo de muitas oportunidades criadas pelos dois lados, os norte-americanos venciam por 2 a 1, garantindo a classificação e eliminando os portugueses. Mas um gol nos acréscimos salvou os lusitanos, pelo menos por mais uns dias.

O dia teve também Bélgica 1×0 Rússia no Maracanã, mas esse jogo foi dos piores da Copa. A torcida carioca, decepcionada com a insensada seleção belga, até gritou “time sem vergonha”.

Vídeo do dia

O Irã perdeu da Argentina na estreia, mas só o fato de ter feito jogo duro já deixou a torcida mais que orgulhosa. Olha a festa nas ruas de Teerã:

Enquanto isso, na Trivela

Mostramos que o sujeito que invadiu o gramado do Castelão durante Alemanha 2×2 Gana talvez não fosse tão inofensivo quanto parecia. Em sua barriga, ele carregava uma mensagem com possível interpretação nazista. A Fifa abriu investigação, o que motivou o invasor, o polonês Leszek Ludomir, a se pronunciar. Mas sua justificativa não foi nada convincente, até porque ninguém entendeu o que ele disse.

Oea do dia