A seleção feminina entrou em campo nesta quinta-feira para dar show na Arena Corinthians. A equipe disputou amistoso contra o México e aplicou uma goleada imponente sobre as visitantes: 6 a 0, num festival de gol que aconteceu principalmente nos minutos finais da partida. Bia Zaneratto terminou como o grande destaque, ao anotar três tentos na noite. Foi a vitória mais elástica da equipe desde a chegada de Pia Sundhage.

Antes da partida, em conversa com a repórter Lívia Laranjeira, Pia Sundhage declarou que estava satisfeita com o desempenho defensivo do Brasil nos últimos jogos, mas esperava um rendimento melhor no terço ofensivo do campo. E o pedido da treinadora se notou em Itaquera. Agressiva desde os primeiros minutos, a Seleção abriu o placar aos nove. Debinha executou uma ótima enfiada de bola e encontrou Duda, que dominou com liberdade e fuzilou.

O Brasil manteve o ritmo durante o primeiro tempo. Que o México seja bastante inferior, a Seleção demonstrava um futebol fluído e mais organizado ofensivamente que em outras aparições recentes. O time avançava com boas triangulações e gastava a bola em outros lances de efeito. Cristiane e Bia Zaneratto se combinavam bem na frente, com o apoio constante de Debinha. Faltava só acertar um pouco mais as finalizações, diante das muitas chances criadas.

Bia Zaneratto e Cristiane tiveram gols anulados antes dos 25 minutos, enquanto a goleira Emily Alvarado também evitava um placar maior. O segundo viria apenas aos 40, quando Bia Zaneratto aproveitou uma trapalhada da zaga mexicana e rolou para Debinha anotar. Já no principal lance de perigo do México, Kaitlyn Johnson carimbou a trave com um chute colocado, nos acréscimos.

O Brasil voltou com três mudanças para o segundo tempo e o jogo da equipe perdeu um pouco de seu encaixe. Foram minutos mais mornos e Lelê precisou trabalhar em sua meta, até que o caminhão de gols saísse a partir dos 25 minutos. Pesou demais o oportunismo de Bia Zaneratto dentro da área, muito bem assessorada por Andressinha. No primeiro gol da atacante, Andressinha cruzou, Gabi Zanotti desviou no segundo pau e Bia escorou para dentro.

Já a goleada desandou depois dos 37. Bia Zaneratto repetiu a dose com um chute cruzado, após driblar uma mexicana. Millene, que saíra do banco, deixou o seu aos 42. Recebeu de Bia e mandou no contrapé da goleira. Por fim, o sexto completaria a tripleta de Bia Zaneratto. Andressinha cruzou e a atacante apareceu sozinha na área para desviar. A apatia do México no final facilitou o placar dilatado. Ainda assim, o resultado é condizente, diante do domínio do Brasil que poderia ter rendido mais tentos no primeiro tempo.

O único porém ficou por conta do baixo público na Arena Corinthians. Menos de 5 mil pessoas assistiram à partida nesta quinta à noite. E a culpa, não surpreendentemente, vai à desorganização da CBF. Os ingressos passaram a ser vendidos apenas dois dias antes do jogo, depois de uma divulgação inexistente.

O Brasil terá outro amistoso contra o México no próximo domingo, em Araraquara. Será o último compromisso da Seleção no ano. Já classificada aos Jogos Olímpicos de 2020, a equipe aprimora o trabalho de Pia Sundhage. Desde o fim da Copa do Mundo, as brasileiras pegaram outras seleções de peso e conquistaram bons resultados, mesmo sem jogar bem em todas as apresentações, primando pela consistência defensiva. O grande mérito desta goleada é mesmo a forma como o time produziu no ataque.