Com três gols, Barrios oferece variações importantes ao Grêmio e encaminha a classificação

Centroavante se redimiu das chances perdidas no Paraguai e oferece um outro desenho tático ao Grêmio, além das duas primeiras partidas

Uma das principais discussões sobre o Grêmio neste início de temporada se concentra na montagem de seu ataque. Diante das peças disponíveis, há algumas possibilidades nas mãos de Renato Gaúcho. E, nesta quinta, a balança pendeu para a visão de quem prefere bancar um centroavante mais fixo, de ofício. Lucas Barrios foi o grande nome da goleada sobre o Guaraní, na Arena, deixando para trás as chances perdidas no Defensores del Chaco. Os tricolores demonstraram uma facilidade imensa diante dos paraguaios, mesmo que alguns problemas físicos tenham atrapalhado antes e durante o jogo. O camisa 18 balançou as redes três vezes, assegurando o triunfo por 4 a 1 e encaminhando a classificação para os mata-matas.

O Guaraní até assustou nos primeiros instantes, com dois chutes de longe que seguiram para fora. Nada que atrapalhasse os planos do Grêmio, abrindo o placar aos sete minutos. Luan cruzou e Barrios foi oportunista para completar às redes. Os tricolores tinham o jogo nas mãos, buscando o ataque e trabalhando bastante com o seu homem de referência. Nem mesmo a substituição do lesionado Miller Bolaños, para a entrada de Arthur, atrapalhou a pretensão dos anfitriões. Aos 27 minutos, Marcelo Oliveira fez boa jogada pela linha de fundo e passou para Barrios ampliar.

Pouco depois, o Guaraní conseguiu diminuir o prejuízo, em gol contra de Léo Moura, desta vez atuando na lateral direita para suprir a ausência de Edílson. Mas foi só um lampejo dos paraguaios. A situação dos visitantes parecia se complicar quando Arthur sofreu pênalti, mas a cobrança de Luan parou no goleiro Alfredo Aguilar. Pouco depois, os aurinegros ficaram com um a menos. O árbitro puniu Néstor Camacho após deixar o braço no rosto de Arthur. Já nos acréscimos da primeira etapa, Pedro Geromel encaminharia o resultado, desviando cobrança de escanteio de Léo Moura para dentro.

Se Lucas Barrios ia bem na frente, Luan não agradava. O camisa 7 desperdiçou o pênalti e errou outros lances por falta de concentração, pegando mal na bola em diversos momentos. Desagradou os torcedores. Aos poucos, o Grêmio passou a adotar uma postura mais cautelosa, se posicionando na defesa e buscando o contra-ataque. A entrada de Lincoln na vaga de Luan ajudou os tricolores neste aspecto. E o jovem participaria diretamente do tento que deu números finais à goleada, aos 33. Serviu Barrios, que passou pela marcação e soltou a bomba da entrada da área. O trabalho estava feito, com o time da casa se resguardando.

Na última semana, Barrios não tinha ido bem contra o Guaraní na visita a Assunção. Perdeu boas chances, que poderiam ter rendido um resultado melhor que o empate. Redimiu-se sendo letal no reencontro com os compatriotas, em uma partida que pareceu desenhada para si. A maneira como o Grêmio jogou pedia um centroavante de presença física. Resta saber se a arquitetura do time será sempre assim. Nas duas primeiras partidas nesta Libertadores, a mobilidade ofensiva construiu o resultado, com transições rápidas. O melhor para Renato é que conta com possibilidades de variação, especialmente se as suas opções estiverem saudáveis.

A confirmação da classificação do Grêmio é apenas questão de tempo. Com 10 pontos, há a possibilidade matemática de ser ultrapassado por Guaraní e Deportes Iquique, mas dependendo de uma combinação de resultados improvável, especialmente pela necessária derrota contra o lanterna Zamora na Arena. Não vai acontecer. Em uma chave tranquila, os tricolores cumprem sua obrigação com êxito e até com mais facilidade que o esperado. Agora, é confirmar a liderança, o que deve acontecer na próxima vitória.