Com show de Berg, a Suécia detonou Luxemburgo e aplicou sua maior goleada desde 1938

Suecos enfiaram 8 a 0 sobre os visitantes, em goleada que também complica demais a vida da Holanda

Durante uma coletiva de imprensa às vésperas da Data Fifa, Dick Advocaat foi perguntado sobre o que faria se a Suécia goleasse Luxemburgo por 8 a 0. O treinador afirmou que aquela era uma pergunta “estúpida” e que, depois do empate heroico contra a França, não acreditava que os luxemburgueses sofreriam uma derrota por oito gols. Pois bem. Horas depois, o que parecia uma questão tola virou profecia: os suecos enfiaram 8 a 0 sobre Luxemburgo na Friends Arena, resultado que aproxima bastante a equipe ao menos da repescagem nas Eliminatórias da Copa. Já a Holanda de Advocaat precisa fazer as contas para se agarrar ao fio de esperança, cada vez mais próximo de se romper.

O grande nome da goleada em Solna foi Markus Berg. O centroavante estava em uma noite voraz e balançou as redes quatro vezes, estabelecendo a maior marca da equipe nacional desde Zlatan Ibrahimovic. Andreas Granqvist marcou duas vezes cobrando pênalti, enquanto Mikael Lustig também deixou o seu. Já o mais bonito da noite ficou para o final: Ola Toivonen fechou a conta em belíssimo chute de primeira, aos 31 do segundo tempo. O suficiente para levar a torcida da casa ao delírio. Esta foi a maior goleada da seleção sueca desde 1938, quando enfiou 8 a 0 sobre Cuba na Copa do Mundo.

Com a vitória, a Suécia chega aos 19 pontos no Grupo A. Mais importante, entretanto, é o seu saldo de gols: são 19 tentos positivos. A não ser que a Holanda aplique uma goleada similar em Belarus (o jogo estava em andamento no momento em que este texto foi publicado), os suecos vão com uma vantagem gigantesca para o confronto direto na última rodada. A Oranje entrou em campo com apenas cinco gols positivos de saldo, além de seis pontos a menos que a Suécia. Os escandinavos ainda podem assumir a liderança, mas dependem de pelo menos um tropeço da França em seus últimos compromissos, contra Bulgária e Belarus.