GOLEIROS

1 – Rahman Ahmadi

33 anos, Sepahan

Experiente, o goleiro surgiu no Shamoushak, da terceira divisão, antes de defender o Saipa, em 2004. Se destacou e foi para o Sepahan em 2008, clube que defende até hoje. Está na seleção desde esse mesmo ano, quando o time foi campeão do torneio do Oeste Asiático, vencendo a Jordânia na final. Tornou-se titular só em 2013, já com o técnico Carlos Queiroz, quando o goleiro Mehdi Rahmati anunciou aposentadoria da seleção.  Jogou a fase final das Eliminatórias como o titular do time.

12 – Alireza Haghighi

26 anos, Sporting Covilhã-POR

Jogador que esteve nas seleções de base do Irã, Haghighi na carreira um feito quando tinha 18 anos. Jogando pelo Persepolis, defendeu um pênalti cobrado por um dos grandes jogadores da história do Irã, Ali Daei, do Sepai. Jogou no Rubin Kazan, da Rússia, chegou a voltar ao Persepolis em 2013 e foi para o Sporting Covilhã em 2014. É reserva na Copa.

22 – Daniel Davari

26 anos, Eintracht Braunschweig-ALE

Alemão de nascimento, mas de origem iraniana, é uma descoberta de Carlos Queiroz. Começou a carreira no Mainz 05, em 2007, antes de se transferir para o Eintracht Braunschweig, em 2009. Acertou a sua transferência para o Grasshopper, da Suíça, para depois da Copa. O jogador foi convocado no começo de 2013, mas só estreou no time em novembro. Será reserva na Copa do Mundo.

DEFENSORES

2 – Khosro Heydari

30 anos, Esteghlal Tehran

O lateral direito jogou pelo Esteghlal Tehran, seu atual clube, mas também defendeu o Sepahan, outro dos grandes clubes do país. Teve muito sucesso, conquistou títulos, e ganhou destaque como um dos melhores do país na posição. É conhecido por fazer bons cruzamentos, além das características de bom defensor. Foi muito bem nas Eliminatórias que levaram o time para a Copa.

3 – Ehsan Haji Safi

24 anos, Sepahan

Apesar da pouca idade, Haji Safi já tem 58 jogos pela seleção do seu país. É considerado uma das grandes revelações do futebol iraniano, primeiro como lateral esquerdo, subindo para o elenco profissional do Zob Aran aos 16 anos. Tornou-se figura frequente na seleção depois de 2008 e fez sete jogos nas Eliminatórias pelo Irã. Apesar de ser lateral esquerdo, pode atuar também no meio-campo.

4 – Jalal Hosseini

32 anos, Persepolis

Experiente na seleção, Hosseini  estreou pela seleção em 2007, depois de ir bem no time sub-23 em 2006. Ganhou títulos jogando no país jogando pelo Saipa, Sepahan e agora no Persepolis. Ganhou seu espaço e se tornou titular como zagueiro do time. É conhecido por ser bom no jogo aéreo, do alto dos seus 1,85 metro de altura.

5 – Amirhossein Sadeghi

32 anos, Esteghlal Tehran

Sadeghi está na seleção desde 2005 e jogou a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Experiente, deve formar a linha defensiva do time e passar a experiência, mesmo sem ter entrado em campo na Copa que esteve. Foi campeão duas vezes pelo Esteghlal Tehran e é outro jogador que é conhecido pelo bom jogo aéreo, tanto defensivo quanto ofensivo.

13 – Hossein Mahini

27 anos, Persepolis

Com 21 jogos pela seleção, foi muito usado por Carlos Queiroz durantes as Eliminatórias. Pode jogar no centro da defesa ou na lateral direita. Teve boas passagens pelo Zob Ahan, jogando bem na Liga dos Campeões da Ásia. Embora sua especialidade seja defender, marcou alguns gols importantes. Atualmente, joga no Persepolis. Será reserva no time de Carlos Queiroz.

15 – Pejman Montazeri

30 anos, Umm Salal-CAT

Zagueiro de origem, o jogador pode atuar também no meio-campo, como volante de marcação. Na sua carreira, foi muito bem no Esteghlal na campanha da Liga dos Campeões desta temporada e acabou chamando a atenção do catariano Umm Salal. Tem 20 jogos pela seleção iraniana e é um jogador importante na defesa do time.

17 – Ahmad Alnameh

31 anos, Naft Tehran

O lateral esquerdo do time, tem como característica a sua força física. Sabe bem cobrar faltas e foi dessa forma que fez seu único gol com a camisa do Irã, contra o Catar, em 2008. Tem um bom chute de fora da área e não tem medo de arriscar de longa distância. Apesar disso, deve ser reserva na Copa do Mundo. Tem nove jogos pela seleção do país.

20 – Steven Beitashour

27 anos, Vancouver Whitecaps-CAN

O caso de Beitashour é curioso. Nascido em San Jose, na Califórnia, filho de pais iranianos. O pai jogou futebol na universidade e o filho passou a jogar em San Jose, atuando pelo San Jose Frogs e depois pelo San Jose Earthquakes. Está no Vancouver Whitecaps desde o início de 2014. Convocado para defender os Estados Unidos em agosto de 2012, ele aceitou, mas ficou no banco no amistoso com o México no dia 15 de agosto daquele ano. Em Outubro de 2013, foi convocado pelo Irã e aceitou. Fez seis jogos pelo Irã nas Eliminatórias da Copa da Ásia e entra no elenco que vai à Copa.

23 – Mehrdad Pooladi

27 anos, Persepolis

Meio-campista de origem, Pooladi foi a solução encontrada por Carlos Queiroz para a lateral esquerda do time, depois da aposentadoria de Mehrdad Minavand. Com suas boas atuações, tornou-se titular habitual do time nas Eliminatórias, com dez jogos disputados. Chega para ser o titular pelo lado esquerdo na Copa.

MEIO-CAMPISTAS

6 – Jevad Nekounam

33 anos, Kuwait-KUW

É a principal referência do time. O meio-campista é o homem dos gols decisivos e de participação em jogos grandes. Marcou o gol que quase levou o Irã à Copa de 2010, contra a Coreia do Sul, mas o time sofreu o empate nos acréscimos e acabou ficando fora. Convocado pela primeira vez em 2000, é o maior ídolo do futebol do Irã e o segundo jogador a mais vezes vestir a camisa da seleção, 137 vezes, atrás apenas do lendário Ali Daei, que tem 149. É um jogador que compõe o centro do meio-campo, responsável tanto por marcar quando criar as jogadas do time. Tem 37 gols pela seleção, mais do que qualquer outro no elenco. O sucesso do Irã depende muito do seu bom desempenho em campo.

7 – Masoud Shojaei

29 anos, Las Palmas-ESP

Atacante experiente, é membro da seleção desde 2004. Titular da equipe de Carlos Queiroz, é um dos responsáveis pelas jogadas ofensivas do time. Esteve na Copa do Mundo de 2006 e a sua participação ajudou a se transferir para o Osasuna, na Espanha. Rápido e habilidoso, é um jogador que pode abrir espaços na defesa adversária e suas atuações podem ajudar o Irã na difícil missão de tentar chegar à segunda fase da Copa pela primeira vez.

8 – Reza Raghighi

25 anos, Persepolis

Volante de marcação, fez a sua carreira futebolística no Irã e é considerado um jogador confiável. Passou a ser convocado para a seleção a partir de 2009 e Carlos Queiroz o convocou para um amistoso com a Jordânia em 2012. É um reserva, com apenas sete jogos pela seleção, e fica como opção para o time.

11 – Ghasem Hadadifar

30 anos, Zob Aran

Um meio-campista talentoso, Hadadifar é um símbolo do Zob Ahan, clube do Irã. Foi parte da boa campanha do time na Liga dos Campeões de 2010, quando o time foi vice-campeão. Suas boas atuações o levaram à seleção naquele ano. Com Carlos Queiroz, fez três jogos pelas Eliminatórias com a seleção. Tem 16 partidas pelo Irã e deve ser mais um reserva do time.

14 – Andranik Timotian

31 anos, Esteghlal Tehran

Meio-campista experiente, já tem 77 jogos pela seleção do Irã e é titular do time no setor. Foi muito bem nas Eliminatórias e deve desempenhar um papel essencial no meio-campo do time, ao lado de Javad Nekonam e Masoud Shojaei. Esteve na Copa do Mundo de 2006 pelo Irã e atua como volante, mas tem qualidades ofensivas e eventualmente chega ao ataque para marcar gols.

18 – Bakhtiar Rahmani

22 anos, Foolad Khuezestan

Ainda com poucos jogos pela seleção, Rahmani tem sido um jogador importante no seu clube, Foolad Khuezestan. É o capitão do time desde 2012 e tem sido importante especialmente em fazer passes para gols. Esteve na seleção sub-23 em 2011, mas só estreou pelo time principal com o técnico Carlos Queiroz, contra Omã, em 2013. É um reserva do elenco iraniano.

19 – Hashem Beikzadeh

30 anos, Esteghlal Tehran

Muito bem sucedido no futebol do país, Beikzadeh conquistou títulos pelos clubes que disputou. São quatro títulos do Campeonato Iraniano no currículo, duas vezes com o atual clube, Esteghlal Tehran, e duas com o rival, Sepahan. É meio-campista, mas pode também atuar na lateral esquerda. Sua especialidade são as bolas paradas. Com 17 jogos pela seleção, esteve em campo nos dois jogos finais pelas Eliminatórias, sendo titular nos dois, graças às suas boas atuações anteriores.

ATACANTES

9 – Alireza Jahan Bakhsh

20 anos, Nijmegen-HOL

Será o mais jovem jogador da seleção iraniana convocado por Carlos Queiroz para vir ao Brasil. Ajuda a criar as jogadas, embora vista a camisa 9, de centroavante. Brilhou pela seleção sub-19 do país no campeonato asiático de 2012, o que o levou a uma transferência para a Holanda. Gosta de atuar pelas pontas e estreou pelo time principal em outubro de 2013. Fez até agora cinco partidas e marcou um gol. Será um reserva na Copa.

10 – Karim Ansari Fard

24 anos, Tractor Sazi Tabriz

Um jogador que segue os passos do maior ídolo do futebol iraniano, Ali Daei, o que já lhe dá boas credenciais. É um artilheiro e sua especialidade é mesmo buscar o gol. Titular do time, fez três gols na campanha iraniana rumo à Copa do Mundo de 2014 e suas boas atuações na seleção, que defende desde 2009, o levaram a ser a escolha de Queiroz para o ataque da equipe.

16 – Reza Ghoochannejad

26 anos, Charlton-ING

Ele foi o autor de um dos gols mais importantes da campanha do Irã nas Eliminatórias, contra a Coreia do Sul, fora de casa. Com suas boas atuações durante a classificação para o Mundial no Brasil, se estabeleceu como um titular do ataque do time. Conhecido como Gucci, teve a confiança de Carlos Queiroz durante os momentos de instabilidade do time na classificação, o que acabou sendo uma decisão acertada – ele marcou três vezes nos três últimas jogos. Canhoto, tem uma finalização perigosa.

21 – Ashkan Dejagah

27 anos, Fulham-ING

Estreou pela seleção marcando dois gols, o que é um belo cartão de visitas. Mas o que poderia ser uma estreia dos sonhos tornou-se uma polêmica. O jogador tem nacionalidade alemã e já tinha jogado pelas seleções de base do país europeu. O grande problema, porém, é que ele é cheio de tatuagens, algo que é ilegal no Irã. Ele tem uma tatuagem de Berlim em um braço e de Teerã em outro. Sim, essa é a polêmica em relação ao jogador, que tem 13 jogos pela seleção e quatro gols. É um nome para ser titular do time, se ninguém encrencar com suas tatuagens.