Com três assistências de Messi, Barcelona consegue virada sofrida contra o Betis

Argentino não marcou, mas foi importante na virada do time na casa do adversário, que mantém a diferença para o líder em três pontos

No reencontro entre o técnico Quique Sétien com o seu antigo clube, o Betis, o Barcelona conseguiu a vitória sofrida por 3 a 2. Não foi um grande futebol dos catalães, mas contaram, mais uma vez, com a participação decisiva de Lionel Messi. Desta vez, o camisa 10 e capitão blaugrana não fez nenhum gol, mas foi dele que saíram os três passes para os gols do time. O time vinha pressionado depois da eliminação no meio de semana diante do Athletic Bilbao, pela Copa do Rei. Precisava de um resultado, até pela vitória do Real Madrid, mais cedo.

[foo_related_posts]

O Betis conseguiu fazer um grande jogo contra o seu ex-comandante. Jogou compacto a maior parte do jogo e contava com o apoio de uma torcida que fazia barulho e pressionava. A grande atuação de Nabil Fékir quase fez o Betis conseguir mais do que o placar mostrou, assim como Sergio Canales, outro a se destacar na partida. Messi, porém, acabou tendo participação decisiva, como costuma ser, salvando mais uma atuação abaixo do esperado do Barcelona.

O Barcelona tinha desfalques, como tem sido muito comum nesta temporada. Gerard Piqué estava suspenso e, por isso, a zaga foi formada por Samuel Umtiti e Clément Lenglet. Luis Suárez, Ousmane Dembélé e Neto são desfalques de longo prazo. O técnico rodou o elenco com Arthur, Ivan Rakitic e Jordi Alba no banco de reservas, assim como Ansu Fati, que ganhou espaço no time nas últimas rodadas. Assim, Sergi Roberto voltou ao meio-campo, com Nelson Semedo na lateral.

O primeiro gol do jogo foi marcado depois de um lance que o VAR foi acionado. Fekir chutou, a bola pareceu desviar na mão de Lenglet. Depois de consulta ao VAR, o árbitro apontou a marca da cal. Sergio Canales, ex-Real Madrid, cobrou e marcou: 1 a 0, logo aos seis minutos de partida. Só que o Barcelona conseguiu igualar o marcador rapidamente. Messi achou Frenkie De Jong, que dominou no peito e, sem deixar cair, finalizou para igualar o marcador: 1 a 1.

O Betis voltaria a ficar em vantagem depois de uma recuperação de bola no meio-campo. Arturo Vidal adiantou demais, Guido Rodríguez, ligado, tomou a bola, rapidamente Nabil Fekir foi acionado e ele foi para cima da marcação de Umtiti, puxou para o pé esquerdo e marcou: 2 a 1 para os mandantes.

Só que mais uma vez, apareceu Messi. E também uma bobeira da defesa do Betis. O camisa 10 do Barcelona cobrou falta de longe em direção à área, Sergio Busquets dominou, depois da bola passar por todo mundo, e marcou: 2 a 2. O Betis reclama de uma falta de Lenglet, que teria segurado Bartra. Um gol crucial para o Barcelona, que jogava mal e via o Betis ser melhor em campo. O empate permitia ao time volta ao jogo no segundo tempo com mais tranquilidade.

Foi o que aconteceu. O Barcelona melhorou no segundo tempo, pressionou mais e chegou mais vezes ao ataque. O futebol ainda estava longe de ser de qualidade e dominante, mas o time era quem comandava as ações em campo. Messi, muito participativo, chegou perto de marcar algumas vezes. Foi barrado pelo goleiro, ou por não acertar o gol.

Só que aos 26 minutos, Messi repetiu o que aconteceu pouco antes do intervalo. Cobrou uma falta de longa distância, levantando a bola na área, e desta vez Lenglet se antecipou à marcação, tocou de cabeça muito bem e marcou. Mais uma vez, o Betis reclamou de falta, em Guido Rodríguez, que teria sido empurrado. Nada foi marcado.

Dali em diante, o jogo teve menos lances de perigo do que polêmica, discussão e cartões. Fekir tomou cartão por uma falta, mas reclamou muito com o árbitro. Acabou sendo expulso, aos 30 minutos. Só que o Barcelona pôde aproveitar o jogador a mais por pouco tempo. Quatro minutos depois, foi a vez de Lenglet, autor do gol, tomar o segundo cartão amarelo e acabar com o cartão vermelho. No final, é o Barcelona que reclama de pênalti, em um lance de contra-ataque que Messi recebeu, dentro da área, e foi agarrado. O árbitro mandou seguir.

O Barcelona de Quique Sétien segue sendo uma equipe com muita dificuldade. Terminou com 71% de posse de bola, 10 finalizações, sendo seis delas no alvo. Sem um centroavante, o time pouco conseguiu finalizar com real perigo e aproveitou bem as bolas paradas. Ainda é pouco para um time que se esperava o topo, sempre. Alguns jogadores não conseguiram aproveitar a chance em campo, como Semedo – cada vez menos justificável a sua presença no elenco – e Arturo Vidal.

Assim, o Barcelona conseguiu a vitória por 3 a 2 e manteve a diferença de pontos para o líder Real Madrid em três.

Classificações Sofascore Resultados