Depois de muitas frustrações vividas pelo Palmeiras com seus centroavantes, Luiz Adriano desembarcou no clube como uma grande solução. E, apesar da fase ruim da equipe, o novato deu sinais positivos logo em seus primeiros jogos. É um homem de referência mais participativo e com inteligência tática, que se movimenta bem para abrir espaços aos companheiros, além de cumprir sua missão nas finalizações. Nesta terça-feira deslocada de Brasileirão, em que os alviverdes encararam o Fluminense em partida atrasada, Luiz Adriano viveu sua primeira grande atuação pelo clube. Anotou todos os três gols do time e comandou a categórica vitória por 3 a 0 no Allianz Parque.

O bom começo do Palmeiras, intenso, fez toda a diferença no jogo. Logo no primeiro ataque, Gustavo Scarpa forçou uma boa defesa de Muriel. Luiz Adriano daria seu aviso pouco depois, em cabeçada para fora. E o primeiro gol saiu aos oito minutos. Em um avanço rápido pela esquerda, Diogo Barbosa invadiu a área e acertou a trave. Por sorte, contou com o oportunismo de Luiz Adriano ao seu lado. O centroavante colocou o joelho no caminho da bola e mandou para dentro, em desvio que ainda triscou no travessão. A situação estava nas mãos dos paulistas.

O restante do primeiro tempo foi fraco. O Palmeiras se acomodou em campo e passou a administrar o resultado. Do outro lado, o Fluminense era inócuo. Além dos problemas evidentes na marcação, que permitiram o gol, os tricolores eram lentos demais em suas transições. Mesmo se posicionando mais à frente em campo, o time segue com seu conhecido problema para transformar a posse de bola em agressividade. Mal ameaçou a meta de Fernando Prass. Na única grande chance, João Pedro saiu de frente com o goleiro e bateu para fora. Enquanto isso, Muriel faria outra boa defesa, bloqueando chute de Scarpa.

A boa vantagem do Palmeiras foi construída no início do segundo tempo. O Fluminense até buscou reagir nos primeiros minutos, com Nenê forçando uma baita intervenção de Prass, mas os alviverdes fizeram valer a sua superioridade. Mais perigosos, chegaram ao segundo gol com 12 minutos. Dudu recebeu na direita, em contra-ataque, e entregou o presente para Luiz Adriano arrematar. Os palestrinos mantiveram a toada e, cinco minutos depois, o centroavante completou sua tripleta. Desta vez, a assistência pela direita veio de Marcos Rocha, em cruzamento na cabeça do artilheiro da noite, que concluiu para dentro.

O jogo voltou a murchar depois do gol. O Fluminense se abateu ainda mais com o terceiro tento e não ofereceu grandes ameaças ao Palmeiras. Já os alviverdes tiraram o pé do acelerador e, mesmo assim, ficaram mais próximos do quarto gol. Luiz Adriano seguiu em campo até os 23, bastante aplaudido pela torcida ao ser substituído por Borja. Exibiu todo o seu oportunismo e a capacidade de posicionamento, que encaminharam uma vitória relativamente fácil dos palestrinos. A má fase fica para trás, com duas vitórias para voltar a acreditar no título.

O Palmeiras chega aos 36 pontos no Brasileirão, com os mesmos 18 jogos dos demais concorrentes. Terceiro colocado, abre quatro pontos de vantagem sobre o Corinthians, na quarta posição, e fica a três pontos do líder Flamengo. A competição pelo topo da tabela se reaviva. Já o Fluminense desperdiça uma chance de diminuir a distância para os times acima na tabela. Permanece no 17° lugar, dentro do Z-4, com 15 pontos. Cada vez mais, a missão de escapar do rebaixamento parece mais dura, diante da baixa produtividade da equipe.