Sem jogar de uma maneira particularmente excepcional, mas galgado em uma ótima defesa, o Real Madrid passou 21 jogos sem perder, desde meados de outubro, mas dois gols e uma assistência de Alexander Isak ajudaram a Real Sociedad a derrubar a série invicta e a campanha do time de Zinedine Zidane na Copa do Rei, com uma maiúscula vitória por 4 a 3 no Santiago Bernabéu.

Ao longo dessa série sem derrotas, o Real Madrid havia sofrido apenas nove gols, um pouco mais do que o dobro que a Real Sociedad conseguiu nesta quinta-feira, e demonstrou uma estranha fragilidade defensiva, acentuada pela ausência de Casemiro, sequer relacionado para as quartas de final da principal copa da Espanha.

A Real Sociedad vinha de algumas semanas ruins pelo Campeonato Espanhol, com três derrotas nas últimas quatro rodadas e apenas quatro vitórias em 12 partidas pela liga, mas avançou às semifinais e tem a chance de coroar uma boa temporada com o título que não conquista desde 1987.

A partida ainda não havia pegado no tranco quando, aos 22 minutos, Isak bateu cruzado de fora da área, sem muito perigo, mas Areola rebateu para a frente. Odegaard pegou o rebote de primeira e contou com um desvio em Milhão para colocar a bola entre as pernas do goleiro francês. Não comemorou em respeito ao clube ao qual ainda é vinculado.

Com problemas de criação, o Real Madrid assistiu ao jovem atacante sueco perder três boas oportunidades de ampliar o placar no primeiro tempo, em todas falhando na hora da finalização, enquanto uma batida bem colocada de James Rodríguez e outra de Valverde, após boa jogada de Vinícius Júnior, exigiram intervenções de Alex Remiro.

No segundo tempo, Isak anunciou que manteria o faro artilheiro que lhe rendeu sete gols nas sete partidas da Real Sociedad anteriores a esta quando recebeu o lindo passe de Odegaard por trás da defesa e bateu colocado, mas o lance foi anulado por impedimento.

Aos nove minutos do segundo tempo, Barrenetxea deixou Nacho na saudade e cruzou, um pouco atrás de onde estava Isak, que conseguiu pegar de primeira com a perna esquerda para fazer 2 a 0. Dois minutos depois, usou a direita para acertar uma bomba no ângulo de Areola.

O Real Madrid manteve-se vivo na disputa quando Marcelo recebeu pela esquerda e chutou com tanta força que Remiro até tocou na bola, mas não conseguiu impedi-la de entrar. O problema é que poucos minutos depois Isak cruzou rasteiro da direita e Mikel Merino pegou de primeira para fazer o quarto da Real Sociedad.

Rodrygo entrou no lugar de Brahim Díaz, por volta do momento em que o gol de cabeça de Vinícius Júnior foi anulado, e, aos 36 minutos, pelo menos aliviou a barra do Real Madrid ao aparecer na segunda trave para completar a jogada do compatriota pela ponta esquerda.

Claro que os donos da casa tentaram, mas a partida parecia morta até os 48 minutos do segundo tempo, quando Nacho desviou com precisão o cruzamento de Benzema e descontou para 4 a 3, o que significava que o Real Madrid poderia sonhar com a prorrogação.

E o sonho ficou um pouco mais próximo de ser realizado quando Vinícius Júnior, principal força ofensiva do Real Madrid na partida, deu um chapéu em Andoni Gorosabel, que não curtiu muito, fez a falta e recebeu o segundo cartão amarelo.

Com alguns minutos no relógio e um a mais, o time merengue conseguiu colocar Sergio Ramos, autor de tantos gols salvadores em momentos de desespero, em posição de cabecear com certa liberdade, mas, desta vez, o zagueiro mandou sem tanta força às mãos de Remiro e desperdiçou o último suspiro do Real Madrid na Copa do Rei.

.

.