Muito se fala que o Campeonato Holandês já não é um entreposto tão atraente para jogadores que vão tentar a sorte na Europa. Afinal de contas, o nível técnico do campeonato (que nunca foi lá essas coisas, sempre bom lembrar) há muito tempo anda em queda. Todavia, futebolistas de outros continentes ainda seguem com frequência para a Holanda, a fim de tentarem a sorte e impulsionarem a carreira. Eis, então, que momentos como as convocações e pré-convocações já feitas para a Copa América mostram como a Eredivisie ainda tem lá seu valor na América Latina.

LEIA TAMBÉM: Essas são as convocações de todas as seleções da Copa América

Basta olhar, por exemplo, a convocação do México. No meio de várias novidades relacionadas por Miguel Herrera para El Tri, lá está Jesús Corona, ponta de lança, 22 anos, que atua pelo Twente. E embora tenha tido algumas dificuldades neste início de carreira (chegou a ser mandado pelo técnico Alfred Schreuder para a equipe de aspirantes, como punição pela falta de empenho na manutenção do peso), Corona retornou aos profissionais do Twente. Num time em crise pelos problemas internos, assumiu protagonismo. E conseguiu a convocação para a Copa América. Num time renovado, pode muito bem assumir a responsabilidade.

Na pré-convocação do anfitrião Chile, também há um “representante” do Campeonato Holandês. Por coincidência, do mesmo Twente em que joga Corona: o meio-campista Felipe Gutiérrez. Ele até poderia estar em posição mais importante na carreira, já que foi à Copa do Mundo e atuou nas quatro partidas da Roja, mesmo sem a titularidade absoluta – coisa que tinha no Twente, tendo atuado em 33 das 34 partidas no Campeonato Holandês da temporada 2013/14. Mas Gutiérrez sofreu grave lesão no joelho antes mesmo da Eredivisie atual se iniciar, e só voltou a jogar no dia 4 de abril, contra o PSV, pela 29ª rodada. Apenas por isso é que corre riscos de perder a vaga.

E há outros exemplos. Na seleção paraguaia, Ramón Diaz incluiu Celso Ortiz, meio-campista do AZ, entre os 30 pré-convocados. No Equador, Renato Ibarra, ponta de lança do Vitesse, também figura na lista provisória. Titularíssimo do PSV na lateral direita, o colombiano Santiago Arias também está na relação de 30 atletas feita por José Pekerman – e salvo acidente, não só estará entre os 23 finais, como também será o titular na direita dos Cafeteros, como foi na Copa do Mundo. Na Venezuela, o atacante Christian Santos chega com destaque, como um dos protagonistas da brilhante campanha do NEC no título da segunda divisão.

E forçando mais a barra, pode-se lembrar de Sergio Romero, que despontou na Europa e começou a ser chamado para a seleção da Argentina a partir de suas atuações no AZ campeão da Eredivisie em 2008/09. O mesmo acontecendo com Jefferson Farfán, que desde os tempos de PSV segue sendo um dos grandes símbolos da seleção peruana. Por sinal, Farfán poderia contar com mais um egresso da Eredivisie como colega na Blanquirroja, mas o zagueiro Renato Tapia – mais um do Twente! – lesionou o joelho e ficará por três meses em recuperação, perdendo a Copa América. Isso, sem contar gente que sequer irá ao torneio, como Luis Suárez, cuja passagem pelo Ajax também dispensa apresentações, ou Andrés Guardado, figura fundamental no título do PSV…

Enfim, se o nível técnico do futebol holandês é apenas mediano – e isso, sendo bondoso -, inegavelmente, ele também continua sendo um espaço propício para que alguns jogadores desenvolvam-se a ponto de virarem presenças comuns nas seleções de seus países. Neste caso, a América Latina agradece.