Concachampions: Grupo 8

XELAJÚ (GUA)

Club Social y Deportivo Xelajú Mario Camposeco
Estádio: Mario Camposeco, em Quetzaltenango (11,000 lugares)
Site: www.mixelajumc.com
Como se classificou: campeão do Clausura 2012 da Liga Nacional de Futebol da Guatemala
Técnico: Hernan Medford (CRC)
Destaques: Israel Silva e Edgar Chinchilla
Principais títulos: 5 campeonatos guatemaltecos e 3 Copas da Guatemala
Melhor participação: segunda fase (1963)
Cotação Trivela: 1 estrela

CHIVAS GUADALAJARA (MEX)

Club Deportivo Guadalajara S.A. de C.V.
Estádio: Omnilife, em Zapopan (49,850 lugares)
Site: www.chivascampeon.com
Como se classificou: não finalista com melhor campanha no Apertura 2011 da Primera División do México
Técnico: John van ‘t Schip
Destaques: Rafael Marquez Lugo, Hector Reynoso e Luis Perez
Principais títulos: 1 Copa dos Campeões da Concacaf, 11 campeonatos mexicanos e 2 Copas do México
Melhor participação: campeão (1962)
Cotação Trivela: 3 estrelas

W CONNECTION (TRI)

W Connection Football Club
Estádio: Manny Ramjohn, em Marabella (10,005 lugares)
Site: www.wconnectionsportsgroup.com
Como se classificou: vice-campeão do Campeonato de Clubes da CFU (União Caribenha de Futebol)
Técnico: Stuart Charles-Fevrier (STA)
Destaques: Andrei Pacheco e Rennie Brito
Principais títulos: 4 campeonatos trinitários
Melhor participação: quartas de final (2007)
Cotação Trivela: 1 estrela

O Chivas não pode reclamar do sorteio das chaves. Com campanhas irregulares e poucos destaques, o clube azteca pegou certamente os adversários mais indicados para a fase pífia pela qual passa o Rebaño Sagrado. Ainda que ofereça alguma resistência, Xelajú e W Connection são rivais de pouca tradição e de ligas muito pouco competitivas e devem servir mais para preparar o time para enfrentar os rivais de nível no mata-mata.

Com um novo projeto, tocado pelo holandês Johann Cruyff, e grande foco na renovação, o Chivas vem em busca de apagar as fracas exibições dos últimos anos. Humilhado na Libertadores e com campanha esquecível no último Clausura, os Rojiblancos começaram mal a Liga MX e já enfrentam a costumeira pressão da fanática torcida por resultados. Campeão da primeira edição da competição há 50 anos, o Chivas sabe que uma reconquista continental pode ser a saída.

Sob o comando do lendário ex-meia costa-riquenho Hernán Medford, o Xela conta com o brasileiro Israel Silva em seu elenco. Ídolo e artilheiro do clube em passagem anterior, o atacante foi trazido do futebol grego para ajudar os Altenses a retomar o título nacional após cinco anos. Cotado para atuar pela seleção guatemalteca, Silva é um dos poucos bons nomes do tecnicamente fraco elenco do clube. Ao lado dele, Edgar Chinchilla também traz alguma esperança de surpreender e alcançar as quartas de final.

Já a facilidade para superar o W Connection deve ser vista com ressalvas. Os trinitários foram adversários do Chivas nas quartas de final da CCL em 2007 e por pouco não eliminaram os aztecas. Mesmo com um a menos, venceram em casa e venderam caro a derrota em Guadalajara. O destaque é o atacante Rennie Brito. Para auxiliá-lo o WC trouxe de volta o meia Andrei Pacheco, que chegou a assinar contrato com o Columbus Crew, mas nunca atuou pela MLS. Em contrapartida, a jovem promessa de Santa Lúcia, Zaine Pierre, acertou sua ida para o Genoa (ITA) e deve ser uma baixa sentida pelo clube na disputa continental.