O técnico Antonio Conte colocou o seu futuro na Internazionale em dúvida ao falar aos jornalistas depois da derrota para o Sevilla na final da Liga Europa. A sua Inter perdeu por 3 a 2, de virada, e o treinador não conseguiu um título pelo clube – que segue em jejum desde a conquista da Copa da Itália em 2011. Desta vez, colocou o seu futuro em dúvida e disse que não sabe se continuará no clube na próxima temporada. E ressaltou que houve muitas coisas que não gostou, a ponto de reavaliar se o futebol ainda é a sua prioridade. Uma bomba, tal qual o técnico fez ao final da Serie A.

“Agora temos que voltar a Milão, iremos tirar dois ou três dias de folga, então, com as cabeças frias, iremos nos reunir. É certo que analisemos a temporada toda, olhemos tudo de um modo muito calmo e tentemos planejar o futuro da Inter, seja com ou sem mim”, afirmou o treinador.

“Foi uma temporada muito dura sob todos os pontos de vista, a melhor decisão deve ser tomada para o bem da Inter, com a máxima cordialidade. Não há ressentimento, há pontos de vista que podem ser diferentes”, continuou Conte.

“Para mim, foi um ano belíssimo, agradeço a todos que me deram a oportunidade de ter uma experiência maravilhosa. Valeu a pena e vou ser sempre grato ao clube, vou agradecer [Giuseppe] Marotta, [Piero] Ausilio, e às pessoas que me acolheram. Direi meu ponto de vista com a cabeça fria, para construir algo importante é preciso harmonia”, declarou o treinador italiano.

“Acho que dei muito e recebi muito, desse ponto de vista estou muito feliz. Mas não gostei de algumas situações que vivi este ano”, continuou o treinador. “Também tenho família e tenho que saber se o futebol continua sendo a minha prioridade, porque tudo tem um limite e tenho que saber onde está a minha. Não quero que a minha privada seja afetada. Mas sem ressentimentos, garanto”.

“Foi uma jornada linda, mas difícil, de todos os pontos de vista. Se pudermos melhorar, faremos. Se não, veremos. Sei que não quero continuar outro ano assim. É justo que o presidente [Steven] Zhang também faça suas avaliações com base no que vou dizer a ele”, continuou o treinador.

Antonio Conte, técnico da Internazionale, passa ao lado da taça da Liga Europa (COLOGNE, GERMANY – AUGUST 21: Antonio Conte, Head Coach of Inter Milan walks past the UEFA Europa League Trophy with his runners up medal following his team’s defeat in the UEFA Europa League Final between Seville and FC Internazionale at RheinEnergieStadion on August 21, 2020 in Cologne, Germany. (Photo by Martin Meissner/Pool via Getty Images/Onefootball)

O contrato de Conte vai até 2022, mas o técnico parece disposto a uma ruptura e suas palavras indicam o fim da sua passagem pela Inter de forma precoce, e não no projeto de três anos, tal qual foi combinado. As rusgas com a diretoria acontecem desde que ele chegou, em disputas por contratações. A explosão do técnico ao final da Serie A já criou um clima terrível que agora fica ainda mais complicado.

O presidente do clube, Steven Zhang, falou sobre o futuro, mas não deu muitos indicativos sobre o futuro do clube e do técnico Antonio Conte. “Ele e sua comissão técnica, junto com os jogadores e todos os membros do nosso clube estão fazendo um grande trabalho”, afirmou. “Agora nós iremos descansar, os jogadores e a comissão técnica, porque eles merecem, e então nós iremos planejar para o futuro”.

“Nos próximos dias e semanas, nós iremos pensar sobre o futuro, mas nós queremos melhorar, isso certamente. Não funcionou para nós, mas nós iremos tentar novamente no próximo ano. Esta é a beleza do esporte, tentar dar o seu melhor e tentar melhorar”, continuou o presidente da Inter. “Eu tenho que admitir que ele [Conte] e sua comissão técnica estão fazendo um grande trabalho. Como eu disse, nós iremos descansar e então planejar o futuro”.

“O balanço da temporada é muito positivo. Nós estamos em um caminho que nos permitiu chegar à final para tentar ganhar. Alguns anos atrás, nós não poderíamos imaginar isso. Todos nós, dentro e fora de campo, estamos fazendo um grande trabalho e indo na direção certa. Ganhar ou perder é parte do futebol, mas chegar à final nos torna otimistas para o futuro”, continuou o dirigente, que finalizou agradecendo aos profissionais de saúde. “Nós temos que agradecer a todos os trabalhadores da saúde no mundo por proteger nossas vidas. Sem essas pessoas, não estaríamos aqui hoje”.