GOLEIROS

1 – Cédric Si Mohamed

29 anos, Constantine

Apesar de usar a número 1 na Copa do Mundo, tudo indica que Cédric Si Mohamed será o terceiro goleiro da seleção argelina. Dentre os três chamados, é o que menos atuou pela equipe: só um jogo desde a primeira convocação, em 2012.

16 – Mohammed Zemmamouche

29 anos, Alger

Zemmamouche briga pela titularidade no gol da seleção argelina na Copa do Mundo, embora a alternância com M’Bolhi, que vem desde as Eliminatórias, não tenha parado nesta reta final de preparação para o Mundial. Teve bons números na temporada nacional, com apenas 16 gols sofridos em 24 jogos. Tem bons reflexos, mas gosta de exagerar um pouco nas defesas, para sair bem na foto.

23 – Rais M’Bolhi

28 anos, CSKA Sofia-BUL

M’Bolhi é o provável titular no gol da seleção argelina para a disputa da Copa. Teve uma boa temporada pelo CSKA Sofia, sofrendo apenas nove gols em 19 partidas na Bulgária. O arqueiro revezou bastante com Zemmamouche desde as Eliminatórias, mas o currículo maior na seleção e o fato de ter sido titular no teste mais próximo da Copa o colocam um pouco à frente do companheiro.

DEFENSORES

2 – Madjid Bougherra

31 anos, Lekhwiya-CAT

Madjid Bougherra é o zagueiro titular absoluto da seleção argelina. Dentre os chamados para o setor, é o que tem melhor qualidade técnica. Sabe sair jogando, é veloz, tem bons passes curtos e bom impulso pelo alto. Defende a seleção argelina desde 2004 e, até mesmo pela trajetória longeva, é o capitão da Argélia.

3 – Faouzi Ghoulam

23 anos, Napoli-ITA

O lateral esquerdo do Napoli é o provável titular da seleção argelina na Copa do Mundo. Nas Eliminatórias, Djamel Mesbah teve mais oportunidades na posição durante as Eliminatórias, mas Ghoulam, que começou a aparecer na reta final, foi titular de dois dos últimos três amistosos da equipe, incluindo a vitória sobre a Romênia no último dia 4. É um lateral mais defensivo que ofensivo, mas sabe apoiar, tem bons passes e recorre a cruzamentos frequentemente.

4 – Essaid Belkalem

25 anos, Watford-ING

Essaid Belkalem disputa a posição de titular ao lado do capitão Bougherra com Medjani e Cadamuro. Às vezes comete erros de atenção na zaga, mas tem uma boa interceptação e gosta de sair jogando, na base dos passes curtos. O que pode complicar sua vida na Copa é a falta de disciplina; o zagueiro está constantemente levando cartões amarelos.

5 – Rafik Halliche

27 anos, Coimbra-POR

Mais uma das opções para a zaga, Halliche parece estar atrás dos concorrentes Belkalem, Medjani e Cadamuro. Bastante atento, o jogador tem um ótimo poder de reação, interceptando jogadas especialmente de finalização dos adversários. Foi titular em alguns momentos das Eliminatórias, mas viu os outros ganharem mais espaço.

6 – Djamel Mesbah

29 anos, Livorno-ITA

Mesbah aparentemente perdeu a posição de titular para Ghoulam, mas não de forma absoluta, então dependendo do que mostre nos treinos pode retomá-la. Não tem muita precisão nos passes e cruzamento não é seu forte. Considerando que principalmente o segundo é um recurso necessário para um lateral, dá para entender a opção do técnico por Ghoulam em alguns dos últimos testes da seleção.

12 – Carl Medjani

29 anos, Valenciennes-FRA

O trunfo de Medjani para ser utilizado na Copa do Mundo é sua versatilidade. O zagueiro de origem muitas vezes atua em sua posição preferida, mas também, mesmo na seleção, é às vezes um pouco avançado para ser o cabeça de área, como aconteceu por exemplo contra a Romênia. Na zaga, formou a dupla com Bougherra em alguns jogos das Eliminatórias. É disciplinado e não comete faltas desnecessárias, evitando, assim, cartões bobos. Entretanto, costuma recorrer ao chutão em vez de sair tocando a bola no chão.

17 – Liassine Cadamuro

26 anos, Mallorca-ESP

Pelas últimas partidas realizadas pela Argélia na preparação para a Copa do Mundo, Cadamuro pode ser apontado como um forte candidato a formar a dupla de zaga com Bougherra. Para um zagueiro, até que tem certa técnica. Gosta de sair jogando com a bola no chão, buscando espaço para um passe curto; tem boa interceptação e é ágil. É também uma boa opção para a seleção se defender de jogadas aéreas, pela boa estatura e impulsão.

20 – Aissa Mandi

22 anos, Reims-FRA

Aissa Mandi corre por fora para ficar com a titularidade da lateral direita, mas teve uma temporada de bastante continuidade no Reims, o que lhe dá uma boa condição física. Apóia bastante o ataque, diferentemente de Mostefa, que é mais focado em defender. Ainda assim, é bom também na marcação. Gosta de arriscar passes longos para tentar colocar os companheiros mais ofensivos em boas condições.

MEIO-CAMPISTAS

7 – Hassan Yebda

30 anos, Udinese-ITA

Volante defensivo, Hassan Yebda é bom na bola aérea, nos passes, ajudando a levar o time da defesa ao ataque, e em interceptações. Sua dificuldade é com a disciplina: está constantemente levando cartões. No empréstimo à Udinese (seu passe pertence ao Granada), jogou pouco, mas segue com moral na seleção e pode ser titular. Briga por posição com o jovem Saphir Taider.

8 – Mehdi Lacen

30 anos, Getafe-ESP

Apesar de reserva, o volante Mehdi Lacen frequentemente está em campo pela seleção argelina, entrando normalmente nos 20 minutos finais das partidas para reforçar a marcação. Lacen não tem muita qualidade no passe, é mesmo alguém utilizado apenas para obstruir os ataques adversários. No Getafe, foi titular apenas em 13 partidas do Campeonato Espanhol.

11 – Yacine Brahimi

24 anos, Granada-ESP

Yacine Brahimi pode atuar em basicamente todos os lugares do setor ofensivo, e é isso que acontece na seleção argelina. O reserva já entrou no decorrer de partidas para atuar aberto por ambos os flancos e já foi titular da Argélia também como meia-armador central. Titular no Granada, da Espanha, destaca-se pelos dribles, o bom domínio de bola e a qualidade nos passes.

14 – Nabil Bentaleb

19 anos, Tottenham-ING

Nabil Bentaleb estreou como profissional apenas em dezembro do ano passado, mas teve um impacto imediato. O jogador aproveitou o momento de indecisão que vivia o técnico Tim Sherwood no Tottenham e, com boas atuações, desbancou atletas já estabelecidos e foi por um tempo titular dos Spurs. Disputado pelas seleções francesa e argelina, o meia-central atuou apenas três vezes pela Argélia, sempre em amistosos, mas tem conquistado espaço no time titular, como segundo volante. Tem um bom chute de longa distância e passes curtos precisos. No jogo do último dia 4, marcou seu primeiro gol pelos Fennecs na vitória por 2 a 1 sobre a Romênia.

19 – Saphir Taider

22 anos, Internazionale-ITA

Saphir Taider é um segundo volante rápido, bom em cobranças de bola parada e que vai bastante para o ataque, mas sem deixar de auxiliar na marcação, claro. É técnico e pode fazer uma boa dupla com Bentaleb, também jovem, à frente de Medjani, como foram testados contra a Romênia, no amistoso do dia 4.

22 – Mehdi Mostefa

30 anos, Ajaccio-FRA

Volante de origem, Mostefa é bastante utilizado na seleção argelina como lateral direito. Revezou bastante com Mandi na posição nos últimos jogos e foi o titular no amistoso contra a Romênia. Está um pouco à frente do companheiro na briga pela vaga. Bom na marcação e em cruzamentos, tem como defeito o fato de não gostar muito de manter a bola no chão: recorre bastante ao chutão para a frente.

ATACANTES

9 – Nabil Ghilas

Atacante, 24 anos, Porto-POR

Reserva no Porto, Ghilas será apenas opção de banco na seleção argelina também. Forte fisicamente, pode atuar como centroavante ou aberto pela ponta-direita. Tudo indica que será o reserva imediato de Slimani no ataque da Argélia. Apesar de pouco jogar em Portugal, não perdeu moral com o técnico Vahid Halilhodzic, que foi quem lhe deu sua primeira chance.

10 – Sofiane Feghouli

24 anos, Valencia-ESP

Feghouli é o jogador mais técnico da seleção argelina. No 4-2-3-1 da Argélia, é o ponta-direita, e tem como grandes características o drible, o improviso, a velocidade e os passes. É uma das principais fontes de criação de jogadas da Argélia. Chegou ao Valencia em 2010 e, com exceção de uma breve passagem por empréstimo no Almería, defende a equipe desde então.

13 – Islam Slimani

25 anos, Sporting-POR

Jogador mais perigoso da equipe, Islam Slimani tem números impressionantes pela seleção argelina. Em 20 jogos disputados desde sua primeira convocação em 2012, marcou 10 gols. É referência no ataque, graças ao porte físico e ao bom posicionamento na área que lhe rendem boas chances pelo alto. Na temporada de estreia pelo Sporting, em Portugal, foi bem, anotando oito gols em 26 jogos (apenas dez deles como titular).

15 – El Arbi Soudani

26 anos, Dinamo Zagreb-CRO

Assim como Slimani, Soudani tem ótimo retrospecto pela seleção argelina. O jogador do Dinamo Zagreb, aliás, tem média idêntica à do conterrâneo (0,5 por partida), mas com mais gols: em 22 jogos fez 11 gols. Pode jogar na mesma posição que Slimani, mas também já atuou aberto pela esquerda na seleção argelina. Tem capacidade para ser titular e indícios de que será, entrando no lugar de Slimani ou na ponta-esquerda, que não tem um concorrente tão bem estabelecido. É veloz, se posiciona muito bem para receber a bola ou pegar alguma sobra de bola parada e também tem boa impulsão.

18 – Abdelmoumene Djabou

27 anos, Club Africain-TUN

Djabou briga por posição na equipe titular com Soudani, se Halilhodzic pensar em utilizar este último pela ponta esquerda. Utilizado na posição no último teste, o baixinho, de apenas 1,64m, agradou. Veloz, driblador e solidário com os companheiros, gosta de levar a bola para a linha de fundo e tentar cruzamentos para os centroavantes. É o tipo de jogador que você quer ter como opção para o segundo tempo, para mudar o ritmo de um jogo.

21 – Riyad Mahrez

23 anos, Leicester City-ING

Riyad Mahrez é outra boa opção para a ponta-esquerda da Argélia. Bom de drible e de domínio de bola, o jogador do Leicester se destaca com a qualidade de seus passes. Gosta de levar a bola para o meio e tentar finalizações, mas é igualmente bom em cruzamentos para os atacantes. Nascido na França, expressou o desejo de defender a Argélia apenas no final do ano passado. Ganhou espaço e, parte do grupo na Copa, tem chance de acabar com a titularidade, diante da incógnita na posição.