Com o goleiro expulso na disputa por pênaltis, um zagueiro pôs luvas e classificou o Orlando City à semifinal do Leste

O Orlando City avançou às semifinais da Conferência Leste da MLS com um herói inimaginável. O duelo com o New York City FC terminou empatado em 1 a 1 no tempo normal, forçando prorrogação e pênaltis. Durante a disputa na marca da cal, o goleiro Pedro Gallese recebeu o segundo amarelo por se adiantar e acabou expulso, levando um jogador de linha a calçar luvas. Sem problemas: o zagueiro Rodrigo Schlegel nem demonstrou muito cacoete para atuar na posição improvisada, mas defendeu uma das cobranças dos celestes nas alternadas e determinou a vitória violeta por 6 a 5.

Os gols saíram cedo na partida disputada na Flórida. Nani abriu o placar cobrando pênalti, aos cinco minutos. Porém, aos oito, o NYCFC empatou. Após um escanteio, Maxime Chanot definiu de cabeça. A virada não aconteceu no primeiro tempo por causa de Gallese. O peruano operou grandes defesas, com direito a um milagre duplo, espalmando um chute de Keaton Parks quando a meta estava escancarada. Durante o segundo tempo, Gallese voltaria a brilhar, embora Sean Johnson também tivesse trabalho do outro lado.

O Orlando City terminou o tempo normal com um a menos. O lateral Ruan recebeu o vermelho direto por uma agressão no escocês Gary Mackay-Steven, dando uma solada no adversário. Mesmo com dez homens, os violetas poderiam ter garantido a vitória antes da prorrogação com Tesho Akindele, que desperdiçou ótima chance. Já no tempo extra, enquanto Kamal Miller assustou de um lado, do outro de novo Gallese apareceu para salvar a equipe da casa. Então, viria o verdadeiro drama nos pênaltis.

O New York City perdeu sua primeira batida, com Maxi Moralez carimbando o travessão. Os sete cobradores seguintes converteram – quatro deles do Orlando City, incluindo o zagueiro Antônio Carlos e o volante Júnior Urso. A confusão ocorreria no quinto tiro do NYCFC. Gallese já tinha chegado perto de pegar uma das cobranças, até que espalmou o chute de Valentin Castellanos. A defesa valeria a classificação dos violetas. Valeria, porque o árbitro resolveu procurar pelo em ovo e anulou o lance.

Gallese tirou o pé da linha, mas não se adiantou mais do que poucos centímetros, num movimento comum. Apegado à regra, o juiz apontou que o posicionamento era ilegal e, como o peruano já tinha recebido um cartão amarelo durante a prorrogação, ganhou o vermelho. O que o árbitro não levou em conta é que, desde 2019, a Fifa recomenda não punir arqueiros em infrações do tipo justamente para evitar expulsões em disputa por pênaltis. Seu erro poderia ter prejudicado bastante o Orlando.

O Orlando City ainda tentou realizar a sexta substituição, com a entrada do goleiro reserva, mas o árbitro barrou a alteração quando Brian Rowe já estava dentro da área. Assim, coube ao argentino Rodrigo Schlegel colocar as luvas e encarar a nova cobrança de Castellanos. O zagueiro-goleiro sequer pulou, vendo o adversário converter e igualar o placar em 4 a 4. Nani, quinto cobrador do Orlando, classificaria o time se fizesse. Errou, em defesaça de Sean Johnson. Na primeira série de alternadas, Schlegel tocou a batida de Nicolás Acevedo, mas não pegou. Robert Jansson deixou tudo igual aos violetas depois. Já na sétima cobrança do NYCFC, Gudhmundur Thórarinsson encheu o pé no alto e o goleiro improvisado deu um passo ao lado para uma defesa nada usual. Por fim, Benji Michel estufou as redes e confirmou a passagem do clube da Flórida, permitindo ao herói inesperado se consagrar.

Na próxima fase, o Orlando City pegará o vencedor de Philadelphia Union e New England Revolution. Outro time confirmado nas semifinais da Conferência Leste é o Columbus Crew, que derrotou o New York Red Bulls neste sábado por 3 a 2. Pedro Santos, Darlington Nagbe e Gyasi Zardes anotaram os tentos dos aurinegros, enquanto Caden Clark e Brian White balançaram as redes aos nova-iorquinos. O time de Ohio espera Toronto FC ou Nashville na próxima fase.