GOLEIROS

1 – Orestis Karnezis

Goleiro, 28 anos, Granada-ESPN

Karnezis não possui tanta rodagem na seleção, convocado pela primeira vez em 2012. Entretanto, tomou conta da posição desde então. São 19 partidas com o Navio Pirata, presente nas 12 da campanha nas Eliminatórias. Estourou no Panathinaikos, antes de ser vendido à Udinese e repassado ao Granada. É a opção mais segura do técnico Fernando Santos.

12 – Panagiotis Glykos

Goleiro, 28 anos, PAOK

Uma das principais surpresas na convocação, entrou na vaga de Michail Sifakis, nome experiente na seleção. Glykos vem bem no PAOK, mas só disputou duas partidas pela Grécia, a primeira apenas neste ano. Após empréstimos, assumiu a titularidade em seu clube na última temporada, sendo um dos melhores da posição no Campeonato Grego.

13 – Stefanos Kapino

Goleiro, 20 anos, Panathinaikos

Kapino surpreendeu pela precocidade, ao assumir a meta do Panathinaikos aos 17 anos – tanto por qualidade como também por falta de opções melhores. O garoto tem bom desempenho pelo clube ateniense, mas ainda precisa amadurecer. Por isso mesmo, ir à Copa pode ser tão útil, aproveitando a chance para ganhar rodagem e assumir o gol da seleção no futuro.

DEFENSORES

2 – Giannis Maniatis

Meio-campista, 27 anos, Olympiacos

O volante do Olympiacos se destaca pela grande capacidade de marcação e pela imposição física, sendo um dos responsáveis por trancar a defesa grega aos ataques adversários. Intocável durante as Eliminatórias, também pode atuar como lateral direito e zagueiro. Faz parte da seleção desde agosto de 2010, somando 30 partidas.

3 – Giorgos Tzavellas

Defensor, 26 anos, PAOK

O lateral esquerdo do PAOK passou a ganhar espaço na seleção a partir da Copa de 2010, no processo de renovação comandado a partir daquele Mundial. Possui experiência na Bundesliga, com passagem anterior pelo Eintracht Frankfurt. Ao contrário de José Holebas, se destaca pelas virtudes defensivas, podendo também ser deslocado para a zaga.

4 – Kostas Manolas

Defensor, 22 anos, Olympiacos

O zagueiro faz parte de uma nova geração que começa a ganhar espaço na Grécia. Bom valor revelado pelo AEK, de onde se transferiu para o Olympiacos, Manolas estreou na seleção em fevereiro de 2013 e disputou quase todas as partidas da equipe desde então. Destaca-se principalmente pelo jogo aéreo.

5 – Vangelis Moras

Defensor, 32 anos, Verona-ITA

Apesar da idade, Moras não possui tanta experiência pela seleção principal da Grécia. Depois de disputar os Jogos Olímpicos em 2004, só foi estrear pelo Navio Pirata em 2009, o que selou sua convocação para a Copa de 2010. O zagueiro participou pouco do ciclo sob o comando de Fernando Santos, mas as atuações destacadas com a camisa do Verona foram suficientes para a sua convocação, considerada uma surpresa.

11 – Loukas Vyntra

Defensor, 33 anos, Levante-ESP

Uma das opções mais experientes da zaga, Vyntra completa 10 anos de seleção em 2015. É um coringa na manga de Fernando Santos, já que pode atuar como zagueiro, lateral direito e volante. Já viveu fases melhores, mas teve desempenho regular na última temporada, com a camisa do Levante. Possui boa mobilidade, eficiente nas coberturas.

15 – Vasilis Torosidis

Defensor, 29 anos, Roma-ITA

O lateral direito da Roma é uma das lideranças da seleção grega. Apesar da posição, Torosidis já ganhou até mesmo prêmio de craque do Campeonato Grego, na época em que atuava pelo Olympiacos, o que demonstra também sua efetividade no ataque. Mantém a solidez defensiva, mas também apoia bastante. Com 66 jogos pela equipe nacional desde 2006, estava no grupo que disputou a Copa de 2010 e marcou o gol decisivo na vitória sobre a Nigéria. Um de seus problemas agora é a falta de ritmo na Roma, para onde se transferiu em 2010. Mas, apesar de ser reserva de Maicon no clube, o defensor é intocável com Fernando Santos.

19 – Sokratis Papastathopoulos

Defensor, 26 anos, Borussia Dortmund-ALE

Sokratis possui vasta experiência, apesar dos 26 anos de idade. E é o defensor grego em melhor fase. Ainda que falhe de vez em quando, o defensor teve uma temporada razoável pelo Dortmund, de mais altos do que baixos. Apesar da pouca mobilidade, é excelente no jogo de corpo e nas bolas aéreas. É absoluto no time desde 2008, participando da Copa de 2010 e também da Euro de 2012.

20 – José Holebas

Defensor, 29 anos, Olympiacos

Nascido na Alemanha, Holebas é filho de um grego com uma uruguaia. Apesar de começar a carreira no país natal, se transferiu ao Olympiacos e, vivendo bom momento, aceitou o convite da seleção. É o ponto fraco da defesa do Navio Pirata, apesar de suas qualidades nas subidas ao ataque. Convocado desde 2011, foi titular na Euro 2012, na qual oscilou demais.

MEIO-CAMPISTAS

6 – Alexandros Tziolis

Meio-campista, 29 anos, Kayserispor-TUR

Um dos nomes mais constantes na seleção grega nos últimos anos, Tziolis soma 49 partidas pelo time desde 2006. Ajudando a equilibrar o meio-campo, foi titular na maioria da campanha nas Eliminatórias. A questão é que o volante não tem se firmado nos clubes. Após estourar pelo Panathinaikos, já passou por sete equipes diferentes desde 2009.

8 – Panagiotis Kone

Meio-campista, 26 anos, Bologna-ITA

O camisa 8 é um jogador que tende a ganhar cada vez mais espaço na Grécia. Possui bom toque de bola e visão de jogo, algo que costuma faltar ao meio-campo grego. Vem de ótimo desempenho com o Bologna, pelo qual se tornou célebre graças aos seus golaços. Integrado pela seleção desde novembro de 2010, vai para a sua primeira Copa do Mundo.

10 – Giorgos Karagounis

Meio-campista, 37 anos, Fulham-ING

Karagounis é uma lenda do futebol grego. Há dez anos, ele era a principal referência no meio-campo da equipe que surpreendeu Portugal e conquistou a Euro 2004. Embora a cada ano digam que o camisa 10 está fadado ao fracasso, seu lugar no Navio Pirata é praticamente cativo. Considerando a idade e as circunstâncias, teve uma temporada razoável pelo Fulham. Seu jogo de controle da bola e bom passe segue o mesmo, mas com menos dedicação na marcação. Deve ser reserva, ainda que nome recorrente no segundo tempo.

16 – Lazaros Christodoulopoulos

Meio-campista, 27 anos, Bologna-ITA

Outro boa opção da Grécia que vem do Bologna, Christodoulopoulos é um meia ofensivo que garante mais agressividade ao time e pode ser útil no decorrer dos jogos. Entre suas principais armas está o chute de longe, que já lhe rendeu belos gols. Sua primeira partida pelo Navio Pirata veio em 2010, mas esta será sua primeira grande competição.

18 –Giannis Fetfatzidis

Meio-campista, 23 anos, Genoa-ITA

Um dos talentos gregos sobre o qual mais se tem expectativa, Fetfatzidis explodiu no Olympiacos pouco depois da Copa de 2010 e logo já passou a ser chamado pela seleção. Ótimo no controle da bola e habilidoso, o baixinho se transferiu ao Genoa, mas o impacto no futebol italiano é um pouco menor. É nome recorrente na seleção grega e deve ser bastante utilizado como substituto, especialmente contra defesas mais cansadas. Pode jogar nas duas pontas e como meia central.

21 – Kostas Katsouranis

Meio-campista, 34 anos, PAOK

Mais um dinossauro da seleção grega, que já fazia parte do time que conquistou a Eurocopa em 2004. Já são 11 anos de seleção nas costas de Katsouranis, com 111 partidas pela equipe nacional. Meio-campista de origem, a chegada da idade também o tornou opção para a zaga. Jogador bastante combativo, foi dispensado pelo Panathinaikos, mas rumou ao PAOK e não atrapalhou sua sequência na seleção. Mais do que isso, é homem de confiança de Fernando Santos, com quem trabalhou no Benfica e no AEK Atenas, e um dos líderes naturais do grupo.

22 – Andreas Samaris

Meio-campista, 24 anos, Olympiacos

O volante passou a ganhar espaço na seleção há pouco tempo, a partir do momento em que se tornou um dos destaques do Olympiacos, a base da seleção. Acabou integrado ao elenco na campanha bem-sucedida nas Eliminatórias, estreando no time em 2013. Jogador sem grandes qualidades, compensa com dedicação, podendo ser encaixado em qualquer parte do meio-campo.

23 – Panagiotis Tachtsidis

Meio-campista, 23 anos, Torino-ITA

No momento, Tachtsidis é a maior esperança de renovação do meio-campo da Grécia. O volante possui boa técnica e foi um dos destaques da campanha do Torino na reta final da Serie A. Faz parte da seleção desde que tinha 21 anos, estreando em 2012. O porte físico é uma vantagem, até para conquistar espaços na meia-cancha. Antes de chegar a Turim, rodou por diversos clubes italianos, incluindo Roma e Genoa.

ATACANTES

7 – Giorgos Samaras

Atacante, 29 anos, Celtic-ESC

Samaras não é nenhum craque, longe disso. E, mesmo sendo um pouco tosco, costuma ser fundamental para a equipe grega. Sua dedicação no ataque é exemplar, fechando a saída de jogo adversária e dando mobilidade ao flanco esquerdo. Também costuma aparecer bem na área, por mais que sua pontaria nem sempre esteja tão precisa. O jogador do Celtic soma oito gols em 73 partidas pelo Navio Pirata, pouco diante da sua funcionalidade para a equipe. Convocado desde 2006, já era titular na Copa de 2010.

9 – Kostas Mitroglou

Atacante, 26 anos, Fulham-ING

A principal referência no ataque grego, Mitroglou foi uma das ausências mais reclamadas na Copa de 2010. O centroavante estourou no Olympiacos e vinha em excelente fase até ser negociado com o Fulham no início do ano. O problema é que o camisa 9 não demonstrou a mesma voracidade em Londres e chega ao Brasil em dúvidas. Possui potência e presença de área, importantes no jogo grego, que prioriza bastante as bolas paradas. Sua evolução na seleção se deve bastante a Fernando Santos.

14 – Dimitris Salpingidis

Atacante, 32 anos, PAOK

O jogador mais habilidoso do ataque grego, Salpingidis é um velho conhecido da torcida, membro da seleção desde 2005. Garante velocidade e verticalidade pelo lado direito do campo, perigoso especialmente em suas arrancadas em diagonal. Um dos maiores ídolos do PAOK, vem de boa temporada pelo clube. Foi um dos destaques do time na Copa de 2010, marcando gol na vitória sobre a Nigéria, a primeira do Navio Pirata em Mundiais.

17 – Theofanis Gekas

Atacante, 34 anos, Konyaspor-TUR

Gekas é um jogador útil para se ter no elenco, mesmo longe de ser habilidoso. O matador já desfrutou de mais prestigio na seleção, mas é uma alternativa a Mitroglou. Mais fixo dentro da área, o centroavante fez fama graças ao oportunismo apresentado na Bundesliga, da qual já foi artilheiro. Rodado por vários clubes, se encaminha para o fim da carreira na Turquia. Esteve na Copa de 2010, após ser artilheiro das Eliminatórias na Europa.