Convocação de Pedro é um prêmio ao atacante, ao mesmo tempo que desfalca o Flamengo

Atacante do Flamengo vive o melhor momento de um camisa 9 no Brasil e é premiado, ao mesmo tempo que ao ser chamado, desfalca seu clube

A CBF anunciou nesta sexta-feira a convocação de Pedro, atacante do Flamengo, de 23 anos, para a seleção brasileira. A chamada é pela lesão de Neymar, do PSG, que deixa o atacante indisponível no mínimo para o primeiro dos dois jogos da data Fifa contra a Venezuela, no dia 13 de novembro. Ele não foi cortado porque há esperança eu ele possa jogar no dia 17, contra o Uruguai. A convocação de Pedro atende aos pedidos pelo chamado do jogador, que vive grande fase, mas ao mesmo tempo cria um problema para o Flamengo, que fica sem o centroavante.

LEIA MAIS: Diego Carlos é chamado à Seleção, numa merecida primeira chance após a grande temporada de estreia pelo Sevilla

A comissão técnica não quer cortar Neymar se pode tê-lo no segundo jogo. “Tenho contato frequente com o médico do PSG e sabemos das condições físicas do Neymar desde o dia de sua lesão na Champions. Acreditamos que com uma semana intensiva de tratamento e com a estrutura do Centro de Excelência na Granja Comary temos a possibilidade de recuperação para o segundo jogo. Vamos acompanhar de perto sua evolução”, afirmou o médico da seleção, Rodrigo Lasmar, ao site da CBF.

Tite anunciou a lista de convocados para os jogos no último dia 23 de outubro (veja a convocação completa aqui). Entre os atacantes, foram chamados Everton Cabolinha (Benfica), Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Jesus (Manchester City), Neymar (PSG), Richarlison (Everton) e Vinícius Junior (Real Madrid). Com Neymar fora, há vários candidatos a entrarem no time, como Richarlison e Gabriel Jesus, já que Everton e Roberto Firmino devem continuar como titulares. Pedro pode ser uma opção para entrar neste primeiro jogo. Não se sabe se ele vai para o banco no segundo jogo, porque no máximo 12 jogadores podem estar no banco.

A convocação de Pedro atende a alguns pedidos de convocação que já começavam a pintar, dada a excelente fase do jogador. Em 2020, Pedro entrou em campo em 36 jogos, com 20 gols marcados. Só no Brasileirão, são 17 jogos e 10 gols. Ele assumiu o posto de goleador do time com a ausência prolongada de Gabriel Barbosa, Gabigol, que sofreu uma lesão séria no tornozelo e não joga desde o dia 30 de setembro, na vitória por 4 a 0 sobre o Independiente del Valle. O camisa 9 do Flamengo tem 25 jogos em 2020 e 16 gols marcados.

Pedro já tinha sido convocado por Tite em 2018, quando vivia uma grande fase pelo Fluminense. Na época, sofreu a mais grave lesão da sua carreira, o rompimento do ligamento cruzado anterior, que o afastou dos gramados por muitos meses. Por isso, foi cortado e nunca teve a chance de estrear com a camisa a seleção brasileira.

Com a chamada de Pedro, o Flamengo tem três convocados, mas um deles já foi cortado, Rodrigo Caio, que desfalca o time rubro-negro nas últimas rodadas. Ele se une a Everton Ribeiro, que segue na lista. Os dois desfalcam o Flamengo a partir desta segunda-feira, 9 de novembro. Voltam ao clube no dia 18, após o jogo da noite do dia 17, uma terça-feira.

O Flamengo entra em campo neste domingo, dia 8, ainda com Éverton Ribeiro e Pedro, contra o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte. Depois, jogam a partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil contra o São Paulo, no dia 11; depois, no sábado, dia 14, os rubro-negros enfrentam o Atlético Goianiense. No dia 18, data que os seus jogadores retornam, faz a partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil contra o São Paulo.

Pedro deve ser reserva. Se ele foi convocado para substituir Neymar no primeiro jogo desses dois que a Seleção fará, deveria ser liberado pela CBF para retornar ao Flamengo logo depois do primeiro jogo, no dia 13, e desfalcar menos o seu clube, que já sofrerá com as ausências de dois dos seus principais jogadores em um período crucial, com jogos eliminatórios envolvidos.

Este é um ponto sempre crucial nas convocações. Por um lado, a Seleção quer contar com todos os jogadores possíveis, porque as Eliminatórias são o início da trajetória da Copa do Mundo. E já vimos os técnicos serem demitidos por resultados ruins. Por isso, é difícil pedir que Tite não convoque os jogadores que quiser.

Por outro lado, os clubes não podem arcar com a conta de ter jogadores convocados que desfalquem a equipe na Copa do Brasil, como será o caso desta vez. Isso vale também para Wweverton e Gabriel Menino, ambos do Palmeiras, outros dos convocados que atuam no futebol brasileiro. Com tudo isso, e considerando que todos os convocados do Brasil devem ser reservas, seria possível ter apenas os jogadores que atuam no exterior como opção e, assim não prejudicar os clubes do país. Isso, claro, é falar no vazio, como sabemos.

O ano de pandemia piorou a situação do calendário brasileiro, mas não é que ele respeite datas Fifa em outros momentos. Em 2019, esse problema já existia e em anos anteriores também. A CBF se preocupa pouco não só com os clubes do país, mas também com seu próprio campeonato. Jogos da Copa do Brasil um dia depois dos jogos das Eliminatórias (que são sempre entre quinta e terça) são absolutamente comuns. São muitos os casos de jogadores que por vezes fazem viagens longas depois de defender a Seleção e correm para se apresentar aos seus clubes, sem descanso, para atuarem.

No fim, a convocação de Pedro é um prêmio para o jogador, que tem brilhado e mostrado uma imensa qualidade. Pelo seu desempenho, o chamado é mais do que merecido. Uma pena que seja às custas dos clubes, como sempre. Uma questão que parece que não estamos nem perto de resolver.