Conheça Vicente, o torcedor cego que atravessou o planeta para sentir e apoiar o River no Mundial

Sozinho, o torcedor fanático fez uma viagem de mais de 30 horas para acompanhar o seu time no Japão. Grande história, de paixão e de vida

O Mundial de Clubes é oportunidade única para muitos torcedores sul-americanos. A chance da vida, de ver o clube se consagrar como o melhor do planeta, em jogo que o marcará a sua própria história. Por isso mesmo, muitos se arriscam em fazer uma cara viagem ao outro lado do mundo – e se endividam seriamente. Ainda que o grande sentimento, na verdade, nem sempre seja vencer. Se terminar com a taça, ótimo, melhor ainda. Mas, caso não seja campeão, já vale gritar para os quatro cantos o quão grande é a paixão que seu time movimenta. O River Plate faz isso com os 15 mil presentes no Japão. Em especial por Vicente Zuccala, um jovem que superou suas limitações para estar lá.

VEJA TAMBÉM: Este segurança do metrô de Osaka tentou pedir silêncio à torcida do River: pobre homem

O rapaz costuma ser assíduo nas arquibancadas do Monumental de Núñez. Mesmo sem poder propriamente assistir aos jogos, mas para se submergir em meio à atmosfera das arquibancadas e ser mais um a apoiar os Millonarios. Vicente nunca viu nem mesmo a camisa alvirrubra do River Plate. Por conta de um parto prematuro, já nasceu com a deficiência visual. Batalha de vida superada por seu fanatismo de futebol desde a infância. “Quando era criança, ele colocava uma bola de papel em um saco de nylon, para que ouvisse o barulho e pudesse jogar”, contou a sua mãe, Ramona Zuccala, em entrevista ao programa 11 de Memora, da rádio AM 1110, de Buenos Aires.

Segundo o jornal Clarín, a história de Vicente ganhou repercussão graças ao twitter. Um usuário da rede social se encontrou com o torcedor e o no aeroporto vestindo a camisa do clube, com seu bastão em punhos. “Viajo para sentir o River”, afirmou o rapaz, que viajou sozinho. Levou consigo poucos objetos, em uma mochila de couro desgastada, fazendo escala no Catar antes de desembarcar em Osaka, após mais de 30 horas. Acompanhou a suada vitória sobre o Sanfrecce Hiroshima por 1 a 0, que garantiu o River na final. E certamente também sentiu a loucura feita pelos alvirrubros nas ruas da cidade japonesa.

VEJA TAMBÉM: Oito mil fanáticos pelo River transformaram a rua principal de Osaka em pedaço do Monumental

Vicente, no entanto, não é um torcedor qualquer. Fã de Francescoli, ele também é jogador de futebol, fazendo parte da equipe de jovens de Los Murciélagos, a seleção argentina para cegos – que, com seu elenco principal, conquistou em maio o terceiro título na Copa do Mundo de Futebol de Cinco, disputada na Coreia do Sul. Segundo a sua mãe, o rapaz juntou moeda a moeda para conseguir acompanhar o River em sua primeira viagem sozinho para o exterior.

“Fazia muito tempo que ele havia metido essa ideia na cabeça. Vicente disse que o voo de volta sai no domingo, três horas depois do final do jogo. E que, se o River sair campeão, nem louco ele iria perder a festa, mesmo que perdesse o avião”, completou Ramona. Se Marcelo Gallardo quiser um exemplo específico de torcedor para “valorizar o esforço e encher seu elenco de paixão”, não há ninguém melhor que Vicente para motivar os Millonarios às vésperas da decisão em Yokohama.

PS: Tomei conhecimento sobre a imagem de Vicente no ótimo Sem Firulas. Vale a pena acompanhar no Facebook.