por Matheus Laboissière

Malta é um pequeno arquipélago cercado pelo mar Mediterrâneo, de 417 mil habitantes, 93 km ao sul da Sicília, Itália. O país é formado por nove ilhas, mas apenas as três maiores (Malta, Gozo e Comino) são habitadas. Ao norte da ilha principal, Gozo se destaca como uma região essencialmente rural, onde os 31 mil habitantes vivem rotina pacata… a não ser quando estão no estádio de Gozo, principal praça de jogo da ilha, que não é independente.

A federação nacional de Gozo, esta sim soberana perante a entidade de futebol maltesa, organiza duas divisões dentro da ilha, completamente amadoras. Porém, a forte ligação histórica com Malta – Gozo só teve independência por quase dois anos, entre 1798 e 1800, quando Napoleão Bonaparte invadiu e conquistou Malta – permite que os melhores jogadores gozetianos participem das competições maltesas. Assim, em 1987, a federação nacional decidiu criar o Gozo Football Club, formado apenas por jogadores locais.

Estrelato

Time pequeno em comparação aos concorrentes de Malta, o Gozo FC sempre frequentou a segunda e terceira divisões nacionais. Até que, aos dez anos de fundação (1997-98), a equipe gozetiana finalmente deu início a uma arrancada memorável, quando alcançou a promoção para a segunda divisão, vencendo o Grupo B da terceirona. Apenas uma temporada depois (1998-99), o clube surpreendeu a todos, terminando a segunda divisão como campeão, com 35 pontos em 18 partidas (10v, 5e, 3d). O que parecia improvável para um clube pequeno acontecera: em dois anos, sair da terceira para a elite de Malta se transformara num feito histórico!

Entretanto, o Gozo resistiu apenas uma temporada na primeira divisão de Malta, mas não se despediu da elite ostentando campanha humilhante. Na primeira fase da competição, a equipe terminou em oitavo – dentre dez clubes –, com 14 pontos em 18 partidas (3v, 5e, 10d). Diante de gigantes nacionais, como Sliema Wanderers e Floriana, apenas duas goleadas sofridas, 5 a 1 e 4 a 1, respectivamente. A vitória de 1 a 0 sobre o Birkirkara – futuro campeão daquele ano –, que costuma frequentar competições europeias, foi digna de orgulho para os poucos habitantes da ilha.

Terminada a primeira fase, o oitavo lugar na tabela levou o Gozo para os playoffs de despromoção, junto de outros três clubes (Naxxar Lions, Rabat Ajax e Zurrieq). Ao final de seis rodadas, a equipe ocupou a penúltima posição, com 12 pontos, a cinco de permanecer na elite. O clube voltaria à segunda divisão, mas o bom desempenho, em se tratando das pretensões gozetianas, não se ateve somente à liga. O Gozo também mostrou sua força na Copa de Malta, atingindo seu melhor resultado na história, as quartas de final. Após derrotar Marsa (3 a 0) e Lija Athletic (4 a 2), o Sliema Wanderers apareceu novamente para estragar a festa, numa goleada de 6 a 1, em Gozo.

Declínio

Na temporada seguinte ao rebaixamento (2000-01), o sétimo lugar dentre dez clubes na segunda divisão, seis pontos acima da degola, assustou os torcedores, que esperavam uma participação razoável, no meio da tabela. A cada ano, o Gozo se aproximava mais da terceira divisão, o que veio a acontecer em 2002-03. O penúltimo lugar, com 17 pontos em 18 rodadas (4v, 5e, 9d), levou a equipe que representa a segunda maior ilha de Malta de volta ao lugar em que havia iniciado.

Até que o clube de Gozo venceu os playoffs de promoção, voltando à segunda divisão em 2004-05. Porém, na temporada seguinte, o pequeno clube maltês já estava de volta ao terceiro nível nacional, após apenas sete pontos em 18 partidas (1v, 4e, 13d), na lanterna. Mas algo pior ainda estava por ocorrer…

Na temporada 2006-07, o Gozo terminou a terceira divisão em 12º e último lugar, com meros 11 pontos em 22 rodadas (2v, 5e, 15d), tendo de frequentar, pela primeira vez, a quarta divisão de Malta, o derradeiro degrau do futebol nacional. Ali também aconteceu o último título do clube, numa campanha irretocável. Em 16 rodadas, nenhum dos oito adversários teve capacidade para vencer o Gozo, que conquistou 15 vitórias e um empate, além de 40 gols marcados e apenas 14 sofridos. 

Atualidade

Após novo rebaixamento à quarta divisão (lanterna, com dez pontos em 22 partidas, apenas duas vitórias), o Gozo permaneceu preso ao último nível do futebol de Malta. Em 2010-11, o clube foi o penúltimo colocado do Grupo B, com 16 pontos, longe da promoção. Em 2011-12, o clube gozetiano não está disputando a quarta divisão, em razão da mudança orquestrada pela Associação de Futebol de Malta, que reduziu o número de participantes da competição, de 22 para 14 equipes.

A Copa de Malta também mudou e o novo formato da competição poderá causar a extinção das atividades do Gozo. A Primeira Fase do torneio eliminatório terá a participação dos times da quarta divisão e de Gozo, no total de 28 equipes – há 14 clubes gozetianos, sete em cada uma das divisões. Desta maneira, é provável que estes venham a substituir o Gozo, que deixaria de participar como entidade-solo das competições maltesas. Porém, nada ainda está decidido [pelo menos, a equipe feminina do Gozo disputa a primeira – e única – divisão de Malta e está na quarta posição, dentre sete times, com 19 pontos em 13 partidas (6v, 1e, 6d)]!