Os rumos no futebol muitas vezes são definidos por detalhes. E, não fossem eles, a realidade poderia ser totalmente diferente. Já imaginou Cristiano Ronaldo enfileirando taças no Campeonato Francês antes de se consagrar como melhor jogador do mundo? Pois houve a possibilidade de acontecer. Quando o craque era apenas uma promessa no Sporting, antes mesmo de acertar sua transferência ao Manchester United, ele esteve próximo de ser repassado ao Lyon. Um negócio que faria a trajetória do Bola de Ouro bem diferente.

A história foi relembrada pelo ótimo Old School Panini, a partir de uma entrevista concedida por Tony Vairelles à revista So Foot. Dono de boa reputação no futebol francês, Vairelles surgiu no Nancy, onde trabalhou com o técnico László Bölöni. Chegou a ser eleito o melhor jogador da segunda divisão, antes de ser negociado com o Lens, pelo qual se sagrou campeão francês em 1998. O sucesso o levou à seleção francesa logo após a Copa do Mundo, pela qual atuou em oito partidas, até 2000. Já em 1999, acertou sua transferência ao Lyon.

Vairelles não deu muito certo em Gerland, passando por seguidos empréstimos a partir de 2001. Enquanto isso, Bölöni fazia o seu trabalho no Sporting, lançando na equipe principal a grande pérola da base leonina: Cristiano Ronaldo, então com 16 anos. Emprestado ao Bastia, Vairelles recuperou o bom futebol e despertou o interesse de seu antigo treinador em 2002. O Lyon, porém, não facilitaria a negociação. Queria recuperar parte do dinheiro perdido com o atacante e, para cobrir o valor, os sportinguistas chegaram a propor a ida de Cristiano Ronaldo como “contrapartida” na transferência. Algo que nunca se concretizou.

Da história surreal aos fatos, Cristiano Ronaldo estourou com o Sporting na temporada 2002/03 e, observado de perto por vários gigantes europeus, acertou sua venda após arrebentar em um amistoso contra o Manchester United. Vairelles, por sua vez, rodou por vários clubes da Ligue 1 depois disso, incluindo Lens, Rennes, Bastia e Tours. Seu melhor período foi com a camisa do Dudelange, do Campeonato Luxemburguês. E em 2011, quando ainda caçava clubes aos 39 anos, chegou a ser preso por tentativa de homicídio, após o tiroteio em uma boate. Acabou solto no ano seguinte, encerrando a carreira pelo Amnéville, da quarta divisão francesa. Bem distante dos gols e dos troféus de Cristiano Ronaldo pelo Real Madrid.