Por Matheus Laboissière

Os assírios são um grupo étnico que viveu na antiga Mesopotâmia, por volta do ano 3.500 a.C. Um enorme território que se manteve unificado por vários séculos, até que, a partir de 700 a.C., começou a ser invadido por vários impérios da época. Assim, os assírios foram se tornando minoria dentro dessas regiões, restando poucas porções em que hoje estão os atuais territórios de Iraque, Irã (noroeste) e Turquia (sudeste), sendo estes os principais redutos. 

Ao longo das últimas décadas, os assírios se espalharam por Europa e Ásia, tendo alguma importância estatística perante as populações de, além dos países supracitados, Líbano (100 mil habitantes), Estados Unidos (100 a 490 mil) e Suécia (100 a 120 mil). Estes últimos emigraram para o país da Escandinávia advindos de Turquia, Líbano e Síria, sendo que pequena porção deles vive na pacata cidade de Södertäjle, de 86 mil habitantes (dados de 2010), localizada a 30 quilômetros ao sul da capital sueca, Estocolmo. Neste contexto é que foi fundado o Syrianska FC, em 1977.

Obscuridade

O primeiro nome do clube foi Suryoyo Sportsklubb, que significava, em aramaico, Aramaico Esporte Clube. A equipe começou na Division 7, equivalente à nona divisão, permanecendo por seis anos em pleno amadorismo, quando alcançou a Division 6. Em 1985, ocorreu a segunda promoção, para a Division 5 (sétima divisão). Um ano depois, o clube mudou de nome, para Syrianska SK. Quando a década de 1990 se iniciou, o time da comunidade assíria já estava na Division 3, a quinta divisão da pirâmide do futebol sueco.

Três anos mais tarde (1993), a quarta divisão passou a ser realidade no município de Södertäjle, até que o primeiro rebaixamento da história acometeu o Syrianska, em 1995, que estava de volta à quinta divisão. No ano seguinte, os dirigentes traçaram ambicioso objetivo: estar na segunda divisão em até cinco anos (2001). A meta não seria alcançada, mas o clube ficaria perto de tal feito.

Em 1999, a equipe deixou a quarta divisão, conquistando o título do Grupo Oeste, por um ponto de vantagem (43 contra 42) sobre o Nyköpings BIS. Mesmo estreante em um novo campeonato, o Syrianska atingiu o terceiro posto da terceira divisão, Grupo Oeste, ao somar 41 pontos em 22 partidas (12v, 5e, 5d), ficando 14 pontos longe dos playoffs de promoção para a segunda divisão, lugar ocupado pelo BK Forward. No ano seguinte (2001), a equipe finalmente atingiu os playoffs, acumulando 50 pontos em 22 rodadas (15v, 5e, 2d).  Entretanto, o sonho de subir mais um degrau parou nas derrotas (4 a 1 e 2 a 1) para o Åtvidabergs FF, que acabou promovido na ocasião.

Objetivo: promoção

A partir de 2003, a diretoria do clube traçou nova meta: estar na Superettan (segunda divisão) até 2006. No mesmo ano, o Syrianska FC ficou perto dos playoffs de promoção, dois pontos atrás do Väsby IK, que somou 43. Na temporada 2005, a Federação Sueca de Futebol decidiu reduzir os seis grupos de 12 times para apenas dois, contendo 14 participantes cada. O Syrianska foi brilhante na 1ª Fase, terminando o Grupo Oeste na liderança, com 41 pontos em 22 jogos (12v, 5e, 5d), levando vantagem para o Vasalund nos gols-pró (39 contra 36). Para se ter uma ideia, o IK Sleipner, quinto colocado, com 38 pontos, teve de disputar os playoffs de despromoção, em razão da abrupta mudança orquestrada pela entidade que rege o futebol do país escandinavo.

O Syrianska estava a dois jogos da inédita promoção a Superettan, mas falhou, deixando escapar o acesso mais uma vez, para o Qviding FIF, que venceu fora de casa (2 a 0) e perdeu em seus domínios (2 a 1), subindo por um gol. Nas duas temporadas seguintes, o representante da comunidade assíria teria performances regulares na terceira divisão, sem se aproximar do acesso. Até que veio 2008…

Com campanha impecável, de apenas uma derrota em 26 partidas – 2 a 1 para o Gröndals IK, dentro de casa –, o Syrianska abriu oito pontos de vantagem para o Vasalunds (59 contra 51), conseguindo a promoção direta para a segunda divisão e levantando o primeiro grande troféu em toda a história.

Debutante?

Mesmo estreante na Superettan, o Syrianska por pouco não alcançou os playoffs de promoção. A equipe somou 50 pontos, ficando a um do terceiro colocado. E nem o mais otimista torcedor assírio poderia imaginar que, apenas na segunda temporada, o Syrianska alcançaria a Allsvenskan, a elite do futebol sueco! Além dos 56 pontos em 30 rodadas (16v, 8e, 6d), a equipe ainda comemorou o título, por um gol de saldo a mais que o Norrköping. Pela primeira vez, o Syrianska havia atingido o mais alto torneio nacional. Porém, a comunidade assíria já havia convivido com a primeira divisão…

Em 2005, o Assyriska Föreningen, fundado em 1971, por assírios refugiados da Turquia, disputou a Allsvenskan, mas acabou rebaixado no mesmo ano, depois de segurar a lanterna, com apenas 14 pontos em 26 rodadas (4v, 2e, 20d) – atualmente, o clube disputa a segunda divisão, tendo terminado a temporada 2011 em nono.

Passada a euforia da classificação, a intenção de dirigentes, comissão técnica e jogadores era clara. Se o Syrianska terminasse a temporada na elite sueca, o resultado seria comemorado. A equipe até que começou bem, com uma vitória e outro empate, mas a zona dos playoffs de despromoção começou a dar as caras logo na terceira rodada. O Syrianska conseguiria se afastar do perigo a partir do 11º jogo, mas, cinco rodadas depois, frequentaria as últimas posições, sem mais delas sair.

Na 26ª rodada, a cinco partidas do fim, a vitória sobre o Örebro, por 3 a 1, em casa, combinada com a derrota do Treleborgs FF para o GAIS, por 1 a 0, fez com que os dois times trocassem de posição. Assim, o Syrianska terminou a temporada em 14º, com 28 pontos em 30 rodadas (8v, 4e, 18d), na zona dos playoffs de despromoção. Em quatro dias, aconteceu a definição de quem jogaria a primeira divisão em 2012.

O Syrianska, em 27 de outubro de 2011, perdeu para o Ängelholm, terceiro da segunda divisão, por 2 a 1, fora de casa, no jogo de ida. Três dias depois, os anfitriões venciam a volta, por 2 a 1, resultado que forçava a decisão por pênaltis. Eis que o zagueiro David Bennhage faz um gol contra, aos 47 minutos do segundo tempo, mas a favor do Syrianska FC, que conseguiu evitar o rebaixamento logo na primeira temporada!