Em seu primeiro posicionamento sobre o coronavírus, a Conmebol suspendeu os compromissos da Copa Libertadores apenas durante esta semana, de 17 a 19 de março. Porém, estava claro como a situação não se sustentaria e a entidade continental precisaria adiar mais partidas pela competição continental. Nesta quarta-feira, a Conmebol publicou novo comunicado, garantindo que o prazo de paralisação do torneio irá pelo menos até 5 de maio.

“A Conmebol se encontra comprometida com a prevenção do covid-19 e, ante o risco da expansão do mesmo, a finalidade de proteger a saúde dos jogadores, corpo técnico, delegados, árbitros, dirigentes, imprensa e torcedores, o torneio encontra-se suspenso. No entanto, para fins de previsibilidade para os clubes participantes de nossos principais torneios, a Conmebol tomou a decisão de suspender reuniões previamente agendadas, inicialmente até 5 de maio de 2020”, anunciou a entidade.

A Conmebol também aproveitou o comunicado para pedir aos clubes que cumpram os protocolos de prevenção e tenham responsabilidade. Segundo a entidade, a situação está sendo monitorada com as autoridades competentes e o contato será permanente. “Lamentamos os inconvenientes que esta suspensão possa causar, mas consideramos que, neste momento, é prioridade salvaguardar a saúde de toda a família do futebol sul-americano”, reforçou a confederação.

A suspensão afeta mais duas rodadas da Libertadores, que aconteceriam depois da Data Fifa, em abril. Apenas a sexta rodada da fase de grupos ainda possui tempo hábil para ocorrer, caso a situação melhore até lá. O adiamento da Copa América, em teoria, prolonga o calendário continental para que a Libertadores seja reagendada. Problema maior terão as federações que não parariam durante o torneio de seleções – incluindo o Brasil.