A Uefa definiu que a Eurocopa de 2020 será sediada em 13 países diferentes. A reunião do Comitê Executivo desta sexta-feira, em Nyon, sede da entidade, anunciou a decisão e chamou a competição de “Euro para a Europa”. A reunião definiu um plano logístico para impedir que os times façam jogos em locais distantes um do outro na fase de grupos, com um esquema parecido com aquele montado para a Copa do Mundo de 1994, quando os times de um mesmo grupo jogavam em um mesmo grupo de cidades.

Cada um dos 53 países filiados à Uefa poderá apresentar uma proposta para sediar os jogos. Serão dois tipos de candidaturas: um para o que a entidade chamou de um pacote normal de jogos, o que inclui três partidas da fase de grupos e um do mata-mata (nas oitavas de final ou nas quartas de final). Outro pacote será apenas para as semifinais e a final, que serão disputadas no mesmo estádio.

Cada país poderá apresentar duas candidaturas: uma para o pacote normal e outra apenas para semifinais e finais. As candidaturas poderão ter a mesma cidade ou podem apresentar duas cidades diferentes. Só uma das candidaturas poderá ser vencedora. A Uefa ainda decidiu que aceitará candidaturas de estádios que ainda não foram construídos, mas que o prazo máximo para que as obras comecem é 2016. Se até esse ano a construção não for iniciada, a cidade estará eliminada da disputa.

A entidade ainda divulgou as exigências mínimas sobre capacidade dos estádios para cada fase da competição. Para as semifinais e final, são exigidos estádios com capacidade de 70 mil pessoas. Para quartas de final, 60 mil pessoas. Para fase de grupos e oitavas de final, a capacidade mínima é de 50 mil. Serão aceitas duas exceções de estádios com capacidade mínima de 30 mil, apenas para fase de grupos e oitavas de final.

“O fato de poder haver duas cidades com uma capacidade mínima de 30 mil pessoas irá aumentar o número de cidades que estarão interessadas em sediar a Euro”, afirmou Gianni Infantino, secretário-geral da Uefa. “Talvez em 2020 viajar será diferente do que é em 2013. Nós iremos tentar encontrar formas de ajudar os torcedores a viajar”, disse ainda o dirigente.

Times jogarão em cidades próximas

A novidade é que não haverá nenhum país classificado previamente, todos terão que jogar as eliminatórias. Se cidades que forem sedes tiverem países classificados, esses terão dois jogos em casa na fase de grupos. A distribuição dos times nos grupos levará em conta as distâncias. Por exemplo, os times não jogarão em cidades com distância maior que duas horas de avião, para facilitar a logística das seleções e facilitar que os torcedores acompanhem o time durante o torneio. A partir das oitavas de final, as distâncias poderão ser maiores.

“Os torcedores podem esperar para ver uma Eurocopa fantástica”, disse Infantino. “Não apenas os torcedores de um país poderão aproveitar a Euro, mas os torcedores de 13 países. Esse é o primeiro passo em direção aos torcedores. Então, quando se trata dos torcedores, o fato do Comitê Executivo ter escolhido 13 cidades em 13 países diferentes, é claro, haverá cidades importantes. Haverá capitais de diferentes países, então o transporte entre essas cidades certamente será mais fácil”, disse ainda o dirigente.

As cidades candidatas poderão apresentar suas candidaturas até setembro de 2013. Até abril ou maio de 2014, as candidaturas deverão apresentar um dossiê para a fase de avaliação. Em setembro de 2014, as cidades que serão sede serão escolhidas.