Comandado por Pepê, o Grêmio fez um ótimo primeiro tempo e ratificou a passagem sobre o Cuiabá

A primeira partida entre Grêmio e Cuiabá, pelas quartas de final da Copa do Brasil, deixou um sinal de alerta aos tricolores. A equipe venceu por 2 a 1, mas não jogou bem e passou vários apuros na Arena Pantanal. Nesta quarta-feira, entretanto, os gremistas conquistaram uma vitória para não deixar dúvidas sobre sua classificação às semifinais. A equipe de Renato Portaluppi apresentou um futebol muito mais convincente, sobretudo no ótimo primeiro tempo, e mal deixou os visitantes assustarem, assegurando o triunfo por 2 a 0 na Arena. Pepê infernizou a marcação e deu as duas assistências, ambas bem aproveitadas por Diego Souza.

A classificação do Grêmio se desenhou desde os primeiros minutos. Os tricolores tinham muito volume de jogo e pressionavam no campo de ataque. Aos dez, saiu o primeiro gol. Depois da inversão de Jean Pyerre e de uma envolvente troca de passes pela esquerda, Pepê mandou um cruzamento preciso. A bola veio direto na cabeça de Diego Souza, que estufou as redes. O trabalho do ponta era essencial e ele quase entregaria outra assistência a Diego Souza instantes depois, em lance no qual o veterano bateu para fora após o erro da defesa.

Era um Grêmio bem mais organizado que na partida de ida, sem dar as mesmas brechas ao Cuiabá. O meio-campo, sobretudo, impunha o domínio tricolor. Contribuía com a marcação forte e trabalhava com a bola no chão, contando ainda com o apoio ativo dos laterais. O Dourado muitas vezes se postava atrás da linha da bola, sem conseguir sair.

Diego Souza chegou a ter um gol anulado aos 21, por impedimento na construção do lance, logo depois de uma cabeçada de Pepê no travessão. David Braz também veria seu grito negado pouco depois, igualmente por impedimento. E se o tento amadurecia, ele viria num contra-ataque, quando os mato-grossenses tentavam avançar um pouco mais. Aos 41, a combinação se repetiu, com Pepê arrancando e servindo Diego Souza, que fuzilou. Antes do intervalo, Pepê ainda exigiu boa defesa de João Carlos, com Everton mandando o rebote para fora.

O segundo tempo começou com o Grêmio administrando mais o resultado e o Cuiabá tentando sair ao campo de ataque, ainda que sem criar tantos perigos. As primeiras chances da etapa complementar foram tricolores, em cabeçada de Pepê para fora e em batida de Jean Pyerre que o goleiro João Carlos pegou. Renato mandaria a campo Churín e Ferreira, renovando as energias de seu ataque, mas os gremistas preferiam evitar os riscos. O Cuiabá mal criava jogadas, bloqueado pela defesa. Parecia ser mais fácil ver o terceiro tento dos gaúchos.

O goleiro João Carlos evitaria uma derrota mais elástica. Ele espalmou um chute de Everton aos 25 e também barraria Ferreira minutos depois, sem que Pepê aproveitasse o rebote. O Cuiabá não imprimia a mesma velocidade vista na Arena Pantanal e não demonstrava poder de reação nem com as mudanças. Enquanto isso, o Grêmio administrou seu desgaste com as trocas e lamentaria uma última chance perdida por Pepê, aos 42. O garoto saiu de frente para o gol e tentou tirar do alcance de João Carlos, mas só acertou a parte externa da rede. Nada que fizesse falta.

O Grêmio acumula oito vitórias consecutivas. Ainda que nem todas tenham sido com o futebol dos sonhos da torcida, a equipe apresenta acertos e vive um momento crescente na temporada. A Copa do Brasil, tão marcante à história do clube, volta a surgir no horizonte como uma chance real. Já o Cuiabá volta a concentrar suas forças em busca do acesso na Série B, mas merecendo aplausos pela maneira como peitou os adversários de elite nos mata-matas.