Vencer o Manchester City na Premier League é um problema para qualquer adversário. O time de Pep Guardiola é definitivamente um dos melhores do mundo quando se olha para o campo, o futebol jogado. Por isso, o duelo entre Liverpool e Manchester City neste domingo era tão esperado. Foi a primeira vez que os times se enfrentaram depois do final da temporada passada, quando os Citizens ficaram com o título por um ponto a mais. E os Reds, jogando em Anfield, conseguiram uma grande vitória por 3 a 1, o que os deixou em uma posição muito confortável na tabela da liga inglesa. O técnico Jürgen Klopp elogiou o adversário, falou sobre como conseguiram vencer e também comentou as polêmicas de arbitragem.

“Eu não tenho ideia se eu já tive uma vantagem de nove pontos, a distância nunca foi de nove pontos sobre o City, especialmente depois de um jogo contra eles, então é completamente novo”, disse o técnico à Sky Sports.

“Cada ponto que temos agora nós precisaremos para passar pelo período mais intenso de todos os tempos. Você vê como o Chelsea e o Leicester estão jogando, se nós perdemos hoje, então será sobre cinco pontos? Depois do começo que tivemos, cinco pontos não é nada”.

“Nós temos que jogar contra eles de novo [Manchester City] e nós nos importamos com a tabela ou o que quer que seja, nós apenas tentamos fazer as coisas certas nos jogos específicos e se nós pudermos fazer isso, então estamos bem, mas nós precisamos dos rapazes para fazer isso e espero que eles se mantenham saudáveis”, continuou o treinador.

Como vencer o Manchester City?

“Nós não estamos surpresos que o City teve momentos contra nós, é completamente normal. Eu não sei muitos modos de bater o City, mas se nós quisermos fazer isso, nós temos que fazer com intensidade e os forçando no nosso jogo, e foi isso que os rapazes fizeram”, afirmou o treinador.

“Isso não tornou as coisas fáceis para City, mas em todas as situações quando eles estão no controle, é como um “uau” e infelizmente é assim”, descreveu Klopp. “Nos últimos 10 ou 15 minutos, o City marcou um gol e isso deu a eles um impulso e crença e eles controlaram o jogo, mas nos outros 75 minutos, controlamos o jogo com a nossa intensidade”.

“Nós não os deixamos fazer o que eles quiseram e, se isso fosse mais fácil, eu acho que outros times tentariam fazer isso e os rapazes fizeram uma mudança incrível novamente”, elogiou o treinador. “Foram gols maravilhosos, todos os três gols foram incríveis e isso é o que você precisa em um dia assim. Se você quer vencer o City, você não irá marcar gols fáceis, então você tem que fazer isso de forma especial e defender com todas suas forças, e foi isso que nós fizemos”.

“Se você quer vencer o Manchester City, o que é realmente difícil para qualquer time do mundo, você não pode jogar da forma como eles jogam, porque eles são definitivamente os melhores na forma como jogam. Não tem sentido”, analisou Klopp.

“Então nós tivemos que tentar forçar no nosso jeito. Nós fomos intensos, do primeiro segundo você podia sentir que era importante para os dois times. Nós marcamos dois gols incríveis. Nós tivemos que sofrer em alguns momentos, mas nós fomos capazes de controlar o jogo até que nossas pernas cansaram”.

Nós precisamos de um pouco de sorte em alguns momentos, eles tiveram um pouco de força quando diminuíram para 3 a 1, mas mudamos de formação e conseguimos segurar”, continuou o treinador. “Eu gostei do jogo. Eu amei a atmosfera, foi incrível. As pessoas foram incríveis. E foi contra um adversário extraordinariamente forte”.

Reclamações do City

“Eu não vi”, afirmou o técnico depois do jogo. “Eu sei apenas o que as pessoas me disseram, que é que primeiro a bola bateu na mão de Bernardo Silva, depois na mão de Trent, então eu não sei. Eu posso imaginar que essa é uma situação que Pep não está satisfeito”, disse o treinador.

“Alguém tinha que tomar essa decisão, mas se Silva marcasse um gol com a mão, seria anulado onde que quer que a mão tenha sido, então quem tem que tomar essa decisão?”, continuou o alemão. “Eu não vi, mas eu posso entender toda a decepção. Depois de sofrer um gol quando você tem uma decepção como essa, eu entendo 100%, nós sentiríamos exatamente da mesma forma, mas nós não podemos mudar isso”.

“Nunca vi um gol como aquele”

Klopp foi enfático em elogiar seus jogadores pela forma como o time lidou com a situação do suposto toque de mão de Trent Alexander-Arnold, que resultou no primeiro gol do time, de Fabinho. “A reação, estar em frente ao gol deles 22 segundos depois e então Fabinho marcar com um chute impressionante que nos levou à liderança com 1 a 0 foi incrível”, afirmou o treinador.

“Eu não acho que eu já vi um gol assim, como o segundo que marcamos, provavelmente não. Um lateral direito com um passe de 60 jardas (55 metros, aproximadamente), dois toques e então um cruzamento de 40 jardas (36 metros, aproximadamente) e então uma cabeçada. Isso é muito especial. Foi um bom momento marcar um gol assim”.

“E então o terceiro gol, também muito bom, com um cruzamento sensacional e Sadio [Mané] na posição certa. E em todos esses três gols estava o trabalho duro dos rapazes, que mereceram esses três pontos”.

Standings provided by Sofascore LiveScore