Repetidamente, a diretoria do Bahia mostra que possui uma visão de mundo distinta do que se nota em geral no futebol – e, sobretudo, do que se nota entre os dirigentes do futebol brasileiro. Os tricolores realizam uma série de ações em prol da ampliação do acesso ao clube e da inclusão social, que ajudam na própria visibilidade ao time. Porém, se há uma prova irrefutável da maneira como os dirigentes baianos pensam diferente, ela veio nesta quarta. Afinal, não é comum ver um clube, em suas páginas oficiais, convocando sua torcida para boicotar a cerveja nas arquibancadas e consumir apenas nas ruas, em protesto contra o aumento nos preços.

A queda de braço acontece com a administração da “Arena” Fonte Nova. Os responsáveis pelo estádio resolveram aumentar o preço da cerveja vendida em seus bares. A partir de agora, o preço subiu de R$6 para R$8. Além disso, existia um contrato que oferecia 50% de desconto aos sócios do Bahia e venceu recentemente, sem que um novo acordo fosse firmado. Desta maneira, os associados viram o valor quase triplicar, de R$3 para R$8. Enquanto a Arena se vê no direito de cobrar mais, o Bahia tenta unir o poder consumidor de sua torcida contra a medida.

“Quem quiser tomar uma cervejinha, tome na Ladeira. Deixa os bares vazios, porque é inadmissível que uma cerveja suba para R$ 8 reais dentro do estádio numa cidade como Salvador”, escreveu o próprio presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, em nota oficial. “Peço compreensão ao sócio. Tentamos de todo jeito a renegociação disso. Como a Arena não aceitou, em nome da defesa da permanência desse benefício, peço que vá amanhã e não compre cerveja dentro do estádio. Se você quer um Bahia mais forte, que sabe negociar, que quer discutir os problemas de forma justa, participe do boicote”.

O detalhe é que o boicote do Bahia deu tão certo que o clube conseguiu até atrair uma parceria para cervejas mais baratas do lado de fora da Fonte Nova. A Brahma procurou o Tricolor e vai promover uma ação pontual antes do jogo contra o Botafogo, nesta quarta. A partir das 18h, e enquanto durar o estoque, a cervejaria venderá latas de 269 ml por R$1. O único requisito é vestir uma camisa do tricolor.

Além disso, a marca também montou um esquema para atender os ambulantes que trabalharão na Fonte Nova durante esta rodada do Brasileirão. No depósito da cervejaria, as latas serão vendidas a R$0,50. Cada ambulante poderá comprar até 20 caixas. A Brahma, vale frisar, é uma das patrocinadoras do Bahia.