O Milan segue vivo na luta por uma vaga na Champions League depois da vitória sobre o Bologna nesta segunda-feira. Os 2 a 1 vieram de maneira sofrida, com muita tensão em campo, expulsão de Lucas Paquetá e até uma discussão feia no banco de reservas entre o técnico Gennaro Gattuso e Timoué Bakayoko. O resultado mantém os rossoneri na acirrada disputa por um lugar entre os quatro primeiros do Campeonato Italiano, ultrapassando a Roma e ficando em quinto lugar.

A atuação do Milan não foi exatamente consistente, algo que é constante neste time comandado por Gattuso. No primeiro tempo, as coisas estavam complicadas para o Milan, que não conseguia criar tantas chances. E aconteceu o primeiro entrevero do jogo. E foi fora de campo. O argentino Lucas Biglia sentiu uma lesão e pediu para ser substituído. Gattuso escolheu Timoué Bakayoko para entrar. O francês demorou a se preparar e, irritado, o técnico chamou José Mauri, que foi quem, enfim, entrou em campo.

Quem abriu o placar para o Milan foi um dos seus principais jogadores, Suso, que vinha há algum tempo sem marcar gols – eram quase cinco meses sem balançar as redes. Em uma jogada característica, Suso puxou para o meio, vindo da direita, e chutou de pé esquerdo, no canto do goleiro, que ficou deslocado. Aos 37 minutos, o Milan tinha o 1 a 0 no placar.

No segundo tempo, aos 22 minutos, o Milan chegou ao segundo gol. Fabio Borini, que entrou no lugar de um apagado Hakan Çalhanoglu, tentou a jogada pela ponta esquerda, cruzou, a defesa afastou e Lucas Paqueta chutou forte. O goleiro espalmou e sobrou para Borini, que marcou 2 a 0. Parecia ser um gol que deixaria o jogo tranquilo.

As coisas começaram a complicar aos 27 minutos. Foi quando o Bologna fez uma jogada inteligente. Cobrança de escanteio para Sansone fora da área, que ameaçou o chute, mas fez o passe, em uma cavadinha, para Destro, no meio da área. O atacante dominou, girou e chutou para marcar o gol que diminuiu o placar para 2 a 1.

O Milan se complicaria ainda mais logo depois. Lucas Paquetá reclamou de ter levado uma falta, foi para cima de Erick Pulgar e, por isso, levou cartão amarelo – enquanto Pulgar levou o mesmo cartão pela falta. Só que Paquetá ficou inconformado e deu um tapa nas mãos do árbitro, como se tentasse baixá-las. O árbitro Maro Di Bello, então, mostrou o cartão vermelho direto para o meio-campista brasileiro.

Foi preciso sofrer até o fim do jogo, com mais expulsões já nos segundos finais do jogo. Aos 50 minutos, o árbitro mostrou o segundo cartão amarelo para Sansone. Depois do apito final, o árbitro, cercado de jogadores do Bologna, ainda expulsou mais um: Mitchell Dijks acabou recebendo mais um cartão vermelho.

A vitória é crucial para o Milan manter a sua toada e o sonho de chegar à Champions League na próxima temporada. Os suados três pontos contra o Bologna levaram o Milan a 59 pontos, mesma pontuação da Roma, mas superando o time da capital no confronto direto, primeiro critério de desempate. A Atalanta, atual quarta colocada, tem 62 pontos. Restam três rodadas para o final da Serie A.

No sábado, 11 de maio, o Milan visita a Fiorentina. A Atalanta, também no sábado, recebe o Genoa. A Roma, por sua vez, tem a difícil tarefa de receber a Juventus no estádio Olímpico.