Lasse Schöne construiu uma trajetória respeitabilíssima no Ajax. E também histórica. Outros jogadores estrangeiros que passaram pelo clube podem ter sido mais talentosos que o meio-campista dinamarquês. Entretanto, nenhum outro vestiu mais vezes a camisa alvirrubra. Em sete anos na equipe, o veterano acumulou 286 partidas. É o atleta nascido fora da Holanda que mais jogou pelos Ajacieden. E, depois de se destacar no mágico ano vivido na Johan Cruyff Arena em 2018/19, o ídolo se despede da torcida. Nesta sexta, foi oficialmente apresentado pelo Genoa.

Sem precisar ser um craque, Schöne foi um jogador muito útil ao longo de sua passagem pelo Ajax. Após despontar no NEC, o meio-campista foi contratado em 2012/13 e se manteve como titular ao longo de todo esse tempo. Além da firmeza na faixa central, contribuiu bastante ao setor ofensivo com sua técnica. Anotou 64 gols e distribuiu 52 assistências, em números potencializados por seus chutes de fora da área e pela qualidade nas bolas paradas. Que o fôlego não fosse mais o maior, aos 33 anos, ele teve papel essencial na última Champions. Anotou uma pintura na histórica goleada sobre o Real Madrid dentro do Bernabéu e serviu Matthijs de Ligt no tento que eliminou a Juventus.

Apesar da badalação ao redor do Ajax, Schöne preferiu deixar o clube no auge de suas conquistas. Aproveita o momento para ganhar um bom salário e experimentar a realidade em uma nova liga. O Genoa pagou somente €1,5 milhão pela transação, em valor baixo sobretudo pela idade do dinamarquês. De qualquer maneira, o Grifone ganha um homem experiente e de virtudes técnicas para garantir temporadas mais seguras na Serie A. É um investimento de baixo risco, mesmo que o meio-campista já viva sua curva descendente.

“Eu não preciso dizer o que sinto sobre o Ajax. Certamente não foi uma decisão fácil, mas era o certo para minha família e para minha carreira. Vim para a Itália de férias e amei o país. Se você tem a chance de jogar na Serie A e o Genoa realmente quer que você venha, precisa enfrentar esta grande aventura. Ainda amo muito o futebol, quero seguir jogando em alto nível e posso fazer isso no Genoa. Definitivamente não é um adeus ao Ajax e à Holanda. Posso sair com a cabeça erguida, já que a última temporada foi o ápice da minha passagem. Tenho orgulho de poder ter vestido a camisa do Ajax tantas vezes. Sentirei falta de todos e espero ter deixado boas lembranças, mas não estarão livres de mim. Voltarei a morar em Amsterdã depois da aposentadoria e espero ser bem recebido de volta”, declarou Schöne, à Ajax TV.

O Genoa, aliás, é um dos times que mais buscou reforços nesta Serie A. A lista de novatos engloba todos os setores. Cristián Zapata é o principal medalhão na zaga, onde também chegam os jovens Antonio Barreca e Cristian Romero. Os brasileiros Sandro e Rômulo dão rodagem ao meio, que também ganha Stefano Sturaro. O colombiano Kevin Agudelo é a aposta no setor, enquanto Riccardo Saponara se responsabilizará pela armação. Já no ataque, além do empréstimo de Antonio Sanabria, vale prestar atenção em Andrea Pinamonti, que fez um bom Mundial Sub-20 com a seleção italiana. Há um grande trabalho para entrosar tanta gente, mas não deixam de ser nomes de peso para ao menos garantir a estabilidade no meio da tabela.

Já no Ajax, fica a saudade por tudo o que Schöne ofereceu ao clube, especialmente seu empenho em campo. Na despedida ao veterano, o clube produziu um belo vídeo relembrando os seus gols de falta. Ficarão na memória: