Em um dos grupos mais equilibrados da Champions League, a definição dos classificados veio só nos últimos minutos da última rodada. Os dois jogos terminaram empatados por 1 a 1, com o Tottenham arrancando o empate do Barcelona fora de casa, depois de sair perdendo, e a Inter também conseguir o empate depois de sair atrás. Só que os italianos precisavam de um resultado melhor que os ingleses para avançarem, o que não aconteceu. O Barcelona, já garantido como primeiro, avança ao lado do Tottenham. A Inter vai para a Liga Europa. O PSV se despede das competições europeias com maus resultados, mas um bom futebol, atuando de forma digna na competição.

LEIA TAMBÉM: Mesmo com Porto e Schalke 04 classificados, o Grupo D ofereceu suas emoções na rodada final

O Tottenham consegue a classificação depois de um início ruim no grupo, perdendo para a própria Inter na Itália por 2 a 1, de virada. Ao longo da primeira fase, a Inter foi se perdendo e o Tottenham se recuperando. A Inter venceu os dois primeiros jogos e se colocou em uma boa posição, mas não venceu mais nenhum dos outros quatro jogos. Perdeu do Barcelona uma vez e empatou outra, perdeu do Tottenham e, por fim, só empatou em casa com o PSV. Terá como consolação a Liga Europa para disputar até o final da temporada. O desempenho dos ingleses foi o oposto. Venceu dois jogos, PSV e Inter, e depois arrancou um dramático empate com o Barcelona fora de casa. Acaba premiado com a classificação.

O Barcelona entrou em campo sem seus principais jogadores, especialmente Lionel Messi, o capitão e craque, que começou no banco. Além dele, o centroavante Luis Suárez também foi poupado. A defesa toda do Barcelona era reserva: Cillessen no gol, Semedo na lateral direita, Lenglet e Vermaelen na zaga e Juan Miranda, da base, na lateral esquerda. No meio-campo, outro novato: o meio-campista Carles Aleñá, ao lado de Rakitic e Arthur. No ataque, Coutinho liderava com Dembélé e Munir El Haddadi.

O Tottenham, por sua vez, vinha com time completo, sabendo que precisaria vencer para não depender do resultado do jogo da Inter. O técnico Mauricio Pochettino colocou em campo seus principais jogadores, com uma linha de frente forte: Christian Eriksen, Dele Alli e Son Heung-Min e Harry Kane mais à frente. Um time forte para buscar uma vitória difícil, mas possível no Camp Nou. Só que o roteiro nem sempre é tão simples.

Logo depois de seis minutos, Dembélé arrancou do meio-campo, deixou todo mundo para trás antes de fintar bonito o marcador e marcar 1 a 0. Com isso, bastava que a Inter empatasse em casa no outro jogo com o PSV para ficar com a vaga. O gol do Barcelona causou até uma cena curiosa: torcedores da Inter, em San Siro, comemoraram o gol.

O técnico da Inter, Luciano Spalletti, escalou um time com uma formação ligeiramente diferente. Como o clube está punido pela Uefa por violações em relação ao Fair Play Financeiro, e por isso só pôde inscrever 22 jogadores de 25 possíveis. Com isso, a equipe tinha poucas opções de meio-campo e Spalletti escolheu colocar Antonio Candreva, normalmente um ponta, pelo meio, ao lado de Brozovic e Borja Valero. No ataque, Politano, Perisic e Icardi, mais avançado. Naiggolan, outro machucado, foi para o banco, sem poder jogar o tempo todo.

O problema é que a Inter precisava fazer a parte dela e aí as coisas também se complicaram. Em uma saída de bola errada de Asamoah, Steve Bergwijn tomou, foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Hirvink Lozano, que completou para o gol e colocou os holandeses em vantagem: 1 a 0, aos 13 minutos. Foram poucos minutos de empolgação na Itália. A Inter se afobou depois do gol, errando passes e sem conseguir trabalhar as jogadas para chegar à área adversária e levar perigo. O time mal conseguiu chutar no gol e só acertou um chute no alvo nos primeiros 45 minutos.

Enquanto isso, em Barcelona, o Tottenham viu Coutinho acertar uma bola na trave no primeiro tempo e sofrer para criar chances de gols. Foi para o Intervalo exatamente como a Inter, perdendo por 1 a 0. Até por isso, tanto Spurs quanto Inter voltaram para o segundo tempo com a sensação de faca no pescoço.

Logo a três minutos do segundo tempo, a Inter finalmente chegou com muito perigo. Em um passe lindo pelo meio, o capitão Mauro Icardi teve uma chance clara, chutou forte de pé esquerdo e o goleiro Jeron Zoet fez uma grande defesa. Logo depois, aos sete minutos, mais um chute perigoso, de Politano, mostrava que a Inter viria para a pressão total no segundo tempo.

Precisando do resultado, Spalletti tirou Candreva e colocou um jogador mais ofensivo, o atacante Keita Baldé, normalmente um ponta por um dos lados. Passou a atuar mais perto de Icardi. A Inter passou a atuar de forma mais efetiva, abrindo o campo e com mais presença dentro da área. Mais do que isso, chutando mais a gol. O rendimento melhorou e o PSV também se colocou mais atrás para defender o resultado.

No Camp Nou, o Tottenham não vivia uma situação melhor. O Barcelona era quem tinha mais a bola e passou a preocupar com uma ou outra chance. Em uma delas, Coutinho hesitou e perdeu a chance de finalizar. Dembélé foi outro a ter uma chance em um chute colocado, buscando o ângulo, mas mandou para fora. O Totenham melhorou no jogo aos poucos, passou a pressionar e chegou com perigo algumas vezes.

Na Itália, Spalletti mandou o time todo para o ataque ao tirar o lateral Asamoah e colocando o atacante Lautaro Martínez. Bagunçou bastante o desenho do time, colocando uma formação sem um lateral esquerdo – Perisic cobria, na medida do possível, o espaço – e tornando o time altamente ofensivo. Uma pressão em busca do gol. E deu certo.

O melhor jogador da Inter na partida Matteo Politano, arrancou um cruzamento muito preciso para Mauro Icardi na segunda trave e o centroavante mandou para a rede: 1 a 1, aos 27 minutos. Com isso, a classificação passava aos nerazurri com a derrota do Tottenham no Camp Nou naquele momento.

O Tottenham passou a ficar a maior parte do tempo no campo de ataque, tentando rodear a área do Barcelona. E foram chutes perigosos, com Cillenssen trabalhando para impedir o gol dos Spurs. Pochettino, aliás, colocou em campo o brasileiro Lucas no lugar de Son, que não conseguiu desenvolver o seu melhor futebol.

Precisando do resultado em Barcelona, Pochettino colocou em campo o centroavante Fernando Llorente, sacando o volante Harry Winks. Passou a ter dois jogadores mais de área para tentar, nos minutos finais, o empate. E foi assim que, aos 39 minutos, Kane recebeu pela esquerda e cruzou para a área, Lucas completou para o gol e empatou o jogo no Camp Nou: 1 a 1. Gol que recolocava o time inglês nas oitavas de final.

O que significa que em San Siro teríamos os minutos finais com a Inter precisando de mais um gol para arrancar a classificação. O Tottenham, por sua vez, teve a chance de virar o jogo em uma bola de Kane para Rose, mas o lateral chutou por cima do gol e desperdiçou. Na Itália, a Inter parecia sentir a pressão e não conseguia mais pressionar do mesmo jeito. O PSV passou a chegar ao ataque e segurar mais a bola por lá.

A Inter deixa a Champions League com o gosto amargo de quase ter conseguido. O time, porém, teve um desempenho que precisa ser colocado sob avaliação, porque embora os resultados que tenham vindo nos dois primeiros jogos, o time teve atuações abaixo do que poderia e, mais do que isso, do que deveria. Neste último jogo, poderia ter arrancado a classificação, mas de forma desorganizada, caótica, com um time que não sabia bem o que fazer em campo. Tanto a escalação quanto as substituições foram ruins, o time teve problemas que precisará encarar para melhorar o desempenho especialmente no Campeonato Italiano, onde só assiste a Juventus com binóculos.

O Tottenham, na maior parte do tempo, jogou mais e melhor que a Inter. Arranca a classificação dramática, mas merecida. Terá um desafio maior na próxima fase, encarando um líder de grupo, mas parece mais pronto para um desafio maior. Os Spurs não mostraram a força que têm em Barcelona, contra um time majoritariamente de reservas. Ainda assim, o time tem potencial para muito mais e pode fazer um jogo duro com quem quer que venha pela frente nas oitavas de final em fevereiro. Por fim, o Grupo B entregou aquilo que se esperava: muita disputa até o apito final da última rodada.

Mauro Icardi marcou o gol da Inter, mas time acabou eliminado da Champions (Foto: Getty Images)